RNAR – RENAR MACAS S.A.

 

BMFBovespa: RNAR3

A missão da Renar, é prover alimentos através de ações sustentáveis e de pioneirismo, com compromissos de qualidade, construindo uma companhia de valor.

Focando seus investimentos nas necessidades de cada cliente, provendo qualidade, inovação e saúde, com um forte sentido de respeito ambiental e responsabilidade social. Aliando excelente performance operacional ao seu desenvolvimento sustentável, a Renar Maçãs busca gerar satisfação em seus colaboradores, clientes, fornecedores e acionistas.

Executando em sua prática diária a constância nos padrões conhecidos mundialmente e reconhecido por lei e pelo mercado, possui o selo de classificação ABPM e as certificações GLOBALGAP, HACCP e BRC.

Com dedicação e ousadia, respeito ao homem e ao meio ambiente, e com um compromisso com a qualidade e melhor atendimento, a Renar Maçãs se orgulha de ser considerada uma empresa cidadã e faz do compromisso de qualidade a bandeira de seu sucesso.

http://ri.renar.agr.br/renarmacas/web/default_pt.asp?idioma=0&conta=28

Anúncios

6 comentários sobre “RNAR – RENAR MACAS S.A.

  1. Renar anuncia isenção de IR para seus Investidores Pessoa Física
    Fraiburgo, 14 de julho de 2014 – A Renar Maçãs (BM&FBovespa: RNAR3), pioneira na produção e comercialização de maçãs in-natura e processadas no Brasil, em cumprimento à Instrução CVM 358, informa ao mercado que em 10/07/2014 foi publicada no Diário Oficial da União a Medida Provisória no 651 (“MP 651/14”), que define a isenção de imposto sobre a renda na alienação de ações de empresas pequenas e médias.

    Fica, portanto, isento de imposto sobre a renda o ganho de capital auferido por pessoa física na alienação de ações que tenham sido emitidas por companhias que atendam aos requisitos previstos no Artigo 16 da MP 651/14.

    A Renar Maçãs atende a todos os requisitos, e está na relação de empresas disponível na página da Comissão de Valores Mobiliários (www.cvm.gov.br), o investidor pessoa física que comprar ações da Companhia a partir da data de publicação da MP 651/14 terá a isenção, que é válida até 31/12/2023.

    A Renar Maçãs entende que a MP em questão poderá aumentar a procura pelas ações da Companhia, resultando em incremento de preço e volume de negócios.

    A companhia recomenda que os investidores afetados leiam a íntegra da MP 651/14, que está disponível no endereço eletrônico http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Mpv/mpv651.htm.

    Curtir

  2. Resultado 4T13 e 2013
    LL 4.150MM -134% x 4T12 // LL2013 7.767MM -134% x 2012

    DESTAQUES 2013

    * O EBITDA atingiu R$ 3,3 milhões em 2013, revertendo o resultado negativo de 2012, demonstrando uma tendência de forte recuperação no segundo semestre do ano. No 4T13 o EBITDA registrado foi de R$ 3,8 milhões.
    * O Lucro Líquido atingiu R$7,8 milhões em 2013 e margem líquida de 17,6%. O resultado positivo é decorrente do controle de custos, foco no aumento de rentabilidade e venda de ativos não operacionais e eventos não recorrentes.
    * O preço médio das maçãs vendidas pela Renar atingiu R$1,41 por quilo em 2013 e R$2,39 por quilo no 4T13. A recuperação de preço é consequência da eficiência comercial e da melhoria da qualidade das frutas e redução da oferta.
    * Conclusão da operação para a redução de R$ 28,3 milhões do endividamento da Renar, eliminando aproximadamente R$ 4,5 milhões de custo financeiro ao ano.

    http://www.mzweb.com.br/renarmacas/web/download_arquivos.asp?id_arquivo=55F7AC56-093D-4D10-8417-019279724AE4

    Curtir

    • Resultado Ruim. Quando se analisa os resultados é preciso ver o desempenho real da empresa. No próprio relatório, a empresa informa que o resultado positivo foi impulsionado pelas melhorias operacionais, foco em pomares de alta rentabilidade, reduções de custo e venda de ativos não operacionais e eventos não recorrentes. Ao se examinar o resultado não-operacional vê-se um crescimento absurdo em relação ao ano anterior de 2696% ocasionado por essas situações eventuais que mascaram o verdadeiro resultado. Sendo assim. ao descartarmos essa informação, percebe-se que o resultado real não foi de lucro, mas sim de prejuízo.

      Curtir

  3. Divulgação dos Resultados 3T12

    Lucro Líquido (1.122) 3T12 x (7.619) 3T11 85% em R$000

    Fraiburgo, 14 de novembro de 2012 – A Renar Maçãs (BM&FBovespa: RNAR3), pioneira na produção e comercialização de maçãs in-natura e processadas no Brasil, anuncia hoje os resultados consolidados do terceiro trimestre de 2012 (3T12). As informações operacionais e financeiras da Companhia são apresentadas com base em números consolidados, de acordo com as normas internacionais de relatório financeiro (IFRS) emitidas pelo International Accounting Standards Board – IASB e as práticas contábeis adotadas no Brasil.

    Destaques do período:

    O preço médio das maçãs vendidas pela Renar atingiu R$1,36 por quilo nos 9M12, um aumento de 28% em relação aos 9M11, em virtude principalmente dos impactos do clima. Se por um lado houve redução no volume de produção por conta da incidência de granizo, acima da média histórica (total afetado de 53% comparado ao histórico de entre 15% e 18%), por outro lado, obteve-se melhor qualidade das maçãs produzidas por conta de um inverno mais ameno e com estabilidade em temperaturas médias mais elevadas;
    Foram comercializadas 41,6 mil toneladas de fruta nos 9M12, representando 93,2% do estoque e uma redução de 10,3% no volume vendido comparado as 46,4 mil toneladas nos 9M11, nesse período o estoque totalizava 58,0 mil toneladas;
    Como resultado do maior preço, parcialmente compensado pela redução do volume vendido, a receita líquida atingiu R$15,2 milhões no 3T12 um aumento de 7% em relação ao 3T11;
    O EBITDA atingiu R$2,8 milhões e margem de 18,8% no 3T12, superando em mais de seis vezes o resultado operacional atingido no 3T11 de R$0,4 milhão e margem de 3,2%, refletindo o sucesso da estratégia adotada pela Companhia em focar em alta produtividade de seus pomares e nas vendas concentradas no segundo semestre;
    Em outubro de 2012, foi aprovado pelo Conselho de Administração a erradicação de 467 ha de pomares de menor produtividade, que contribuirá na melhora o retorno sobre os ativos, reduzindo o investimento em ativos próprios e aumentando a participação no faturamento da comercialização de frutas de terceiros.

    Curtir

  4. Fraiburgo, 1º de outubro de 2012 – A Renar Maçãs (BM&FBovespa: RNAR3), pioneira na produção e comercialização de maçãs in-natura e processadas no Brasil, anuncia que o Conselho de Administração da Companhia aprovou o plano estratégico 2012/13 que prevê a mudança do modelo de negócio de exclusivamente produtor agrícola para incluir a atividade de originador e comercializador de frutas de terceiros.
    Esse plano melhora o retorno sobre os ativos, reduzindo o investimento em ativos próprios e aumentando a participação no faturamento da comercialização de frutas de terceiros. A Companhia prevê uma redução em sua área total de cultivo em 35,8%, passando de 1.302ha para 835ha, para a safra 2012/13. As terras relacionadas aos pomares estão em processo de venda.
    “Trata-se de um importante passo para o reposicionamento estratégico da Renar. Estamos substituindo ativos com baixa rentabilidade por capital que será empregado na redução do endividamento e nas atividades de originação e distribuição (compra e venda), agregando valor e reduzindo a exposição aos eventos climáticos e melhorando o retorno ao acionista”, comentou Walter Barbosa, Diretor-Presidente da Renar Maçãs.
    Como resultado dessa iniciativa, a Companhia deve apresentar os seguintes efeitos em seu resultado e balanço patrimonial: (i) redução de aproximadamente R$ 9,0 milhões de necessidade de capital de giro na operação de cultivo e produção dos pomares para a safra 2012/13, (ii) despesas não-recorrentes e sem efeito caixa por conta da baixa de ativos (desmobilização dos pomares) no montante de R$4,4 milhões (valor a ser revisado com base no valor residual das áreas erradicadas + estoque em formação 2012/13), (iii) Redução de aproximadamente 17.000 toneladas de frutas de produção própria e (iv) Aumento da representatividade da fruta de terceiros de 5% na safra 2012 para 20% na safra 2013.
    O guidance para 2012 não sofrerá ajustes decorrentes da implementação do plano de estratégico anunciado.
    “Adicionalmente, esta iniciativa libera áreas para eventual inclusão no plano de desmobilização, reforçando a estrutura de caixa da empresa e reduzindo o endividamento”, complementa Henrique Roloff, diretor financeiro e de Relações com Investidores da Renar.

    Curtir

  5. Resultados 2T12

    Prejuízo R$ 5,8 milhões

    A Renar apresentou EBITDA negativo de R$9,9 milhões no 1º semestre, uma margem de -45,9% sobre a receita líquida. No 1S11 o EBITDA atingiu o valor negativo de R$3,2 milhões (margem de -13,4%). Excluindo-se o efeito de R$ 1,3 milhões de despesas não recorrentes, a Companhia registrou um EBITDA no 2T12 de (R$ 1,4 milhões).

    O resultado desfavorável no 1º semestre é consequência da redução da participação das vendas de frutas comerciais, reservadas para venda no 2º semestre e da colheita e comercialização de um
    volume acima do esperado de frutas industriais, decorrência do granizo.

    Renar registra Receita Líquida de R$12 milhões no 2T12 com fluxo de Caixa Operacional positivo de R$ 1 milhão

    O preço médio da fruta da Renar atingiu R$1,33 por quilo no 2T12. A Companhia segue sua estratégia de concentração de vendas de frutas de alta qualidade no 2º semestre (melhores preços médios) para aumentar a rentabilidade.

    O preço médio da Renar atingiu R$1,33 por quilo no 2T12, um aumento de 34% em relação ao 2T11. O preço de R$1,33 por quilo atingiu 96,2% do preço médio mensal de R$1,38 por quilo necessário para atingir a margem EBITDA de 13,6%, meta da Companhia;

    A receita líquida atingiu R$11,9 milhões no 2T12 uma redução de 14% em relação ao 2T11, devido à redução do volume vendido no 2T12, 18,6 mil toneladas no 2T11 versus 13,1 mil toneladas no 2T12;

    20 mil toneladas de maçãs (aproximadamente 60% do volume de frutas in natura) foram estocadas para venda a partir de julho, quando os preços são historicamente 40%-60% superiores à média do primeiro semestre, melhorando o preço médio e rentabilidade da Renar;

    O fluxo de caixa operacional gerado no 2T12 registrou valor positivo de R$ 1,0 milhão.
    O endividamento sofreu uma reestruturação significativa, melhorando o perfil da dívida. A dívida de curto prazo representa 16% do montante total, resultado da renegociação da dívida com

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s