ALPA – ALPARGATAS S.A.

ALPA3

RI: ri@alpargatas.com.br

Site: http://ri.alpargatas.com.br/

A Alpargatas é a maior empresa brasileira de calçados da América Latina. Sua estratégia de crescimento é focada na gestão de marcas que são um ativo de natureza competitiva e estratégica, pois asseguram participação de mercado, estimulam o consumo e influenciam a capacidade de vender um determinado produto por um certo preço.

Ao associar suas marcas a produtos inovadores e de qualidade, desenvolvidos graças ao seu talento para identificar as necessidades e os anseios dos consumidores, a Alpargatas mantém a liderança/dominância nos segmentos de mercado em que atua.

Juntas, Havaianas e Dupé lideram o mercado nacional de sandálias. Ao completar seu cinquentenário em 2012, Havaianas é a marca brasileira de bem de consumo com maior reconhecimento internacional. A Topper domina o mercado brasileiro de artigos para futebol, é a primeira marca de calçados esportivos da Argentina. A Mizuno é líder em tênis de corrida de alta performance e a Timberland, em calçados premium outdoor. Completa esse portfólio a Rainha, marca mais tradicional de artigos esportivos do País. As botas Sete Léguas são reconhecidas pela sua inovação e qualidade em equipamentos de proteção individual.

Para gerar mais valor aos seus negócios, a Alpargatas atua também no varejo. Em 2012, havia 448 lojas Havaianas, Timberland, Topper, Meggashop e Alpaline localizadas no Brasil, na Argentina, na Europa, nos Estados Unidos, na Ásia e na África.

Em 2012, a aquisição da Osklen foi um passo relevante para a criação da maior empresa nacional de moda lifestyle de luxo, que será referência no Brasil e no exterior.

A fabricação dos calçados é realizada em cinco unidades industriais brasileiras e cinco argentinas. Trabalham no grupo de empresas Alpargatas 18,4 mil pessoas, cujo empreendedorismo fez com que a receita líquida de vendas chegasse a 3 bilhões de reais em 2012, valor 15% maior que o de 2011.

A Alpargatas é listada na Bolsa de Valores de São Paulo há 100 anos e faz parte do grupo de empresas Nível 1 de Governança Corporativa diferenciada da BM&FBovespa. Controlada pela Camargo Corrêa S.A., possui 6,5 mil acionistas. Com a valorização de 38% em 2012, as ações preferenciais apresentaram expressivo avanço em relação à alta de 5% do índice Ibovespa.

A Alpargatas possui investimentos relevantes em empresas que contribuem para a consolidação de resultados, que progridem a cada ano. A Alpargatas Argentina, a Alpargatas USA e a Alpargatas Europa exercem um papel importante no processo de internacionalização das operações da Companhia. A responsabilidade social fica a cargo do Instituto Alpargatas, que tem como objetivo contribuir para melhorar a qualidade da educação de crianças e adolescentes por meio de práticas esportivas em todas as comunidades com as quais interage.

Anúncios

9 comentários sobre “ALPA – ALPARGATAS S.A.

  1. Alpargatas anuncia resultado do 2T15

    A Alpargatas contabilizou lucro líquido de R$ 46 milhões no 2T15, avanço de 101,8% em em comparação com o 2T14. A receita líquida da empresa cresceu 14%, na mesma base de comparação, para R$ 996,9 milhões.

    O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) avançou 40,1%, para R$ 102,7 milhões. A margem Ebtida avançou 1,9 ponto percentual, para 10,3%. Ainda de acordo com a empresa, no período, a companhia registrou um ganho de R$ 20,8 milhões com valorização das moedas das operações internacionais e com a queda no custo, em dólar, das commodities (borracha e algodão)

    Curtir

  2. 3T14

    A Alpargatas mostrou recuperação da receita no 3T14, após resultado ruim no 2T14. A retomada do volume interno, principalmente de sandálias, foi preponderante para esta melhora. Receita e lucro bruto em linha com as estimativas da Consultoria. Despesas menores do que a expectativa levaram EBIT, EBITDA e lucro líquido a terem sido superiores às estimadas.

    Mercado interno: o volume de vendas avançou 13,6%, impulsionado pelo forte crescimento de 15,3% das sandálias havaianas e dupé, no 3T14 frente ao 3T13. A linha de roupas da Havaianas também apresentou boa aceitação pelos consumidores também contribuiu para o crescimento do volume de vendas. As vendas de calçados esportivos mostraram recuperação a partir de meados de agosto, principalmente pelo consumo mais forte de calçados running e casual após o término da Copa do Mundo, mas ainda ficou em níveis inferiores se comparado o acumulado no ano de 2014 frente ao mesmo período de 2013.

    A margem bruta das operações no mercado interno foi negativamente impactada pelo aumento de 2,7% no custo da borracha em reais, por um pior no mix de produtos vendidos e pelo maior volume de vendas de sandálias nos canais atacadistas e distribuidores. No sentido oposto, a Alpargatas conseguiu otimizar as despesas, que representaram 30,2% da receita líquida do 3T14, enquanto no 3T13 representaram 31,4% da receita líquida.

    No somatório dos efeitos acima o EBITDA caiu 12,5%, para R$ 85,0 milhões no 3T14, enquanto o a margem EBITDA passou para 13,3%, 2,5 p.p. abaixo da margem obtida no 3T13.

    Mercado externo: surpreendentemente, o desempenho das operações na Argentina foi muito bom apesar do cenário macroeconômico desafiador. No acumulado dos 9M14 a Alpargatas conseguiu crescer 47,1% a receita líquida em pesos e 4,5% em reais, muito em função da recomposição de preços e com crescimento da exportação de calçados da marca Topper para o Uruguai, Paraguai e Bolívia. No mesmo período a Alpargatas conseguiu começar a colher os frutos da reestruturação das operações argentinas e obteve forte incremento de margens. No 3T13 a margem EBITDA foi de 5,6% e no 3T14 saltou para 14,2%.

    A venda de sandálias no mercado externo continuou a sua trajetória de alta. No entanto, as margens foram impactadas pelo aumento das exportações para países que compram sandálias de menor valor agregado. Adicionalmente, a Alpargatas registrou maiores despesas com propaganda e abertura de lojas no exterior no 3T14 frente ao 3T13. No acumulado dos 9M14, os efeitos positivos do primeiro semestre mais do que compensaram os negativos do 3T14, levando ao incremento 69,3% no EBITDA e margem EBITDA 5,4 p.p. superior à dos 9M13.

    A reversão do resultado financeiro líquido foi função da queda da receita financeira e maior ajuste a valor presente de operações estruturadas de capital de giro. Este efeito foi parcialmente compensado por uma menor alíquota efetiva de IR/CSLL em função de um efeito de tributação de controlada que possui regime fiscal diferenciado. No somatório de todos os fatores expostos acima, o lucro líquido caiu na comparação trimestral e no acumulado do ano.

    Por fim, na teleconferência o presidente da Alpargatas mostrou confiança em um forte resultado no 4T14, principalmente no mercado interno de sandálias. Em outubro houve crescimento de 10% do volume de vendas neste segmento, frente a outubro de 2013.

    Curtido por 1 pessoa

  3. Resultado 1T14
    LL 116,6 M +26,3% x 1T13

    Forte crescimento da receita líquida e maior produtividade fazem o lucro líquido crescer 26,3%

    Excelente resultado, aumetaram as receitas, reduziram as despesas operacionais, e elevaram os ganhos financeiras.

    Curtir

  4. Resultado 4T13 e 2013
    LL 73MM +10% x 4T12 // LL2013 310MM +11% x 2012

    Negócios nacionais: houve forte evolução do negócio de Artigos Esportivos na comparação com 2012, com aumento de 16,1% no volume de vendas de calçados, cujos destaques foram: (i) alta de 33% no volume de Mizuno, líder de vendas nos principais canais de distribuição de artigos esportivos; (ii) incremento de 11% nas vendas de Rainha, que, com coleções mais esportivas, ganhou espaço no varejo especializado de artigos esportivos; e (iii) acréscimo de 27% no volume de vendas de calçados Timberland para o canal multimarcas. Havaianas continuou a liderar o mercado de sandálias e, no quarto trimestre, voltou a crescer, registrando volume 12,5% maior que o do 4T12. No Brasil, a receita líquida subiu 11,8% em 2013, provocando acréscimos de 9,5% no lucro bruto e de 19% no EBITDA.
    • Negócios internacionais: as vendas externas de sandálias contabilizaram crescimentos expressivos de 10,4% no volume, 26,2% na receita, 37,5% no lucro bruto e 70,9% no EBITDA, na comparação com 2012. A ampliação do varejo prosseguiu com a abertura de lojas na Europa e nos Estados Unidos. Na Argentina, houve melhora do desempenho da Alpargatas Argentina, com avanço de 7,6% nas vendas de calçados esportivos, liderado por Topper, que contribuiu para a receita evoluir 15,2%.

    Curtir

  5. Resultado 3T13
    LL 74,5M +0,5% x 3T12

    -> A receita líquida consolidada alcançou R$ 2.461 milhões nos 9M13, alta de 13,4% na comparação
    com o mesmo período de 2012. Desse montante, R$ 865 milhões foram contabilizados no 3T13,
    valor 8,9% superior ao do 3T12. A evolução no acumulado em nove meses em relação ao ano
    anterior é decorrente dos aumentos de:
    ->11,6% na receita dos negócios nacionais.
    ->12,2% no faturamento em reais da Alpargatas Argentina (+ 27% em pesos).
    ->25,1% na receita do negócio internacional de sandálias (+ 22% em dólar e + 23% em euros)
    ->O lucro bruto consolidado acumulou R$ 1.044,8 milhão, valor 13,2% maior que o dos 9M12 em decorrência dos aumentos da lucratividade no mercado doméstico e dos negócios internacionais de sandálias, conforme explicado nos itens 1.3. e 2.2.3, respectivamente. A margem bruta consolidada, de 42,5%, ficou estável em relação à alcançada nos 9M12. A rentabilidade bruta do terceiro trimestre também apresentou evolução. O lucro bruto, de R$ 354,2 milhões, saltou 10% na comparação com o do 3T12, e a margem, de 41%, foi 0,4 p.p. maior.
    -> Em nove meses, o EBITDA consolidado somou R$ 358,2 milhões, montante 26% maior que o dos 9M12, e a margem alcançou 14,6%, crescimento de 1,5 p.p. em relação à dos 9M12.
    -> No acumulado até setembro, a Alpargatas registrou lucro líquido consolidado de R$ 237,4 milhões, dos quais R$ 74,5 milhões foram contabilizados no 3T13, com margem líquida de 9,6% (8,6% no 3T13). O montante dos 9M13 é 11,1% maior que os R$ 213,7 milhões do mesmo período do ano anterior e o do 3T13 é 0,5% superior ao do 3T12.
    -> As principais adições/subtrações que explicam a variação do lucro líquido em nove meses foram: EBITDA: (+) R$ 74 milhões.
    ->Resultado financeiro: (-) R$ 18,4 milhões devido: (i) à diminuição da receita financeira provocada pela queda de 1 p.p. na taxa que remunera a aplicação do caixa e pela redução de R$ 21 milhões no valor médio do caixa aplicado e; (ii) ao aumento da despesa financeira por causa do maior volume de empréstimos.
    -> Imposto de renda: (-) R$ 10,7 milhões em razão da maior geração de lucro no período.
    -> Equivalência patrimonial das coligadas: (+) 0,9 milhão. Nos 9M13, a Tavex trouxe uma equivalência negativa R$ 0,6 milhão menor que a dos 9M12.
    -> Em 30 de setembro de 2013 o endividamento financeiro consolidado da Alpargatas totalizava R$521,4 milhões, sendo R$ 324,7 milhões denominados em reais e R$ 196,7 milhões denominados em moeda estrangeira.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s