BHGR – BHG S.A. – BRAZIL HOSPITALITY GROUP

BHGR3

RI: ri@bhg.net

Site: http://www.bhg.net/ri/

Somos uma companhia focada na administração de hotéis e investimento em imóveis hoteleiros na América do Sul, com foco no Brasil. Atualmente, conforme o Relatório Jones Lang LaSalle Hotels, somos a 3ª maior operadora de hotéis no mercado brasileiro em número de quartos. Dos 34 hotéis que operamos atualmente, equivalentes a aproximadamente 6.700 quartos, 19 hotéis, equivalentes a aproximadamente 3.400 quartos, são próprios e 15 são de terceiros. Adicionalmente, temos participação minoritária em outros 3 hotéis que não operamos.

Temos como foco de atuação o mercado de turismo de negócios, de modo que buscamos a administração de hotéis principalmente em centros urbanos, sendo que a maior parte dos hotéis que administramos está localizada nas principais regiões metropolitanas do Brasil como São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Salvador, Recife, Belém, Porto Alegre e Curitiba. Buscamos estar presentes em regiões com alta demanda por hotéis de negócios e que demonstram forte fluxo de hóspedes e viajantes durante o ano inteiro. Também buscamos estar presentes em mercados com forte crescimento, em especial aqueles nos quais são ou serão investidos recursos estatais ou privados, que demonstram boa tendência de desenvolvimento orgânico e que acreditamos que se beneficiarão de fatores específicos, tais como eventos esportivos, aumento em atividades de negócios ou por desenvolvimento de recursos naturais. Inclusive, uma das consequências de nosso foco de atuação estar voltado para o turismo de negócios é a baixa sazonalidade com relação a nossos negócios quando comparada à sazonalidade de concorrentes que operam hotéis com foco puramente de lazer.

Nossa forma de atuação, sempre visando ao crescimento de nossos resultados financeiros e operacionais e ao fortalecimento de nossa presença no país mediante a expansão de nosso portfólio, engloba três diferentes estratégias:

Aquisição de hotéis, que passam a ser administrados por nós;
Administração de hotéis de propriedade de terceiros; e
Desenvolvimento de novos hotéis em locais estratégicos.
Administramos nossos hotéis principalmente por meio das marcas da rede Golden Tulip, mundialmente reconhecidas. A utilização das marcas da Golden Tulip – Royal Tulip, Golden Tulip e Tulip Inn – nos é garantida por um contrato de licenciamento que firmamos, por meio de nossa subsidiária integral LA Hotels Empreendimentos 1 Ltda., com a GT Investments B.V., empresa detentora das referidas marcas, que é parte da 8ª maior cadeia de hotéis do mundo, possuindo mais de 1.000 hotéis em 40 países. O contrato, renovado em 2010, nos garante a utilização das marcas com exclusividade no Brasil, Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Bolívia, Colômbia, Equador, Venezuela e Peru, por um prazo de 15 anos, renováveis por outros 10 anos. Também temos acesso à rede de distribuição internacional e aos programas globais de fidelidade Golden Tulip, conhecidos como Flavours e Ambassador Club. Acreditamos que as marcas Golden Tulip nos associam a um padrão operacional elevado e com reconhecimento mundial. O contrato com a GT Investments B.V. nos permite operar hotéis sob outras marcas. Por exemplo, temos acesso à marca Txai, de categoria super luxo, que utilizamos em um dos resorts que administramos, possuindo ainda o direito de utilizar a marca Txai em futuros empreendimentos hoteleiros nos próximos 10 anos.

Além dos hotéis que possuímos e/ou operamos, somos proprietários de 16 terrenos costais, localizados em 7 estados do Brasil, com valor contábil de R$157,8 milhões, em 30 de junho de 2011. Conforme consta do “Histórico” abaixo, nosso modelo de negócios surgiu da união entre a InvestTur e a LAHotels S.A., ocorrida em fevereiro de 2009. Os terrenos, que hoje são de nossa propriedade, foram adquiridos anteriormente a essa união, pela InvestTur, que tinha como principal negócio o desenvolvimento de empreendimentos hoteleiros e de segunda residência em terrenos costais.

Nossa estratégia atual com relação aos terrenos mencionados acima é monetizá-los, seja por meio de sua venda em condições favoráveis ou por meio de sua utilização para o desenvolvimento de novos empreendimentos hoteleiros. Seguindo essa linha de estratégia, em julho de 2009 alienamos um de nossos terrenos situado em São Paulo, cujo valor contábil era de R$45,6 milhões em 31 de dezembro de 2010, recebendo, em contrapartida, participação de 29,75% no projeto imobiliário a ser realizado no terreno. Em dezembro de 2010, assinamos um acordo de antecipação do recebimento de nossa participação no referido projeto imobiliário, totalizando o valor de R$52,4 milhões, o que representou uma apreciação de 14,9% do valor contábil do terreno. Adicionalmente, estamos desenvolvendo empreendimentos de segundas residências em três de nossos terrenos costais, situados na Bahia e em Santa Catarina, que serão ancorados em hotéis com bandeira Txai administrados por nós.

Anúncios

7 comentários sobre “BHGR – BHG S.A. – BRAZIL HOSPITALITY GROUP

  1. Resultados do 1º Trimestre de 2014
    LL R$ -2,62 M -33,2% x 1T13

    DESTAQUES

    • A Receita Operacional Bruta do negócio de hotelaria totalizou R$ 71,2 milhões no 1º trimestre de 2014, superior em 10,6% em relação ano anterior, devido principalmente à entrada em operação do hotel Marina Palace, impactando a receita de hospedagem e de alimentos e bebidas (A&B). Na comparação same store sales, que desconsidera o impacto do Marina Palace e do Tulip Inn Centro de Convenções no resultado, antes contabilizado como receita de aluguel, essa receita foi de R$ 62,3 milhões, uma redução de 3,2% ou R$ 2,0 milhões, em função principalmente dos quartos bloqueados no período para reforma, além do pior desempenho de mercado, em especial do mercado hoteleiro do Rio de Janeiro, onde temos maior presença.

    • Os indicadores operacionais da Companhia apresentaram resultados praticamente em linha com o 1T13. Nesse trimestre o RevPar aumentou 1,4% em relação ao mesmo período do ano passado, com aumento de 4,0% da Diária Média e queda de 1,6 p.ps. da taxa de ocupação em relação a 2013.

    • O EBITDA Hoteleiro atingiu R$ 18,9 milhões no 1T14, 9,2% menor em relação ao 1T13. A Margem EBITDA Hoteleiro atingiu 29,8%, apresentando uma redução de 5,7 p.ps. se comparado aos 35,5% verificados em 1T13.

    • O EBITDA Consolidado totalizou R$ 14,9 milhões em 1T14, representando um decréscimo de 6,1% em relação ao ano passado. A Margem EBITDA atingiu 23,5%, 3,6 p.ps. inferior àquela de 2013 que foi de 27,1%.

    • Nesse trimestre, a Companhia obteve Prejuízo Líquido de R$ 2,6 milhões, versus um prejuízo de R$ 3,9 milhões em 1T13.

    • A posição de disponibilidades e recebíveis por alienação de investimento ao final do 1T14 somaram R$ 120,0 milhões em função dos recursos da Oferta de Ações Primária da Companhia. A dívida bruta somada às contas a pagar por aquisição de investimento totalizaram de R$ 304,4 milhões. A dívida líquida*(ou caixa líquido negativo) totalizou R$ 184,4 milhões ao final do período, refletindo a saudável posição de liquidez da Companhia. * Caixa líquido: (disponibilidades + recebíveis) – (dívida bruta + contas a pagar por aquisição de investimento)

    http://www2.bhg.net/bhg/web/download_arquivos.asp?id_arquivo=E75528D7-CE7C-4E36-A2D7-6B7E987D7359

    Resultado Péssimo. Melhoraram um pouco o resultado em relação ao trimestre anterior, mas ainda assim, tiveram prejuízo. É aquela história, não adianta ter grandes receitas, se os custos e despesas estão altos. A depreciação e amortização, além dos impostos a deduzir, também pesaram. Resultado? A maior parte da receita é consumida, levando ao prejuízo.

    Curtir

  2. Resultados 4T13 e 2013
    LL 6,3MM +200% x 4T12 // LL2013 2MM -131% x 2012

    A Receita Operacional Bruta do negócio de hotelaria totalizou R$266,0 milhões no ano de 2013, superior em 7,5% em relação ano anterior, devido principalmente ao crescimento no RevPar, alimentos e bebidas (A&B) e aluguéis entre os períodos.
    • Os indicadores operacionais da Companhia apresentaram resultados positivos de crescimento no acumulado do ano. No ano de 2013, o RevPar cresceu 5,2% em relação ao mesmo período do ano passado, com aumento de 3,9% da Diária Média e
    0,8p.p. da taxa de ocupação em relação ao ano de 2012.
    • O EBITDA Hoteleiro atingiu R$82,0 milhões no ano de 2013, 7,1% superior ao ano de 2012. A Margem EBITDA Hoteleiro atingiu 34,5%, apresentando um crescimento de 0,6 p.p. se comparado aos 33,9% verificados em 2012. A margem do EBITDA
    hoteleiro no 4T13 foi de 37,6%, 1,8 p.p. acima dos 35,8% do 4T12.

    • O EBITDA Consolidado totalizou R$68,6 milhões em 2013, representando um aumento de 12,3% em relação ao ano passado. A Margem EBITDA atingiu 28,9% no ano, 1,8 p.p. superior àquela de 2012 que foi de 27,1%. A margem do EBITDA
    Consolidado no 4T13 foi de 36,7%, 7,7 p.p. acima dos 29,0% do 4T12.

    • No ano de 2013, a Companhia obteve Lucro Líquido de R$2,0 milhões, versus um prejuízo de R$6,3 milhões em 2012. No 4T13, o lucro Líquido foi ainda maior, atingindo R$6,3 milhões, frente a R$2,1 milhões do 4T12.

    • A posição de disponibilidades e recebíveis por alienação de investimento ao final do 4T13 somaram R$388,9 milhões em função dos recursos da Oferta de Ações Primária da Companhia. A dívida bruta somada às contas a pagar por aquisição de
    investimento totalizaram de R$287,7 milhões. O caixa líquido* foi positivo em R$1,2 milhão ao final do período, refletindo a saudável posição de liquidez da Companhia.

    Curtir

  3. Resultado 3T13
    LL 3,3M +346% x 3T12

    · A Receita Operacional Bruta do negócio de hotelaria totalizou R$191,3 milhões no acumulado do ano de 2013, superior em 8,4% em relação aos 9M12, devido principalmente ao crescimento no RevPar de 4,3%, do aumento das receitas de Alimentos e Bebidas (A&B) e da taxa de administração entre os períodos.
    · Os indicadores operacionais da Companhia apresentaram resultados positivos de crescimento no acumulado do ano. No 9M13, o RevPar cresceu 4,3% em relação ao mesmo período do ano passado, com aumento de 4,9% da Diária Média e taxa de
    ocupação praticamente em linha com o ano passado.
    · O EBITDA Hoteleiro atingiu R$57,4 milhões no acumulado de 2013, 8,0% superior ao mesmo período de 2012. A Margem EBITDA Hoteleiro atingiu 33,4%, apresentando um crescimento de 0,3 p.p. se comparado aos 33,1% verificados em 2012. A margem
    do EBITDA hoteleiro no 3T13 foi de 35,5%.
    · O EBITDA Consolidado totalizou R$44,6 milhões nos 9M13, representando um aumento de 5,8% em relação ao mesmo período do ano passado. A Margem EBITDA atingiu 26,0% no acumulado ano, 0,3 p.p. inferior a 2012 (26,3%). A margem do EBITDA Consolidado no 3T13 foi de 27,9%.
    · No acumulado do ano de 2013, a Companhia obteve Prejuízo Líquido de R$4,3 milhões, sendo que o 3T13 apresentou lucro líquido de R$3,3 milhões.
    · A posição de disponibilidades e recebíveis por alienação de investimento ao final do 3T13 somaram R$326,3 milhões em função dos recursos da Oferta de Ações Primárias da Companhia. A dívida bruta somada às contas a pagar por aquisição de
    investimento totalizaram de R$292,7 milhões. O caixa líquido foi positivo em R$33,6
    milhões ao final do período.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s