PMAM – PARANAPANEMA S.A.

PMAM3

BMFBovespa: PMAM3

Cobre Refinado e seus subprodutos

A Paranapanema atua no segmento de cobre no Brasil, onde somos o maior produtor não integrado de cobre refinado e líder de vendas com participação de 98% do volume produzido no mercado doméstico na forma de catodo, vergalhão e fios de cobre e 42% do volume de vendas domésticas de cobre eletrolítico. Em 2012, nossa capacidade instalada da planta de cobre eletrolítico passou para 280 mil toneladas/ano, face aos projetos de melhoria operacional e expansão da capacidade instalada.

Semielaborados de cobre e suas ligas

Somos um dos maiores produtores de semielaborados de cobre no Brasil, tais como laminados, barras, tubos, conexões e ligas de cobre com 41% de participação de mercado em volume de vendas. Nossa capacidade instalada dos semielaborados de cobre é de 72 mil toneladas/ano, passando para cerca de 130 mil toneladas/ano até o final de 2013 com os investimentos de expansão realizados.

Encerramos o ano de 2011 com Receita Líquida Consolidada de R$ 4,1 bilhões, 41% (R$1,7 bilhão) relativo as vendas destinadas ao mercado externo. Possuímos quatro plantas industriais, sendo uma planta, produtora de cobre refinado localizada no município de Dias D’Ávila – BA, três plantas produtoras de semielaborados de cobre e suas ligas, duas localizadas no município de Santo André – SP e uma no município de Serra – ES e um centro de distribuição de produtos de cobre, localizado em Itatiaia – RJ.

RI:  http://www.paranapanema.com.br/ri/port/atendimento/fale.asp

Site:  http://www.paranapanema.com.br/RI/informacoes-aos-investidores.cfm

PMAM3_prods PMAM3_Ind PMAM3_Receita_Liq PMAM3_Vol_Vend

Anúncios

19 comentários sobre “PMAM – PARANAPANEMA S.A.

  1. Resultados do 1º Trimestre de 2014
    LL R$ -14,56 M -124,70% x 1T13

    DESTAQUES
    * Volume de vendas de 63,9 mil toneladas, impactado por menor importação de catodos para transformação em produtos de cobre;
    * Receita líquida totalizou R$1.093,4 milhões, com a participação do mercado interno mantendo-se estável em relação aos períodos anteriores;
    * Lucro Bruto totalizou R$ 52,5 milhões, com margem bruta de 4,8%;
    * Margem ex-metal atingiu 29,1%;
    * Eventos não recorrentes relativos à reestruturação impactaram o resultado em R$ 61,1 milhões;
    * Resultado Financeiro Líquido foi positivo em R$38,7 milhões;
    * EBITDA Ajustado atingiu R$ 34,0 milhões, com margem de 3,1%, ou R$63,2 milhões e 5,8% de margem, ao incluir ganhos com hedge de metais efetivamente realizados no período;
    * Resultado Líquido foi um prejuízo de R$14,6 milhões;
    * Redução de 21,8% na Dívida Líquida para R$ 518,6 milhões, com indicador dívida líquida/EBITDA reduzido para 1,7 vezes.

    EVENTOS SUBSEQUENTES
    * AGO: eleição da nova composição do Conselho de Administração e Conselho Fiscal em 24/04;
    * Ratings Ba3 com perspectiva estável pela Moody’s e B+ perspectiva estável pela S&P;
    * Arquivamento do Formulário de Referência 2013 em 10/04.

    http://www.paranapanema.com.br/arquivos/investidores/divulgacao-de-resultados/central/2014/Paranapanema_1T14_Release.pdf

    Resultado Péssimo. Queda nas receitas, no resultado bruto e aumento das despesas operacionais não poderia dar outro resultado senão prejuízo. Conforme relatório da própria empresa: Excluindo-se os R$61,1 milhões de efeitos de eventos não recorrentes relacionados à reestruturação corporativa, o resultado teria sido um lucro líquido de R$ 46,6 milhões, com margem de 4,3%.

    Curtir

  2. Resultados do 4T13:
    LL R$5,8M -114,3%x4T12 //LL R$ 5,9M +207,5%x2012
    Destaques:
    Receita Líquida
    Nível recorde de R$5,5 bilhões no ano
    A receita líquida consolidada atingiu em 2013 o nível recorde de R$5.548,6 milhões, impulsionada pela
    expansão na escala de produção, preços maiores em Reais, aumento das vendas no quarto trimestre
    decorrentes dos ajustes nos níveis de estoques e exportações de produtos de maior valor agregado
    produzidos a partir de catodos de cobre importados no período. O nível de receitas de vendas em 2013
    refletiu aumento de 37,8% em relação ao obtido em 2012. As vendas no mercado interno totalizaram
    R$3.323,7 milhões, correspondendo a 60% da receita líquida consolidada em 2013, contra 72% em 2012.
    Embora a estratégia comercial da Paranapanema nos últimos anos venha privilegiando o mercado
    doméstico, o aumento nas exportações em 2013 foi em decorrência da empresa ter aproveitado a estrutura
    de prêmios nos mercados local e internacional, aumentando significativamente suas exportações de
    catodos.
    Margem EBITDA mais que dobra no ano
    O EBITDA Ajustado da Paranapanema (resultado operacional antes de juros, impostos, depreciação e
    amortizações, eliminando as receitas e despesas não recorrentes) atingiu R$332,4 milhões, representando
    elevação de 166% em relação ao apurado em 2012. Com esta melhora no resultado operacional, a
    Companhia encerrou o ano com 6% de margem de EBITDA ajustado versus 3,1% obtido em 2012.

    Curtir

  3. Resultados 3T13
    Lucro Líquido (35M) -80% 3T13x2T12

    -> A Paranapanema acumulou nos primeiros nove meses deste ano lucro liquido de R$11,7 milhões, apesar do prejuízo de R$35 milhões no 3T13, em razão de depesas financeiras resultantes do impacto que o aumento nos preços do cobre teve sobre os hedges de metal.

    -> O total de vendas de cobre da Paranapanema acumulado nos três trimestres deste ano alcançou 234,5 mil t, representando aumento de 43,2% em relação ao mesmo período em 2012. Os resultados dos ultimos quatro trimestres demonstram que as vendas da Paranapanema estão se consolidando em um novo patamar, em linha com a expansão na escala de produção e maior eficiência operacional;

    -> O volume de vendas de cobre da Paranapanema alcançou 71,4 mil t no 3T13, refletindo aumento de 36,1% em relação ao 3T12, porém com queda de 17,4% em relação ao trimestre anterior, devido a perdas de produção por problemas logisticos temporários no
    porto de Aratu – Bahia e desaceleração na demanda de alguns produtos de cobre;

    -> A receita líquida consolidada de R$1.302,4 milhões no 3T13 refletiu aumento de 45,6% em relação ao 3T12 e 0,9% em relação ao trimestre anterior. A receita liquida com vendas acumulada nos três trimestres deste ano alcançou R$3.864,6 milhões, refletindo aumento 40,7% em relação ao mesmo período em 2012;

    -> Lucro bruto de R$144,3 milhões no 3T13 representou aumento de 246,8% em relação ao 3T12 e 105,8% em relação ao trimestre anterior. Nos nove meses do ano, o lucro bruto acumulado de R$295,2 milhões representou aumento de 149,8% em relação ao mesmo período em 2012. A Paranapanema tem obtido expressiva melhora em sua lucratividade
    bruta nos ultimos meses, refletindo maior escala de produção, mix de vendas favorável e aumento de produtividade. Porém, efeito positivo da desvalorização cambial nas vendas dos estoques de cobre existentes teve pontualmente peso preponderante no nivel elevado de rentabilidade neste trimestre;

    -> Os preços médios do cobre em Reais tiveram alta de 9,5% no 3T13 em relação ao 2T13, refletindo a desvalorização média de 10,5% do Real frente ao Dólar Norte Americano no período e redução de 0,9% na cotação média do metal na London Metal Exchange (LME).
    Em relação ao 3T12, os preços médios do cobre, convertidos em Reais, registraram aumento de 3,5%, refletindo a redução de 8,3% nas cotações dos preços na LME, compensada pela desvalorização de 12,8% do Real frente ao Dólar Americano no 3T13 em relação ao 3T12;

    -> O EBITDA ajustado (excluindo as despesas não recorrentes) alcançou o nível recorde de R$136,2 milhões no 3T13 ante R$53,6 milhões registrado no 2T13 e R$26,7 milhões apurado no 3T12, com aumento de 154,1% e 410,1%, respectivamente, capturando maior margem de rentabilidade nas vendas dos estoques de cobre após a desvalorização do Real. Nos noves meses de 2013, o EBITDA ajustado acumulou também nível recorde de R$253,5 milhões ante R$75,7 milhões apurado nos 9M12, com aumento de 234,9%. O
    contínuo aumento no EBITDA ajustado durante os últimos quatro trimestres consecutivos é outro indicador da consistência na recuperação dos resultados Paranapanema;

    ->O valor dos estoques totais da Paranapanema no final do 3T13 teve aumento de R$836,4 milhões em relação ao final do trimestre anterior, refletindo basicamente o aumento temporário no estoque de matérias-primas em trânsito, devido aos problemas portuários na Bahia. O aumento expressivo no estoque de cobre combinado com a recuperação nos
    preços do metal na LME próximo ao final deste trimestre teve impacto na contabilização das posições de hedge de metais, resultando em despesas financeiras de R$91,5 milhões neste periodo.

    Curtir

      • O resultado ruim foi contábil, a empresa está fazendo a lição de casa; mas é aquela história do Hedge… fica brincando com derivativos… rs
        Ai sempre tem alguém que fala: “ah mas é assim, ela produz em real e tem de lastrear em dólar” leiam o último paragrafo para descobrir como QUEBRAR uma empresa.

        Receitas/Despesas Financeiras A Paranapanema registrou despesa financeira liquida de R$129,7 milhões neste trimestre, refletindo despesas adicionais de R$73,3 milhões em relação ao 2T13. A recuperação parcial da cotação do Real em relação ao Dolar Norte Americano no final de Setembro neutralizou quase que totalmente as depesas financeiras com a desvalorização cambial nos meses de Julho e Agosto, enquanto os ganhos operacionais extraordiários no trimestre, resultantes do giro dos estoques, compensaram grande parte das despesas financeiras registradas no 2T13, resultantes da desvalorização cambial naquele período.
        Neste trimestre, a liquidação de posições de hedge de cobre resultou ganhos efetivos de caixa de R$17,3 milhões, reportados como receitas financeiras. Nos 9M13, os ganhos liquidos de caixa efetivamente realizados com hedge de preços de metais, reportados como receitas financeiras, foram de R$35,0 milhões.
        O aperfeiçoamento recente da gestão do hedge das posições de ouro e prata tem também contribuindo positivamente para os resultados da Paranapanema. Entretanto, a marcação a mercado das posições em aberto de hedge de metal no final to 3T13 gerou despesas financeiras de R$91,5 milhões.
        A valorização contábil dos hedges em aberto foi particularmente significativa neste trimestre, pois foi baseada na cotação do metal no ultimo dia do trimestre – $7.290/t, portanto muito acima do preço de fechamento no trimeste anterior – $6.750/t, assim como em relação à cotação média do cobre no trimestre refletida no estoque de metal para os quais os hedges de preços foram contratados.

        Ressalta-se também, que devido à elevação dos estoques da Paranapanema, forçada pelos problemas portuários, os contratos em aberto no final do 3TR13 ficaram 20,0 mil/t acima da posição no trimestre anterior, ampliando assim o impacto que o aumento do preço do cobre no final deste trimestre causou no nivel das despesas financeiras.

        Curtir

      • Como disse o IMC Leandro no blog de fiis. “Foi dar o pulo do gato, e deu o vôo da galinha”, rsrsrsrs. Tetzner, neste caso, houve efeito não caixa, devido a marcação a mercado, correto? Se a marcação a mercado apresentou prejuízo neste trimestre, no próximo se houver valorização volta como lucro, ou a empresa encerrou a posição com prejuízo, perdeu, perdeu, já era? O preço do metal oscilou a empresa encerrou a posição que tinha na operação de hedge, e perdeu ou é como se fosse uma oscilação de preços, caiu agora mas pode voltar depois?

        Desculpe a pergunta de calouro, mas apesar do Ricardong ter explicado bastante coisa, como não utilizo isso na prática, então não sei nada além de alguns conceitos.

        Curtir

      • O problema do Hedge é assim

        você tem 1000 e faz 1000 de hedge

        os seus 1000 viram 900 o seu hedge vira 1100

        no final é soma zero; quando bem feito serve pra isso

        mas leia no final e veja que houve um acumulo de produtos, causando a elevação do hedge acima do que seria o normal

        com a baixa do dolar e a circulação da produção deve voltar sim

        Curtir

      • O problema disso tudo é a ciranda financeira: taxas e comissões saem do bolso dos acionistas o produto está lá no estoque, ainda precisa ser transportado até o cliente mas o ajuste da posição chega a vista

        Curtir

      • Ricardo,

        Se for feito de maneira adequada. Sim, faz a proteção.

        Momento 01: Eu tenho 1000 e com efeito financeiro do hedge virou os 900.

        Momento 02: Se o hedge gerou efeito negativo, o ativo-base(lembra do vinho) gera o efeito positivo. Então, nessa alegoria nossa, quando eu vender os meus 900, eu receberei 1000.

        Curtir

      • Obrigado Ricardong. Entao e possivel que nos proximos resultados dependendo de como oscilar a moeda venham bons resultados. Mas estas operacoes sempre deixam o investidor meio que sem rumo, tem que confiar muito na gestao.

        Curtir

  4. Destaques do 4T12 e 12M12

     O volume de vendas dos produtos de cobre no 4T12 alcançou 68,9 mil t, refletindo um aumento de 31,5% em relação ao 3T12 e 10,3% em relação ao mesmo período de 2011.

    O volume total de vendas em 2012 atingiu 232,8 mil t, com redução de 6,2% sobre 2011. As vendas no mercado interno corresponderam a 79,8% do volume total do segmento

    de cobre e participação de 71,6% na receita líquida da Paranapanema;
     Volume de vendas dos produtos de cobre refinado teve forte crescimento no 4T12 alcançando 51,8 mil t, representando um aumento de 9,2% sobre o 3T12 e 10,3% sobre o

    4T11, impulsionado pela retomada de produção. O volume de vendas nos 12M12 apresentou redução de 9,3%, atingindo 170,1 mil t. O volume de semielaborados cresceu 3,3%,

    com 62,7 mil t nos 12M12, sendo que as 17,2 mil t vendidas no 4T12 refletiram também elevação de 10,3% e 14,0% em relação ao 3T12 e 4T11;
     Preço médio do cobre em 2012 decresceu 9,9% em relação ao ano anterior;
     A receita líquida consolidada de R$1.278,5 milhões no 4T12 refletiu um aumento de 42,9% sobre o 3T12 e 30,6%, comparado ao mesmo período no ano anterior. A receita

    liquida consolidada de R$4.025,8 milhões nos 12M12 ficou ligeiramente abaixo em relação aos 12M11, refletindo a paralização temporária da produção de cobre refinado

    durante a implementação do projeto de expansão e modernização daquela unidade produtiva;
     Desempenho operacional positivo, com um lucro bruto no ano de R$184,2 milhões, representando um aumento de 97,6% versus o do ano anterior. O lucro bruto no 4T12 foi

    66,1 milhões, com alta de 58,7% em relação ao 3T12 e também muito distinto do resultado adverso registrado no 4T11;
     EBITDA ajustado (sem receitas e despesas não recorrentes) atingiu R$49,3 milhões no 4T12, refletindo expressiva recuperação em relação aos trimestres anteriores, em

    linha com os objetivos esperados do Projeto Nova Paranapanema. O EBITDA ajustado de R$125 milhões nos 12M12 ficou 196,6% acima do reportado em 2011;
     Patrimônio líquido de R$1.461,7 milhões, em 31 de dezembro de 2012;
     Valor patrimonial de R$4,58 por ação em 2012.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s