Fórum Ações

Tetzner_Blog Acoes

O Nosso Fórum de Discussões sobre Ações

Juntos somos mais Fortes!

Incentive o Blog, assine os produtos e serviços!

Mini_FitaProdServ

Login    Registro

FII    Ações    Fundos    Diversão

Compartilhe com o amigos, basta clicar aqui embaixo no Twitter, Facebook ou Google+

Anúncios

2.004 comentários sobre “Fórum Ações

      • Também historicamente Léo ela é menos volátil q as outras, observe pelos gráficos q ela não é de variar muito, só pra dar um balanceada, mas o q tô de olho nela e quando aprovarem aquele esquema de global fod, imagino algo em torno de 15 a 16 p sair mas talvez vai a 18 fácil fácil, outro fator como ela é exportadora com incertezas aqui tende o dólar subir favorecendo esse tipo de ação, como é o caso da embr3 também em relação à exportação, outro fator vem se abrindo muito espaço para exportação de carnes do Brasil para outros países todo ano aumenta, ano q vem por explo será exportado carne suína para Japão, mercado vai modernizando e globalizado, e empresas nessa direção, sai na frente,

        Curtir

    • Há alguns comentários positivos sobre elas na internet sim. Agora, com relação a PARC3 cogita-se na possibilidade de IPO da Caixa Seguros. Até pensei em entrar em PARC3 mas a grana está curta. Preferi armar um trade em PSSA3. Mas é um papel que tem futuro.

      Curtir

  1. PARA QUE INVESTIR SE O RETORNO ESTÁ MUITO ABAIXO DA SELIC?

    O economista Carlos Rocca, diretor técnico do Centro de Estudos do Instituto Ibmec (CEMEC), vem coligindo dados que dissecam um dos principais nós a travar a retomada da economia brasileira: as vulnerabilidades econômico-financeiras das empresas e o contexto financeiramente adverso para a retomada do investimento.

    De 2010 até hoje, ocorreu um impressionante desabamento do lucro líquido. Com dados da Economática para empresas abertas (um grupo de 320, incluindo Petrobras, Eletrobras e Vale) e da publicação Melhores e Maiores da revista Exame para as fechadas (421 maiores), parte-se de um pico de lucro líquido correspondente a 5,32% do PIB em 2010 para -1,47% do PIB em 2015. Considerando-se apenas o grupo das abertas, a queda é de 3,97% do PIB em 2010 para -1,20% ao fim de 2015, com um pequeno alívio para -0,9% do PIB no segundo trimestre de 2016 (para esta última data, há apenas o resultado das abertas).

    Já a alavancagem do grupo total de empresas, calculada pela relação entre dívida bruta e patrimônio líquido, praticamente duplica como proporção do PIB entre 2010 e 2015, saindo de 0,57% para 1,07%. Tomando-se a apenas as abertas, o indicador vai de 0,61% do PIB em 2010 para 1,2% em 2015, e recua para 1,06% no segundo trimestre de 2016.

    Um aspecto particularmente perturbador são as trajetórias do retorno sobre capital investido (ROIC, na sigla em inglês) e do custo médio de capital de terceiros. De 2005 a 2011, o retorno sempre esteve à frente do custo do capital, mas a tendência inverteu-se em 2012 e explodiu em 2015.

    Assim, em 2010 o ROIC do conjunto de empresas abertas e fechadas foi de 12,7%, contra um custo de capital de terceiros de 9%. Em 2014, os dois indicadores foram de, respectivamente, 6,6% e 10,2%. Em 2015 o custo do capital disparou para 16,7%, superando em 11,1 pontos porcentuais (pp) o ROIC de 5,6%. Se for usado o custo médio de capital, e não apenas o de terceiros, o indicador vai para 18,9% em 2016, e a diferença para o ROIC aumenta para 13,3 pp.

    Rocca observa que a Selic média, descontado o Imposto de Renda, foi de 11,4% em 2016, o que faz com que seja em média uma decisão melhor para os capitalistas investirem em títulos do governo do que colocar recursos em empresas com ROIC médio de 5,6%. Evidentemente, não é um ambiente favorável nem à retomada da produção nem à ampliação do investimento.

    A proporção de empresas no grupo com ROIC maior que o custo total de capital caiu de 45,8% em 2010 para 25,9% em 2015; com ROIC maior que o custo de capital de terceiros, de 61,6% para 29,5% nas mesmas datas; e maior que a Selic líquida de IR, de 67,8% para 40,1%.

    Os números apresentados pelo CEMEC mostram ainda uma queda dos investimentos do conjunto de empresas abertas e fechadas de um pico de 10,23% do PIB em 2008 para 4,20% em 2015; já no caso do grupo de abertas, parte-se de um pico de 8,46% do PIB naquele mesmo ano para 2,97% do PIB em 2015 e 0% no segundo trimestre de 2016.

    Outro dado que chama a atenção é que, apesar de o lucro líquido como proporção do PIB ter desabado desde 2010 e se tornado negativo em 2015, a distribuição de dividendos na mesma base de comparação, ainda que também tenha caído no período, manteve-se positiva no ano passado (e também no segundo trimestre de 2016, no caso das empresas abertas).

    Rocca ressalva que a amostra de empresas utilizada nesses cálculos tem alguns problemas de representatividade em relação ao conjunto do setor produtivo no Brasil. Ela engloba apenas empresas grandes e a agricultura e a agroindústria estão sub-representadas. Ainda assim, o retrato que sua pesquisa faz do panorama empresarial brasileiro ajuda a explicar por que os sinais da aguardada retomada econômica têm sido tão decepcionantes.

    Fernando Dantas

    Curtido por 2 pessoas

  2. CALENDÁRIO DE BALANÇOS: VALE, TELEFÔNICA, SUZANO, AMBEV E SANTANDER SÃO DESTAQUES DA SEMANA

    São Paulo, 17/10/2016 – A temporada de balanços do terceiro trimestre de 2016 segue hoje com o resultado da Lojas Renner.

    Na terça-feira (25) é a vez da Telefônica Brasil/Vivo

    Na quarta-feira (26), Santander, SulAmérica, Suzano, Via Varejo e Weg reportam seus números referentes ao período de julho a setembro de 2016.

    Para a quinta-feira (27) estão previstos os balanços da BRF, Cia Hering, Fleury, Klabin, Lojas Marisa, Pão de Açúcar, RaiaDrogasil, Engie Brasil e Vale.

    A semana termina na sexta-feira (28) com os números da Ambev, Cteep, Hypermarcas e Usiminas.

    O serviço AE Empresas e Setores, do Broadcast, divulga o Calendário de Balanços do terceiro trimestre de 2016 com as datas previstas para o anúncio das informações. Os dados foram obtidos com as companhias, na Bovespa e na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), e estão sujeitos a alterações. O AE Empresas e Setores também informa as datas programadas para teleconferências e reuniões com analistas. Veja a lista:

    (Marcelle Gutierrez)

    Calendário de balanços do 3º trimestre de 2016
    Data
    Empresa
    Evento / Horário / Local
    24/10/2016
    Lojas Renner
    Balanço, após o fechamento do mercado
    24/10/2016
    Kroton
    Reunião com analistas e investidores, às 13h30, no Hotel Tivoli Mofarrej (Alameda Santos, 1437 – São Paulo/SP)
    25/10/2016
    Telefônica Brasil/Vivo
    Balanço, após o fechamento do mercado
    25/10/2016
    Lojas Renner
    Teleconferência, às 13h
    26/10/2016
    Natura
    Balanço, após o fechamento do mercado
    26/10/2016
    Odontoprev
    Balanço
    26/10/2016
    Santander
    Balanço, antes da abertura do mercado
    26/10/2016
    Sulamérica
    Balanço, após o fechamento do mercado
    26/10/2016
    Suzano
    Balanço, antes da abertura do mercado
    26/10/2016
    Via Varejo
    Balanço, após o fechamento do mercado
    26/10/2016
    Weg
    Balanço, antes da abertura do mercado
    26/10/2016
    Santander
    Teleconferência, às 9h30, em inglês, com tradução simultânea para português
    26/10/2016
    Suzano
    Teleconferência, às 10h30
    26/10/2016
    Telefônica Brasil/Vivo
    Teleconferência, às 11h, em inglês
    27/10/2016
    BRF
    Balanço, após o fechamento do mercado
    27/10/2016
    Cia Hering
    Balanço, após o fechamento do mercado
    27/10/2016
    Fleury
    Balanço, após o fechamento do mercado
    27/10/2016
    Klabin
    Balanço, antes da abertura do mercado
    27/10/2016
    Lojas Marisa
    Balanço, após o fechamento do mercado
    27/10/2016
    Pão de Açúcar
    Balanço, após o fechamento do mercado
    27/10/2016
    RaiaDrogasil
    Balanço, após o fechamento do mercado
    27/10/2016
    Engie Brasil (antiga Tractebel)
    Balanço, após o fechamento do mercado
    27/10/2016
    Vale
    Balanço, antes da abertura do mercado
    27/10/2016
    Natura
    Teleconferência, às 10h, com tradução simultânea para o inglês
    27/10/2016
    Vale
    Teleconferências, às 10h em português e às 12h em inglês
    27/10/2016
    Via Varejo
    Teleconferência, às 11h
    27/10/2016
    Sulamérica
    Teleconferência, às 10h, com tradução simultânea para o inglês
    27/10/2016
    Weg
    Teleconferência, às 11h
    28/10/2016
    Ambev
    Balanço, antes da abertura do mercado
    28/10/2016
    Cteep
    Balanço, após o fechamento do mercado
    28/10/2016
    Hypermarcas
    Balanço, após o fechamento do mercado
    28/10/2016
    Usiminas
    Balanço, antes da abertura do mercado
    28/10/2016
    Ambev
    Teleconferência, às 13h
    28/10/2016
    Cia Hering
    Teleconferência, às 11h, com tradução simultânea para o inglês
    28/10/2016
    Engie Brasil (antiga Tractebel)
    Teleconferência, às 11h, com tradução simultânea para o inglês
    28/10/2016
    Fleury
    Teleconferência, às 11h
    28/10/2016
    Klabin
    Teleconferência, às 11h, com tradução simultânea para o inglês
    28/10/2016
    Lojas Marisa
    Teleconferência, às 13h
    28/10/2016
    Pão de Açúcar
    Teleconferência, às 10h30, com tradução simultânea para o inglês
    28/10/2016
    RaiaDrogasil
    Teleconferências, às 10h em português e às 12h em inglês
    28/10/2016
    Usiminas
    Teleconferência, às 11h, com tradução simultânea para o inglês
    28/10/2016
    Vanguarda Agro
    Reunião com analistas e investidores, às 14h30, no Hotel Estanplaza Berrini (Av. Eng. Luis Carlos Berrini, 853 – São Paulo/SP)
    31/10/2016
    Comgás
    Balanço
    31/10/2016
    Duratex
    Balanço
    31/10/2016
    Embraer
    Balanço, antes da abertura do mercado
    31/10/2016
    EDP Energias do Brasil
    Balanço, após o fechamento do mercado
    31/10/2016
    Fibria
    Balanço, antes da abertura do mercado
    31/10/2016
    Itaú Unibanco
    Balanço
    31/10/2016
    Multiplan
    Balanço, após o fechamento do mercado
    31/10/2016
    M. Dias Branco
    Balanço, após o fechamento do mercado
    31/10/2016
    Porto Seguro
    Balanço
    31/10/2016
    Smiles
    Balanço, após o fechamento do mercado
    31/10/2016
    TIM
    Balanço, após o fechamento do mercado
    31/10/2016
    Fibria
    Teleconferência, às 12h, em inglês, com tradução simultânea para o português
    31/10/2016
    Hypermarcas
    Teleconferências, às 10h30 em português e às 12h30 em inglês
    31/10/2016
    Cteep
    Reunião pública com analistas e investidores, às 10h, no Hotel Caesar Business Faria Lima (Rua Olimpíadas, 205 – São Paulo/SP)
    31/10/2016
    Duratex
    Reunião com analistas e investidores, às 16h30, na sede (Av. Paulista, 1938 – São Paulo/SP)
    01/11/2016
    Tarpon
    Balanço
    01/11/2016
    Comgás
    Teleconferência, às 11h
    01/11/2016
    Itaú Unibanco
    Teleconferências, às 10h em português e às 11h30 em inglês
    01/11/2016
    Multiplan
    Teleconferências, às 11h em português e às 12h30 em inglês
    01/11/2016
    M. Dias Branco
    Teleconferência, às 11h, com tradução simultânea para o inglês
    01/11/2016
    Smiles
    Teleconferência, às 10h, com tradução simultânea para o inglês
    01/11/2016
    TIM
    Teleconferências, às 9h30 em português e às 11h30 em inglês
    03/11/2016
    ABC Brasil
    Balanço, antes da abertura do mercado
    03/11/2016
    AES Eletropaulo
    Balanço
    03/11/2016
    AES Tietê
    Balanço
    03/11/2016
    Arezzo
    Balanço, antes da abertura do mercado
    03/11/2016
    CCR
    Balanço
    03/11/2016
    Multiplus
    Balanço
    03/11/2016
    PDG
    Balanço, após o fechamento do mercado
    03/11/2016
    Sonae Sierra
    Balanço, após o fechamento do mercado
    03/11/2016
    Totvs
    Balanço, após o fechamento do mercado
    04/11/2016
    Ser Educacional
    Balanço
    04/11/2016
    Taesa
    Balanço
    04/11/2016
    ABC Brasil
    Teleconferências, às 11h em português e às 12h30 em inglês
    04/11/2016
    PDG
    Teleconferência, às 14h
    04/11/2016
    Sonae Sierra
    Teleconferências, às 10h em português e às 11h em inglês
    04/11/2016
    Totvs
    Teleconferência, às 10h30
    07/11/2016
    Aliansce
    Balanço
    07/11/2016
    Anima Educação
    Balanço
    07/11/2016
    Banco Pan
    Balanço, após o fechamento do mercado
    07/11/2016
    BB Seguridade
    Balanço
    07/11/2016
    Direcional
    Balanço
    07/11/2016
    Gol
    Balanço, antes da abertura do mercado
    07/11/2016
    Guararapes
    Balanço, após o fechamento do mercado
    07/11/2016
    Magazine Luiza
    Balanço, após o fechamento do mercado
    07/11/2016
    Marcopolo
    Balanço, após o fechamento do mercado
    07/11/2016
    Pine
    Balanço, após o fechamento do mercado
    07/11/2016
    Qualicorp
    Balanço, após o fechamento do mercado
    07/11/2016
    Gol
    Teleconferências, às 10h em português e às 11h30 em inglês
    08/11/2016
    BTG Pactual
    Balanço, após o fechamento do mercado
    08/11/2016
    Cielo
    Balanço, após o fechamento do mercado
    08/11/2016
    Cyrela
    Balanço
    08/11/2016
    Iguatemi
    Balanço
    08/11/2016
    Itausa
    Balanço
    08/11/2016
    JSL
    Balanço, após o fechamento do mercado
    08/11/2016
    Minerva
    Balanço, após o fechamento do mercado
    08/11/2016
    Vanguarda Agro
    Balanço
    08/11/2016
    Banco Pan
    Teleconferências, às 10h30 em português e às 12h em inglês
    08/11/2016
    Guararapes
    Teleconferência, às 11h
    08/11/2016
    Magazine Luiza
    Teleconferência, às 10h
    08/11/2016
    Marcopolo
    Teleconferência, às 11h
    08/11/2016
    Pine
    Teleconferências, às 10h em português e às 12h em inglês
    08/11/2016
    Qualicorp
    Teleconferência, às 11h, com tradução simultânea para o inglês
    09/11/2016
    Banrisul
    Balanço
    09/11/2016
    BR Properties
    Balanço
    09/11/2016
    Cosan
    Balanço
    09/11/2016
    CPFL Renováveis
    Balanço
    09/11/2016
    Gerdau
    Balanço
    09/11/2016
    Indusval
    Balanço
    09/11/2016
    MRV
    Balanço
    09/11/2016
    Prumo
    Balanço
    09/11/2016
    QGEP
    Balanço
    09/11/2016
    Renova
    Balanço
    09/11/2016
    Rumo logística
    Balanço
    09/11/2016
    Sanepar
    Balanço
    09/11/2016
    Santos Brasil
    Balanço
    09/11/2016
    SLC Agrícola
    Balanço
    09/11/2016
    Tereos
    Balanço
    09/11/2016
    Ultrapar
    Balanço
    09/11/2016
    Valid
    Balanço
    09/11/2016
    BTG Pactual
    Teleconferências, às 11h em português e às 13h em inglês
    09/11/2016
    Cielo
    Teleconferências, às 10h30 em português e às 12h em inglês
    09/11/2016
    Gerdau
    Teleconferência, às 14h
    09/11/2016
    JSL
    Teleconferência, às 11h, com tradução simultânea para o inglês
    09/11/2016
    Minerva
    Teleconferências, às 10h em português e às 12h em inglês
    10/11/2016
    B2W
    Balanço
    10/11/2016
    Banco do Brasil
    Balanço, antes da abertura do mercado
    10/11/2016
    Bradesco
    Balanço
    10/11/2016
    Braskem
    Balanço
    10/11/2016
    Cetip
    Balanço
    10/11/2016
    Copel
    Balanço
    10/11/2016
    CPFL Energia
    Balanço
    10/11/2016
    Ecorodovias
    Balanço
    10/11/2016
    Estácio
    Balanço, após o fechamento do mercado
    10/11/2016
    Even
    Balanço
    10/11/2016
    Eztec
    Balanço
    10/11/2016
    Gafisa
    Balanço
    10/11/2016
    JHSF
    Balanço
    10/11/2016
    Kroton
    Balanço
    10/11/2016
    Light
    Balanço
    10/11/2016
    Log-in
    Balanço
    10/11/2016
    Marfrig
    Balanço
    10/11/2016
    Oi
    Balanço
    10/11/2016
    Paraná Banco
    Balanço
    10/11/2016
    Par Corretora
    Balanço
    10/11/2016
    Positivo Informática
    Balanço
    10/11/2016
    Randon
    Balanço
    10/11/2016
    Rossi Residencial
    Balanço
    10/11/2016
    Sabesp
    Balanço
    10/11/2016
    Somos Educação
    Balanço
    10/11/2016
    Tecnisa
    Balanço
    10/11/2016
    Triunfo
    Balanço, após o fechamento do mercado
    10/11/2016
    Lojas Renner
    Reunião com analistas e investidores, às 9h, na sede (Av. Joaquim Porto Villanova, 401, Porto Alegre/RS)
    11/11/2016
    BM&FBovespa
    Balanço, após o fechamento do mercado
    11/11/2016
    Bradespar
    Balanço
    11/11/2016
    Celesc
    Balanço
    11/11/2016
    Cemig
    Balanço
    11/11/2016
    Cesp
    Balanço
    11/11/2016
    Wilson sons
    Balanço
    11/11/2016
    Banco do Brasil
    Teleconferência, às 10h
    11/11/2016
    Estácio
    Teleconferências, às 13h em português e às 14h30 em inglês
    11/11/2016
    Triunfo
    Teleconferência, às 11h
    11/11/2016
    Randon
    Reunião com analistas e investidores, às 9h, no Hotel Blue Tree Faria Lima (Av. Brig. Faria Lima, 3989 – São Paulo/SP)
    14/11/2016
    BRMalls
    Balanço
    14/11/2016
    Copasa
    Balanço
    14/11/2016
    Eletrobras
    Balanço
    14/11/2016
    Eneva
    Balanço
    14/11/2016
    Equatorial
    Balanço
    14/11/2016
    JBS
    Balanço, após o fechamento do mercado
    14/11/2016
    Petrorio
    Balanço
    14/11/2016
    Sofisa
    Balanço
    14/11/2016
    BM&FBovespa
    Teleconferências, às 11h em português e às 13h em inglês
    16/11/2016
    JBS
    Teleconferências, às 9h em português e às 11h em inglês
    17/11/2016
    Itaú Unibanco
    Reunião com analistas e investidores, às 14h (Hotel Unique – São Paulo/SP)
    17/11/2016
    Santos Brasil
    Reunião com analistas e investidores, às 9h30, no Hotel Tryp Itaim (Rua Manuel Guedes, 320 – São Paulo/SP)
    24/11/2016
    Gerdau
    Reunião com analistas e investidores, às 9h, na BM&FBovespa (Praça Antonio Prado, 48 – São Paulo/SP)
    01/12/2016
    ABC Brasil
    Reunião com analistas e investidores, às 9h, no Hotel Blue Tree Faria Lima (Av. Brig. Faria Lima, 3989 – São Paulo/SP)
    Fonte: Bovespa, sites de RI das empresas e CVM

    Curtido por 2 pessoas

  3. Dúvida: para um investidor com perfil moderado, predominando buy and hold, em uma carteira diversificada, seria interessante fazer hedge, por exemplo com venda de mini índice? Tenho “medo” de futuros. Vale a pena quebrar esse temor e estudar essa classe de ativos?

    Curtir

  4. Estou ligeiramente vendido em Bovespa, diz um dos melhores gestores do Brasil

    Cético com o preço das ações, Márcio Appel, reconhecido pela sua experiência e os resultados obtidos à frente dos melhores fundos da indústria, diz que se a Bolsa subir, vai vender mais

    Por Paula Barra Em mercados 05 set, 2016 13h01

    SÃO PAULO – Se você achava que o mercado estava só esperando a conclusão do impeachment para alocar todo o capital em ações, é melhor você tomar cuidado com a euforia. Quem dá a dica é ninguém menos que Márcio Appel, considerado um dos melhores gestores de fundos do Brasil, que recentemente deixou a gestora Safra para fundar juntamente com André Salgado a Adam Capital. Em entrevista exclusiva ao InfoMoney, Appel explicou que não é por ceticismo com o Brasil que ele não está entusiasmado com a bolsa brasileira, mas sim por acreditar que os preços atuais não compensam o risco. Por isso que recentemente ele decidiu mudar sua exposição à Bovespa de neutra para ligeiramente vendida, disse durante a entrevista.

    “A Bolsa pode até pode subir no curto prazo por fluxo com a confirmação do impeachment, mas no longo prazo ainda vai perder para o CDI”, disse Appel, que fundou neste ano dois fundos, o Adam Macro, com menor volatilidade, e o Adam Advanced, mais arriscado (esse segundo está atualmente fechado para captação). Como os fundos ainda não têm seis meses de existência, a gestora não é obrigada a apresentar um balanço mensal de performance, mas pelo site da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), é possível consultar os resultados calculando a valorização das cotas do fundo. De 29 de abril (data que começou a funcionar) até 1° de setembro, o Adam Macro rendeu 7,80% (ou 165,96% do CDI no período), enquanto o Adam Advanced garantiu retorno de 12,29% (ou 261,49% do CDI).

    Appel explica que não se preocupa com reações imediatas de euforia do pós-impeachment justamente pelo prazo que monta suas operações. “Nunca olhamos para dia, semana ou mês, nosso horizonte é um ano. Por isso essa exposição vendida é uma posição que temos com o objetivo de carregar por um período prolongado. Então, vou aproveitar o forte movimento de curto prazo para aumentar a posição vendida, que acho que será positiva no longo prazo”, disse o gestor.

    Curtido por 2 pessoas

  5. Acionista do Bradesco está passando todo seu patrimônio para uma fundação
    by Mauricio Lima

    Doação de 3 bilhões

    À la Bill Gates, Lia Maria Aguiar está passando todo o seu patrimônio para uma fundação com seu nome.

    Filha de Amador Aguiar, a banqueira tem 1,8% das ações do Bradesco (algo como 3 bilhões de reais).

    Curtir

  6. Valor de mercado das empresas brasileiras cresce 53% em 2016
    by Ernesto Neves

    O valor de mercado de 276 empresas de capital aberto brasileiras chegou a US$ 715,7 bilhões, um crescimento de US$ 250,2 bilhões no ano. Os dados foram divulgados nesta segunda (29), pela consultoria Economática.

    No final de 2015, as empresas tinham US$ 465,5 bilhões de valor de mercado. Entre janeiro e agosto, o crescimento percentual do valor de mercado das empresas brasileiras é de 53%.

    Curtir

  7. Boa tarde pessoal!

    Seguinte, tenho uma pequena carteira de investimentos onde possuo t.d, FIIs e ações. Nos últimos meses obtive um lucro considerável com ações, gostaria de aplicar o dinheiro em FIIs, e uma pequena porcentagem em ETF, vocês conhecem o ativo BOVA11? seria prudente começar a investir e diversificar em ETF`s ?

    Gostaria de zerar minhas posições em ações, e embolsar o restante do pequeno lucro que está dando até o momento, na minha opinião as açoes subiram muito , e estão num bom momento para venda! pensei em ETF pelos custos, eu gasto muita corretagem com ações!

    Abraço… agradeço desde já

    Curtido por 1 pessoa

    • Mark, se você acha que as ações subiram muito e quer realizar um lucro, porquê investir em ETF, que é uma cesta de ações?
      Não me leve a mal, mas acho que o teu racional não está muito adequado.
      Os ETFs servem para quem não tem tempo de acompanhar ações individualmente, mas quem ficar atrelado ao Ibovespa.
      Agora com a saída da presidenta, nosso mercado tem uma tendência a subir o Ibovespa. Então os ETFs podem ser uma boa opção.
      Outra opção para se expor ao mercado acionário é comprar Fundos de ações, os FIA. No tetznerinvest, o pessoal dá várias dicas de bons fundos.
      Saudações.

      Curtir

  8. Instituições Financeiras
    Rentabilidade sobre patrimônio dos quatro maiores bancos do país é a menor em dez anos
    Mayara Baggio

    A mediana da rentabilidade sobre o patrimônio (ROE) anualizada dos quatro maiores bancos brasileiros somou 16,36% neste segundo trimestre, o menor percentual já registrado para o período e a segunda queda trimestral consecutiva, de acordo com levantamento da Economática.

    Desde o início da série histórica, em dezembro de 2006, o melhor resultado aconteceu no primeiro trimestre de 2008, com mediana de 26,98%. Os maiores retornos do setor de abril a junho deste ano foram liderados por Itaú Unibanco, com 20,03%, seguido por Bradesco, 18,16%, Banco do Brasil, 14,55% e Santander, 8,25%. A Economatica calcula o retorno usando o lucro líquido dos últimos 12 meses dividido pelo patrimônio médio no período, o que pode dar alguma diferença em relação aos números das instituições, que usam apenas o trimestre.

    A Economática aponta que o lucro líquido consolidado das quatro instituições no segundo trimestre somou R$ 13,46 bilhões, valor superior ao primeiro trimestre, mas 22,37% inferior aos mesmos meses de 2015, quando o lucro total dos bancos foi de R$ 17,34 bilhões, o mais alto já registrado para o trimestre.

    Na análise dos lucros, a liderança também foi do Itaú Unibanco, com R$ 5,51 bilhões, Bradesco (R$ 4,13 bilhões), Banco do Brasil (R$ 2,46 bilhões) e Santander (R$ 1,34 bilhão).

    Já as perdas com devedores duvidosos (PDD) das quatro instituições foram de R$ 19,96 bilhões, bem próximo do segundo trimestre do ano passado, de R$ 19,84 bilhões. O maior valor registrado em PDD ocorreu no terceiro trimestre do ano anterior, de R$ 27,74 bilhões.

    Perto do fim da queda do lucro?
    Em relatório enviado hoje aos seus clientes, o Deutsche Bank apontou que a qualidade dos ativos continua a ser um problema para o setor bancário brasileiro. Mesmo assim, na avaliação do banco alemão, os resultados de todo o sistema estão perto de seu piso, ou seja, não devem cair mais.

    Para o Deutsche, os bancos do país estão sendo negociados com em desconto médio de 24% na comparação com demais bancos da América Latina, levando em conta a relação entre preço e lucro da ação (P/L). O banco alemão mostra ainda um desconto de 26% no comparativo entre o valor do papel em relação ao valor patrimonial das companhias (P/VPL).

    Além do desconto maior, os “dividend yield” brasileiros, ou seja, o quanto os lucros distribuídos representa em relação ao preço pago na ação, são maiores ante o restante da região. Em 2016, a mediana do retorno em dividendos no Brasil deve ser de 3,8% ao ano, segundo cálculos do Deutsche, e de 4,2% ao ano para 2017. Para a América Latina, os analistas alemãs esperam “dividend yield” médio de 3,1% este ano e 3,3% no ano que vem.

    O Deutsche recomenda compra para o Banco do Brasil (BB), e manutenção para Bradesco, Itaú Unibanco e Pactual. Para Santander, a recomendação é de venda.

    Curtido por 3 pessoas

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s