ABCB – BCO ABC BRASIL S.A.

ABCB4

BMFBovespa: ABCB3;ABCB4

O Banco ABC Brasil é um banco múltiplo, especializado na concessão de crédito para empresas de médio a grande porte.
O Banco ABC conta com um amplo portfolio de produtos, ágil processo decisório e profunda expertise na análise de crédito, o que lhe tem possibilitado auferir resultados consistentes, com índices de perda notadamente baixos. O Banco é um dos únicos bancos brasileiros de porte médio a contar com controle internacional e autonomia local. O Banco construiu nos últimos 20 anos uma base de clientes sólida, oferecendo a eles produtos financeiros de maior valor agregado e adaptados às suas necessidades específicas. Dessa maneira, o Banco acredita estar apto a concorrer, com vantagens expressivas, com outros bancos brasileiros de médio e grande porte.

A atuação do Banco ABC está voltada, principalmente, para a concessão de crédito a empresas de médio porte, com faturamento anual entre R$30 milhões e R$250 milhões (Middle Market), empresas de médio-grande porte, com faturamento anual entre R$250 milhões e R$2 bilhões (Large Middle) e de grande porte, com faturamento anual acima de R$2 bilhões (Atacado).

O Banco oferece aos seus clientes uma carteira diversificada de produtos financeiros, muitos dos quais, em decorrência de sua sofisticação, são oferecidos por outros bancos apenas a clientes de Atacado.

Os produtos do Banco ABC incluem (i) empréstimos em moeda nacional e estrangeira; (ii) financiamento ao comércio exterior; (iii) estruturação de operações de mercado de capitais com produtos de renda fixa (estruturação de Fundos de Investimento em Direitos Creditórios – FIDCs e coordenação de distribuições de debêntures e commercial papers); (iv) empréstimos sindicalizados; (v) repasses de linhas do BNDES; e (vi) produtos de tesouraria (derivativos). O Banco é um dos poucos bancos brasileiros de porte médio a oferecer produtos de mercado de capitais e tesouraria a empresas dos segmentos de Middle Market e Large Middle, que representam um mercado de grande potencial.

RI:  ri@abcbrasil.com.br

Site:  http://ri.abcbrasil.com.br

Anúncios

26 comentários sobre “ABCB – BCO ABC BRASIL S.A.

  1. O Banco ABC Brasil registrou no primeiro trimestre de 2016 lucro líquido recorrente de R$ 95,5 milhões, o que representa crescimento de 19,1% em relação ao mesmo período de 2015 e queda de 9,4% sobre o trimestre anterior. O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) recorrente ficou em 15,0% no período, 0,5 ponto porcentual acima do primeiro trimestre de 2015 e 2 pontos abaixo do quarto trimestre (17,0% a.a.). Influíram no resultado, segundo explica o relatório da administração, “a margem financeira com o mercado menor no primeiro trimestre, devido principalmente à contabilização de uma receita de R$ 18,7 milhões proveniente de títulos disponíveis para venda direto no patrimônio líquido, sem passar pelo resultado; e receita maior de garantias prestadas e da margem financeira com clientes, decorrente do aumento dos spreads de crédito quando comparado com os respectivos períodos anteriores.” O banco também informa o resultado contábil, pelo qual apresentou um lucro líquido de R$ 91,1 milhões, 13,5% maior que o de R$ 80,3 milhões no primeiro trimestre de 2015, porém queda de 13,65% sobre o quarto trimestre do ano passado. O ROE foi de 14,3%, levemente acima do índice de 14,5% em igual comparação, porém menor que os 17% do quarto trimestre. A carteira de crédito expandida, incluindo as carteiras de empréstimos, garantias prestadas e títulos privados, foi a R$ 21,392 bilhões ao final de março, avanço de 0,4% em 12 meses e recuo de 0,7% no trimestre. O segmento Corporate teve aumento de 1,8% em 12 meses e de 0,3% no trimestre, ao passo que o de Empresas caiu 8,6% e 7,1%, respectivamente. O dado de carteira também foi apresentado no critério incluindo garantias prestadas, de R$ 19,856 bilhões ao final de março, contra R$ 20,025 bilhões ao final de dezembro e R$ 19,907 bilhões em março de 2015.

    Curtir

  2. O Banco ABC Brasil registrou Lucro Líquido recorrente
    de R$ 95,9 milhões no terceiro trimestre de 2015

    São Paulo, 6 de novembro de 2015 – O Banco ABC Brasil (BM&FBOVESPA: ABCB4 – Nível 2 de Governança Corporativa) anuncia hoje seus resultados referentes ao terceiro trimestre de 2015.

    Destaques

    O Lucro Líquido recorrente atingiu R$ 95,9 milhões no terceiro trimestre de 2015, apresentando aumento de 6,4% em relação ao trimestre anterior (R$ 90,1 milhões) e de 14,0% em relação ao mesmo período de 2014 (R$ 84,1 milhões).
    O Retorno Anualizado Sobre o Patrimônio Líquido recorrente (ROAE) atingiu 16,2% a.a. no terceiro trimestre de 2015, apresentando crescimento de 0,6 p.p. em relação ao trimestre anterior (15,6% a.a.) e mantendo-se estável em relação ao mesmo período de 2014 (16,2% a.a.).
    A Carteira de Crédito Expandida* encerrou setembro de 2015 com saldo de R$ 21,7 bilhões, apresentando crescimento de 12,7% nos últimos 12 meses e de 4,1% no trimestre. O segmento Corporate apresentou crescimento de 13,3% nos últimos 12 meses e de 4,6% no trimestre, e no segmento Empresas houve crescimento de 8,6% nos últimos 12 meses e de 1,0% no trimestre.
    A Qualidade da Carteira permanece elevada, com 95,8% das operações com empréstimos e 99,9% das operações com garantias prestadas classificadas entre AA e C ao final de setembro de 2015, de acordo com a Resolução 2.682 do Banco Central.
    *Carteiras de Crédito Expandida: inclui as carteiras de empréstimos, garantias prestadas e títulos privados.

    Curtir

  3. Resultados do 1º Trimestre de 2014
    LL R$ 72,137 M +20,11% x 1T13

    Destaques

    * O Lucro Líquido atingiu R$ 72,1 milhões no 1T14, apresentando redução de 5,3% em relação ao 4T13 (R$ 76,2 milhões) e aumento de 20,1% em relação ao 1T13 (R$ 60,1 milhões). Excluindo efeitos não-recorrentes do 4T13 (detalhes na página 5), o lucro líquido do 1T14 apresentou crescimento de 1,5% em relação ao trimestre anterior.

    * O Retorno anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) atingiu 14,9% a.a. no 1T14, variando -1,2 p.p. em relação ao 4T13 (16,1% a.a.) e 0,8 p.p. em relação ao 1T13 (14,1% a.a.). Excluindo os efeitos não-recorrentes do 4T13, o ROAE permaneceu estável.

    * A Carteira de Crédito Expandida* encerrou o 1T14 com saldo de R$ 18.330 milhões, apresentando crescimento de 15,9% nos últimos 12 meses e de 3,1% no trimestre. No segmento Corporate, apresentou crescimento de 15,9% nos últimos 12 meses e de 3,3% no trimestre, e no segmento Empresas, apresentou crescimento de 15,6% nos últimos 12 meses e de 1,7% no trimestre.

    * A qualidade da carteira continua elevada, com 97,1% das operações classificadas entre AA-C ao final do 1T14 (Resolução 2.682 do Banco Central).

    *Carteira de Crédito Expandida: inclui as carteiras de empréstimos, garantias prestadas e títulos privados.

    http://ri.abcbrasil.com.br/Download.aspx?Arquivo=DDn5U8EwyCa3p3CV2J2e6g==

    Resultado Excelente. Crescimento nas receitas, no lucro bruto, lucro operacional e lucro antes dos impostos. Despesas operacionais baixas. Sendo assim, o resultado só poderia ser esse mesmo, Lucro com crescimento de 20,11% em relação ao 1T13 e uma margem líquida ótima.

    Curtir

  4. Resultados 4T13 e 2013
    LL 76,2MM +27,8% x 4T12 / 2013 LL 268,7MM + 18,4% x 2012

    -> O Lucro Líquido atingiu R$ 268,3 milhões em 2013, apresentando crescimento de 18,4% em relação a 2012 (R$ 226,6 milhões). No 4T13 o lucro foi de R$ 76,2 milhões, o que representa um aumento de 13,1% em relação ao 3T13 (R$ 67,3 milhões) e de 27,8% em relação ao 4T12 (R$ 59,6 milhões).
    -> O Retorno anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) atingiu 14,9% a.a. em 2013, aumentando 0,6 p.p. em relação a 2012 (14,3% a.a.). No 4T13 o ROAE foi de 16,1% a.a., aumentando 1,3 p.p. em relação ao 3T13 (14,8% a.a.) e 1,7 p.p. em relação
    ao 4T12 (14,4% a.a.).
    -> A Carteira de Crédito Expandida* encerrou 2013 com saldo de R$ 17.782 milhões, apresentando crescimento de 16,1% no ano e de 5,4% no trimestre. No segmento Corporate, apresentou crescimento de 17,4% no ano e de 5,1% no trimestre, e no segmento Empresas, apresentou crescimento de 8,1% no ano e de 7,5% no trimestre.
    -> A qualidade da carteira continua elevada, com 96,8% das operações classificadas entre AA-C ao final de 2013 (Resolução 2.682 do Banco Central)

    Curtir

  5. BANCO ABC BRASIL S.A.
    CNPJ/MF nº 28.195.667/0001-06
    Companhia Aberta
    AVISO AOS ACIONISTAS

    AUMENTO DE CAPITAL MEDIANTE SUBSCRIÇÃO PARTICULAR DE AÇÕES.
    Banco ABC Brasil S.A. (“Companhia”), vem a público comunicar aos Senhores Acionistas e ao Mercado que, em reunião do Conselho de Administração realizada em 26 de dezembro de 2013, foi aprovado o aumento do capital social dentro do limite autorizado da Companhia, no valor de até R$ 37.065.000,00 (trinta e sete milhões e sessenta e cinco mil Reais) mediante emissão de até 3.810.370 novas ações, sendo 1.951.267 ações ordinárias e 1.859.103 ações preferenciais, com a utilização de crédito dos juros sobre capital próprio deliberados nesta data ou em moeda corrente nacional.

    A emissão será feita através de subscrição particular, de acordo com os seguintes termos e condições:

    1. Os acionistas poderão exercer o direito de preferência na subscrição de ações na proporção de 2,647665% sobre a posição acionária que possuírem em 30/12/2013, inclusive, no prazo de 30 (trinta) dias iniciando-se portanto em 02/01/2014 e terminando em 31/01/2014;

    1.1. A data base da posição acionária que será considerada para o pagamento do JCP (dia 30/12/2013) será a mesma data base que será considerada para o direito de preferência na subscrição (dia 30/12/2013);

    2. As ações adquiridas a partir de 02/01/2014, inclusive, não farão jus ao direito de preferência (negociação ex-subscrição);

    3. Os acionistas com ações custodiadas na Central Depositária BM&FBOVESPA, deverão exercer seus direitos de subscrição nos respectivos Agentes de Custódia até o dia 29/01/2014;

    4. Para os acionistas com ações custodiadas no Itaú Unibanco S.A. (Custodiante), os boletins de subscrição estarão disponíveis nas agências especializadas no período de 02/01/2014 a 31/01/2014, sendo que uma via do boletim será enviada pelos Correios para aqueles com endereço atualizado nos registros do Custodiante;

    5. Os endereços das agências especializadas podem ser consultados no site do Custodiante: http://www.itaucustodia.com.br ou pelo telefone (11) 3003-9285;

    6. O direito de preferência poderá ser livremente cedido a terceiros, nos termos do art. 171, § 6º da Lei nº 6.404/76;

    7. O preço de emissão por ação (ordinária e preferencial) é de R$ 9,727400, fixado com base na média ponderada das cotações das ações preferenciais negociadas nos últimos 10 pregões, com aplicação de deságio de 20%. A utilização da cotação de mercado das ações preferenciais como critério para determinação do preço de emissão, tanto de ações preferenciais quanto das ações ordinárias, decorre do fato das ações ordinárias não serem negociadas em bolsa de valores. O deságio tem o propósito de incentivar os acionistas minoritários a participarem do aumento de capital;

    8. Durante o período de preferência a integralização das ações subscritas será à vista ou com a utilização de crédito dos juros sobre capital próprio (líquido de IR), devendo o acionista assinalar sua opção no Boletim de Subscrição;

    9. Caso a subscrição alcance o limite mínimo de 65% (sessenta e cinco por cento) do valor total do aumento, o mesmo poderá ser homologado em nova reunião do Conselho de Administração. Nessa hipótese, as ações não subscritas (após o leilão em Bolsa de Valores) serão canceladas;

    10. Na hipótese de haver sobras de ações não subscritas e a Companhia decidir pela homologação parcial do aumento de capital, conforme item 9 acima, os subscritores de ações emitidas no âmbito deste aumento de capital terão o direito de rever sua decisão em relação à subscrição de ações, na forma indicada em AVISO AOS ACIONISTAS a ser oportunamente divulgado.

    10.1. Assim, tendo em vista a possibilidade de homologação parcial do aumento do capital social e visando assegurar que os acionistas que desejem participar do aumento possam, no momento do exercício do direito de subscrição, condicionar sua decisão de investimento às condições finais do aumento de capital, cada acionista poderá, no ato da subscrição condicionar a subscrição do aumento que lhe cabe (a) a que haja a subscrição do valor máximo do aumento ora aprovado; (b) a receber ações em número mínimo necessário para manter suas respectivas participações no capital social da Companhia;

    10.2. Os acionistas detentores de ações ordinárias e preferenciais que queiram fazer uso dos direitos previstos neste item 10 devem fazer tal opção mediante indicação em campo próprio do Boletim de Subscrição;

    10.3. Os acionistas que optarem por reconsiderar sua decisão e tiverem subscrito ações em moeda corrente nacional receberão os valores por eles integralizados sem correção monetária;

    10.4. Presumir-se-á, na falta de manifestação expressa no Boletim de Subscrição, o interesse do acionista em manter a sua decisão de subscrição de forma integral;

    10.5. Não haverá subscrição condicionada na BM&FBOVESPA. O exercício do direito de preferência na BM&FBOVESPA importará na declaração por parte do acionista que pretende subscrever integralmente o aumento na forma e quantidade por ele declarada no ato da solicitação da subscrição, sem qualquer condição. Aqueles acionistas que tenham suas ações custodiadas na Central Depositária BM&FBOVESPA e desejarem utilizar o direito de retratação deverão exercer o direito de preferência diretamente no Itaú Unibanco S.A.

    11. O aumento de capital estará condicionado à homologação pelo Banco Central do Brasil, e será ratificado em assembleia geral de acionistas a ser realizada no futuro. As ações emitidas serão creditadas aos subscritores em até 5 (cinco) dias úteis após a homologação do aumento de capital pelo Banco Central do Brasil, o que será divulgado através de publicação de novo Aviso aos Acionistas;

    12. As ações subscritas terão direito integral aos dividendos, juros sobre capital próprio e eventuais vantagens distribuídos a partir da data da homologação do aumento de capital pelo Conselho de Administração;

    13. O aumento de capital tem por objetivo reforçar a capitalização da Companhia, diante das expectativas de crescimento do volume de operações de crédito, bem como o de manter os índices de liquidez em níveis elevados.

    Procedimentos relacionados às sobras:

    1. Após o término do período para o exercício de preferência, no caso de sobra de ações, será aberto um período adicional de 5 (cinco) dias úteis para subscrição das mesmas, na forma de rateio entre os acionistas que houverem manifestado, no Boletim de Subscrição a intenção de participarem nas sobras, sendo certo que as participações nas sobras observarão a proporção da subscrição exercida em cada classe de ações;

    2. A subscrição de sobras de ações será integralizada à vista, em moeda corrente nacional;

    2.1. Os acionistas com ações custodiadas na Central Depositária BM&FBOVESPA, deverão exercer seus direitos de subscrição nas sobras junto aos respectivos Agentes de Custódia;

    2.2. Para os acionistas com ações custodiadas no Itaú Unibanco S.A. (Custodiante), deverão exercer seus direitos de subscrição nas sobras junto às agências especializadas do Custodiante;

    3. Na hipótese de ações remanescentes, não subscritas durante o período adicional mencionado no item anterior (sobras das sobras), estas ações remanescentes serão vendidas por meio de leilão a ser realizado na BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros, conforme disposto no art. 171, § 7º, da Lei nº 6.404/76;

    4. Alcançado o valor do limite mínimo do valor total do aumento (65%) as ações não subscritas (apuradas após o leilão em Bolsa de Valores) serão canceladas;

    5. O valor apurado em leilão, que ultrapassar o valor da subscrição, será creditado à Companhia.

    Cronograma estimado:

    Período de subscrição: de 02/01/2014 a 31/01/2014;

    Período adicional para subscrição de sobras: 10/02/2014 a 14/02/2014;

    Pagamento de Juros sobre Capital Próprio referente aos 3º e 4º trimestres de 2013 aos acionistas que não optarem pela utilização do crédito para integralização das ações: 11/02/2014 (valor bruto por ação: R$ 0,303);

    Os recibos de subscrição serão negociáveis a partir de 12/02/2014;

    Reunião do Conselho de Administração para deliberar sobre a homologação do aumento de capital: data a ser definida.

    Curtir

  6. Resultados 3T13

    Lucro líquido R$ 67,3 M +22,2% 3T13 x 3T12

    -> O lucro líquido atingiu R$ 67,3 milhões no terceiro trimestre de 2013, apresentando crescimento de 4,0% em relação ao 2T13, quando o lucro registrado foi de R$ 64,7 milhões, e de 22,2% em relação ao lucro de R$ 55,1 milhões registrado no mesmo período do ano anterior. A variação do lucro líquido do banco em relação ao trimestre anterior é decorrente, principalmente, (i) do aumento da margem financeira gerencial, (ii) da menor despesa com provisão para devedores duvidosos e (iii) do eficaz controle das despesas, que se mantiveram estáveis no trimestre.
    ->O Retorno anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) atingiu 14,8% a.a. no 3T13, aumentando 0,2 p.p. em relação ao 2T13 (14,6% a.a.) e 1,0 p.p. em relação ao 3T12 (13,8% a.a.).
    -> A carteira de crédito expandida engloba a carteira de empréstimos, garantias prestadas e títulos privados. Apresentou crescimento de 13,3% nos últimos doze meses e manteve-se estável no terceiro trimestre de 2013. No segmento Corporate (empresas de grande porte com faturamento anual acima de R$ 400 milhões), a carteira de crédito expandida atingiu o saldo de R$ 14.693 milhões ao final do terceiro trimestre de 2013, apresentando crescimento de 13,6% nos últimos 12 meses e de 0,6% no 3T13. No segmento Empresas (empresas de médio porte, com faturamento anual entre R$ 30 milhões e R$ 400 milhões), a carteira de crédito expandida atingiu o saldo de R$ 2.176 milhões ao final do terceiro trimestre de 2013, apresentando crescimento de 11,8% nos últimos 12 meses e redução de 4,1% no 3T13.

    Curtir

  7. Boa tarde Tetzner.

    Ainda estou estudando bancos então fui comparar alguns pequenos com os grandes e este ABC em números é interessante. O que não me agrada é a falta de liquidez e free float nas ordinárias. A única opção acaba sendo as preferenciais, mas não me sinto confortável em estar numa posição diferente da dos controladores. O que você me diz sobre isso? É algo irrelevante?

    Valeu.

    Curtir

  8. O Banco ABC Brasil registrou Lucro Líquido de R$ 226,6 milhões em 2012

    O Lucro Líquido atingiu R$ 226,6 milhões em 2012, apresentando redução de 4,0% em relação a 2011 (R$ 236,0 milhões). No 4T12 o lucro foi de R$ 59,6 milhões, o que representa um aumento de 8,1% em relação ao 3T12 (R$ 55,1 milhões).

    A Carteira de Crédito Expandida* encerrou 2012 com saldo de R$ 15.318,1 milhões, apresentando crescimento de 16,3% no ano e 2,9% no trimestre. No segmento Corporate o crescimento foi de 17,0% no ano e 1,9% no trimestre, e no segmento Middle a carteira cresceu 12,0% no ano e 9,7% no trimestre.

    O Retorno anualizado sobre o Patrimônio Líquido (ROAE) atingiu 14,3% a.a. em 2012, diminuindo 2,3 p.p. em relação a 2011 (16,6% a.a.). No 4T12 o ROAE foi de 14,4% a.a., aumentando 0,6 p.p. em relação ao 3T12 (13,8% a.a.) e diminuindo 2,0 p.p. em relação ao 4T11 (16,4% a.a.).

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s