LAME – LOJAS AMERICANAS S.A.

BMFBovespa: LAME3  ; LAME4

A Lojas Americanas S.A. é uma das mais tradicionais redes de varejo do país. Com mais de 80 anos de vida, a empresa conta com 648 lojas nas principais cidades do país e com 3 centros de distribuição, em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife, atuando também no comércio eletrônico, representado pela B2W – Companhia Global do Varejo. A rede comercializa mais de 60.000 itens de 4.000 empresas diferentes, o que faz com que a Lojas Americanas detenha uma grande participação do comércio brasileiro de brinquedos, bombonière, lingerie, CD’s e DVD’s.

http://ri.lasa.com.br/

Anúncios

25 comentários sobre “LAME – LOJAS AMERICANAS S.A.

  1. Lojas Americanas tem lucro de R$ 255,6 milhões no 4T16

    Apresentou lucro líquido de R$ 255,6 milhões no 4T16, superando o 4T15 em 25,2%. No acumulado de 2016, o lucro foi de R$ 211,7 milhões, 15,4% abaixo do ano anterior. A receita líquida de vendas e serviços foi de R$ 6,3 bilhões no 4T16, avançando 7,7% sobre o mesmo período do ano anterior. Em 2016, a receita foi de R$ 18,1 bilhões, superando 2015 em 1,0%.

    Curtir

  2. Lojas Americanas (LAME4): O prejuízo líquido de R$ 23,9 milhões apurado pela cia ficou menor do que o esperado por analistas. O resultado apurado pela companhia foi 25% mais baixo que os R$ 32 milhões projetados segundo a média das estimativas de sete instituições financeiras consultadas pela Agencia Estado (BTG Pactual, Citi, Credit Suisse, Deutsche Bank, Itaú BBA, Safra e Votorantim). Já o Ebitda ajustado da controladora ficou em linha com o esperado. A receita líquida de R$ 2,370 bilhões da Lojas Americanas controladora ficou de acordo com o esperado. Os analistas haviam projetado receita de R$ 2,382 bilhões.

    Curtir

    • Lojas Americanas (LAME4): O lucro líquido de R$ 50,6 milhões apurado superou as expectativas de analistas do mercado. A companhia reportou um resultado líquido positivo enquanto projeções apontavam para prejuízo no segundo trimestre de 2016. Média das estimativas de seis instituições financeiras consultadas pela Agencia Estado (BTG Pactual, Credit Suisse, Deutsche Bank, Itaú BBA, Morgan Stanley e Votorantim) apontava para um prejuízo de R$ 8,95 milhões. O Ebitda ajustado da controladora ficou acima do esperado. A Lojas Americanas reportou Ebitda ajustado de R$ 452,7 milhões na visão controladora, resultado 17% mais alto que os R$ 384 milhões previstos pelos analistas.

      Lojas Americanas (LAME4): O diretor Financeiro afirmou que a companhia busca inaugurar mais lojas em 2016 do que em 2015. Em entrevista, ele afirmou, porém, que a empresa tem mantido cautela para encontrar localidades que permitam obter rentabilidade adequada. Em 2015, foram 92 inaugurações. Este ano, a companhia informou que inaugurou 19 novos pontos de venda até o momento. Apesar do número menos intenso de aberturas do primeiro semestre deste ano, ​o executivo considerou que o ritmo é “natural” e que tradicionalmente as inaugurações se concentram mais no segundo semestre. A Lojas Americanas reportou que já tem no momento 97 lojas contratadas ou em estágio considerado avançado de negociação. No ano passado, a Lojas Americanas acabou não atingindo sua expectativa de inauguração de cerca de 140 pontos de venda. Ele reiterou, porém, a meta da companhia de abrir 800 novas lojas no período entre 2015 e 2019.

      Curtir

  3. Lojas Americanas divulga lucro de R$ 204,2 milhões no 4T15

    A Lojas Americanas divulgou lucro líquido de R$ 204,2 milhões no 4T15, recuando 31,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. No acumulado de 2015, o lucro foi de R$ 250,2 milhões, 41,5% inferior ao acumulado em 2014.

    A receita líquida de vendas e serviços do último trimestre de 2015 foi de R$ 5,8 bilhões, superando em 6,3% o 4T14. Em 2015, a receita acumulada foi de R$ 17,9 bilhões, 11,0% superior ao auferido no 12M14.

    O Ebitda (lucro antes dos juros impostos, depreciação e amortização) do 4T15 foi de R$ 1,0 bilhão, 14,4% acima na comparação com o 4T14. No 12M15, o Ebitda acumulado foi de R$ 2,5 bilhões, superando o ano anterior em 15,4%

    Curtir

  4. Lojas Americanas divulga resultados do 3T15

    LL 6,5MM -90%x3T14

    A Lojas Americanas divulgou lucro líquido de R$ 6,5 milhões no 3T15, ante R$ 65,1 milhões no 3T14. O lucro líquido para o 9M15 foi de R$ 46,0 milhões, contra R$ 131,6 milhões no 9M14.

    O Ebitda ajustado foi de R$ 526,0 milhões no trimestre encerrado em setembro, superando em 10,3% o registrado no 3T14. No acumulado do ano, o Ebitda foi de R$ 1,5 bilhão, 15,5% superior ao do 9M14.

    A receita líquida do 3T15 foi de R$ 4,0 bilhões, ante R$ 3,6 bilhões no 3T14. No acumulado de janeiro a setembro, a receita foi de R$ 12,1 bilhões, contra R$ 10,7 bilhões no 9M14.

    Curtir

    • Resultado 3T15 comentado

      A Lojas Americanas encerrou setembro de 2015 com 988 lojas, equivalentes a 901 mil m² de área de vendas, significando acréscimos de 12,6% e de 9,3%, respectivamente, na comparação com setembro de 2014.

      O faturamento líquido alcançou R$ 2,166 bilhões, cerca de 11,2% maior do que o registrado no 3T14, motivado pelo maior número de lojas e pelo aumento do preço médio dos produtos comercializados.

      A margem bruta apresentou incremento de 1,1 p.p. ante o 3T14, explicado pela maior diluição dos custos, visto a maturação das lojas com menos de um ano, e o melhor mix de produtos comercializados. Por outro lado, as despesas da atividade, como participação da receita líquida, tiveram aumento de 0,7 p.p., explicado pelos maiores gastos com dissídios e também o incremento na despesa com marketing.

      Desta forma, concluímos que a boa evolução comercial aliada com a melhor gestão das despesas foi determinante para que a geração de caixa do 3T15, expressa pelo conceito EBITDA, atingisse R$ 398 milhões, superando em 15,2% o do 3T14.

      Entretanto, o resultado financeiro líquido teve relevante piora, tendo a despesa financeira líquida registrado aumento de 48,0%. Este ficou dentro de nossa estimativa e pode ser explicado pelos seguintes fatores: aumento de 36,6% da dívida líquida, incremento dos juros sobre o endividamento e aumento dos descontos de recebíveis junto às credenciadoras de cartões.

      Em 30/09/15 a dívida líquida da Lojas Americanas atingiu R$ 4,019 bilhões. Deste total, 85% vence no longo prazo. O forte aumento da dívida se explica pelo aporte de capital na subsidiária B2W Digital e pela tomada de linha de financiamento junto ao BNDES, no valor de R$ 1,2 bilhão. O crédito do BNDES é parte do funding para o plano plurianual de investimentos, que prevê a abertura de 100 novas lojas por ano entre 2014 e 2018.

      Destacamos ainda que o resultado da Lojas Americanas seguiu sendo impactado negativamente pela fraca performance da subsidiária B2W, que registrou prejuízo, o que explica a contabilização de resultado de equivalência patrimonial negativo em R$ 59 milhões no 3T15, 125,9% maior do que o contabilizado no 3T14.

      Desta forma, concluímos que o fraco resultado financeiro aliado com o péssimo resultado da subsidiária B2W “corroeram” o bom desempenho operacional na operação das lojas físicas, tendo sido determinantes para que a Lojas Americanas registrasse no 3T15 lucro líquido de apenas R$ 7 milhões, 90% menor na comparação com o 3T14.

      Curtir

    • Tetzner

      Não vi as lojas especificas alugadas do maxr, mas achei bem interessante o case da LAME4

      Apresenta um PL de 64!!!!!!! e uma taxa de crescimento medio do lucro liquido em 3 e 5 anos respectivamente de -1,5 e 0,71. Ou seja, quem está posicionado nela está com sério risco de tomar um fumo danado. Uma hora a ficha cai e o tombo será grande. O que explica isso ? Uma delas pode ser o efeito manada.

      Agora em relação ao operacional das LAME está com um projeto de expansão das lojas, mas o resultado financeiro tá pesando (pagamento de juros) e o prejuizo de sua subsidiaria a B2W.

      Pelo menos ainda veio com lucro nesse trimestre, vamos acompanhando.

      Curtido por 1 pessoa

    • CwhiteSox

      e suspeito… que não vai demorar; elevado endividamento é o primeiro passo para uma empresa quebrar e o segundo é surgir uma crise prolongada, impacto em receitas e disparada de juros e indexadores da dívida

      parece familiar para você?

      Curtido por 1 pessoa

  5. Lojas Americanas divulga resultados 2T15

    A Lojas Americanas S.A. (LAME) divulgou receita líquida no 2T15 de R$3,97 bilhões (9,6% superior ao 2T14). No 1S15, a receita líquida da empresa ficou em R$ 8,07 bilhões (+15,0% em comparação ao 1S14). O lucro líquido da empresa no 2T15 foi registrada em R$17,3 milhões (57,3% inferior ao 2T14). O 1S15 registrou lucro líquido de R$39,5 milhões (-40,5% em relação ao 1S14).

    O EBITDA ajustado contabilizou R$490,2 milhões no trimestre (19,0% superior ao do 2T14). O 1S15 contabilizou R$944,0 milhões (melhora de 18,6% em relação ao 1S14).

    Curtir

  6. 1T15

    LL 22,2MM -14,3%x1T14

    Lojas Americanas: Em linha com as expectativas. SSS se mantém na casa de 9%.

    Receita Líquida atingiu R$ 2,1 Bi, um crescimento de 18,6% na comparação anual. Vale ressaltar que houve efeito Páscoa. Em 2015 a Páscoa ocorreu no dia 5 de
    abril, enquanto que em 2014 ocorreu no
    SSS – Vendas Mesmas Lojas se manteve no patamar de 9% nos 4 primeiros meses de 2015. Estamos vendo shoppings desacelerando com vários shoppings não
    conseguindo entregar a inflação do período, analisando o SSS. Já Lojas Americanas, segue entregando acima da inflação. A companhia reportou o SSS dos 4
    primeiros meses para expurgar o efeito Páscoa.
    Ebitda Ajustado totalizou R$ 325 MM um crescimento de 18,7% na comparação anual. Margem Ebitda da Controladora foi de 15,5% em linha com a margem do
    1T14.
    A companhia segue no seu processo de redução de custos.

    Expansão de Lojas – Com o plano de 85 anos em 5, a companhia planeja abrir 800 novas lojas no país. Em 2015, eles inauguraram 8 lojas e tem mais de 95 lojas
    contratadas ou em estágio avançado de negociação.

    Endividamento da companhia subiu de 1,4x Dívida Líquida / Ebitda no 4T14 para 1,9x no 1T15.

    A necessidade de capital de giro da companhia foi de zero dias. No 1T14 havia sido de 5 dias, apresentando um melhora, com melhoria na logística, fornecedores e
    contas a receber.

    Em suma, resultado em linha com as expectativas, com a manutenção do SSS na casa de 9%, indicando crescimento real positivo. O crescimento da abertura de
    lojas segue impulsionando o aumento da receita líquida da companhia. Seguimos otimistas com o case de Lojas Americanas, devido a maior resiliência, a menor
    dependência de crédito para crescer, ao ambicioso plano de abertura de lojas e o seu ticket médio baixo, nas casa de R$ 32.

    Curtir

    • Na situação atual até que foi muito do bom este resultado, LA mata os demais com vendas de mil e uma utilidades a preços acessíveis, boas localizações, boa logística e sempre correndo para redução de seus custos, é loja do povo, só não vejo com bons olhos esta corrida desenfreada para abrir uma cacetada de lojas no CP.

      Curtir

    • A Lojas Americanas encerrou março de 2015 com 957 lojas, equivalentes a 881 mil m² de área de vendas, significando acréscimos de 11,8% e de 9,2%, respectivamente, na comparação com março de 2014.

      O faturamento líquido alcançou R$ 2,099 bilhões, 18,6% maior do que o registrado no 1T14. O aumento do faturamento é explicado pelo maior número de lojas, pelas boas vendas de produtos relacionados com a Páscoa e pelo aumento dos preços médios dos produtos comercializados.

      A margem bruta apresentou recuo de 1,0 p.p. ante o 1T14, explicado pela menor diluição dos custos, visto o maior número de lojas com menos de um ano em funcionamento. Por outro lado, as despesas da atividade, como participação da receita líquida, tiveram queda de 2,0 p.p., explicada pelas medidas que visaram maior eficiência das operações logísticas.

      Desta forma, concluímos que o aumento do faturamento aliado à melhor gestão das despesas foi determinante para que a geração de caixa do 1T15, expressa pelo conceito EBITDA, atingisse R$ 309 milhões, superando em 48,4% à do 1T14.

      Entretanto, o resultado financeiro líquido teve relevante piora, tendo a despesa financeira líquida registrado aumento de 48,4%. Este resultado ficou dentro de nossa estimativa e pode ser explicado pelos seguintes fatores: aumento de 28,6% da dívida líquida incremento dos juros sobre o endividamento e aumento dos descontos de recebíveis junto às credenciadoras de cartões.

      Em 31/03/15 a dívida líquida da Lojas Americanas atingiu R$ 3,784 bilhões. Deste total, 89% vence no longo prazo. O forte aumento da dívida se explica pelo aporte de capital na subsidiária B2W Digital e pela tomada de linha de financiamento junto ao BNDES, no valor de R$ 1,2 bilhão. O crédito do BNDES é parte do funding para o plano plurianual de investimentos, que prevê a abertura de 100 novas lojas por ano entre 2014 e 2018.

      Destacamos ainda que o resultado da Lojas Americanas seguiu sendo impactado negativamente pela fraca performance da subsidiária B2W, que registrou prejuízo, o que explica a contabilização de resultado de equivalência patrimonial negativo em R$ 50 milhões no 1T15, ante R$ 57 milhões no 1T14.

      Desta forma, a Lojas Americanas registrou no 1T15 lucro líquido de R$ 22 milhões, 14,3% menor na comparação com o 1T14 , dentro de nossa estimativa.

      Curtir

  7. 2014

    LL 428MM -5,3% x 2013

    A Lojas Americanas encerrou dezembro de 2014 com 952 lojas, equivalentes a 876 mil m² de área de vendas, significando acréscimos de 13,6% e de 5,2%, respectivamente, na comparação com dezembro de 2014.

    O faturamento líquido alcançou R$ 8,738 bilhões, 13,2% maior do que o registrado em 2013. O aumento do faturamento é explicado pelo maior número de lojas, pelas boas vendas de produtos relacionados com as datas festivas, com destaque para o Natal, Dia das Mães e Dia das Crianças e pelo aumento dos preços médios dos produtos comercializados.

    Entretanto, a margem bruta apresentou recuo de 1,2 p.p. ante 2013, explicado pela menor diluição dos custos, visto o maior número de lojas com menos de um ano em funcionamento e o pior mix de produtos comercializados. Por outro lado, as despesas da atividade, como participação da receita líquida, tiveram decréscimo de 1,0 p.p., explicado pelas medidas que visaram maior eficiência das operações logísticas.

    Desta forma, concluímos que o aumento do faturamento aliado à melhor gestão das despesas foi determinante para que a geração de caixa expressa pelo conceito EBITDA atingisse em 2014 R$ 1,580 bilhão, superando em 13,0% à do 3T13.

    Entretanto, o resultado financeiro líquido teve relevante piora, tendo a despesa financeira líquida registrado aumento de 53,5%. Este resultado ficou pior do que nossa estimativa e pode ser explicado pelos seguintes fatores: aumento da dívida bruta, incremento dos juros sobre o endividamento e aumento dos descontos de recebíveis junto às credenciadoras de cartões.

    Em 31/12/14 a dívida líquida da Lojas Americanas atingiu R$ 3,003 bilhões, 41,5% maior do que a posição de 31/12/13. Deste total, 89% vence no longo prazo. O forte aumento da dívida se explica pelo aporte de capital na subsidiária B2W Digital e pela tomada de linha de financiamento junto ao BNDES, no valor de R$ 1,2 bilhão. O crédito do BNDES é parte do i>funding para o plano plurianual de investimentos, que prevê a abertura de 100 novas lojas por ano entre 2014 e 2018.

    Destacamos ainda que o resultado da Lojas Americanas seguiu sendo impactado negativamente pela fraca performance da subsidiária B2W, que registrou prejuízo de R$ 163,3 milhões, o que explica a contabilização de resultado de equivalência patrimonial negativo em R$ 53 milhões em 2014.

    Desta forma, a Lojas Americanas registrou em 2014 lucro líquido de R$ 428 milhões, 5,3% menor na comparação com 2013 e dentro da nossa estimativa de R$ 410 milhões.

    Curtir

  8. Lojas Americanas divulga resultado 4T14

    A Lojas Americanas divulgou o seu resultado referente ao 4T14, quando registrou lucro líquido de R$ 296,3 milhões, alta de 8,5% frente ao resultado apurado no 4T13. Na mesma base de comparação, a receita líquida avançou 20,2%, para R$ 5,47 bilhões. Com isso, a margem líquida recuou 0,6 p.p., para 5,4%, principalmente pelo pior resultado financeiro líquido, que registrou perda de R$ 326,4 milhões ante resultado negativo de R$ 248,5 milhões.

    Considerando todo o exercício de 2014, a varejista registrou lucro líquido de R$ 427,8 milhões, queda de 7,6% frente aos R$ 462,9 milhões auferidos em 2013. No mesmo tipo de confronto, a receita líquida cresceu 19,7%, para R$ 18,51 bilhões. O resultado financeiro no ano, negativo em R$ 1,78 bilhão (avanço de 41,7% ante o ano anterior), também impactou a última linha do balanço.

    Curtido por 1 pessoa

  9. (+) Lojas Americanas (LAME4): SSS permanece elevado em 10%. Surpresa foi a expansão de 800 lojas

    Receita Líquida atingiu R$ 1,948 Bi, crescimento de 13,2% YoY. Em linha com as expectativas. SSS foi de 10% no 3T14 – Mais uma vez Lojas Americanas
    demonstrando resiliência no segmento de varejo. A margem bruta da controladora foi de 32,7% da receita líquida no 3T14, um aumento de 0,3 p.p.. EBITDA
    Ajustado totalizou R$ 340,3 MM, um crescimento de margem EBITDA Ajustada 0,4 p.p. em relação ao 3T13. Lucro líquido consolidado atingiu R$ 65,1 MM no
    3T14. A companhia lançou o programa de expansão de lojas com o lançamento “85 anos em 5 – Somos Mais Brasil”. Nesse plano a companhia pretende
    inaugurar 800 novas lojas nos próximos 5 anos. Em 2014 a companhia inaugurou 59 lojas e tem mais 60 lojas contratadas. Cartão de Crédito – A companhia
    anunciou a assinatura do contrato com a BradesCard para a oferta conjunta de cartões de crédito nas lojas. Além dos cartões, a assinatura do contrato é a base
    para a criação de uma Promotora de Crédito que vai oferecer aos clientes uma variedade de seguros e serviços financeiros, como empréstimos e cartões pré
    pagos. A companhia segue entregando um crescimento real elevado. O SSS manteve-se em 2 dígitos, demonstrando que o segmento e a estratégia da
    companhia são mais resilientes que outras varejistas. Aliado a isso a companhia anunciou o programa de expansão, hoje Lojas Americanas possui 893 pontos
    de venda. A ideia é quase que duplicar em 5 anos com a abertura de 800 lojas. Achamos o ativo interessante dado o cenário macro mais adverso com
    endividamento da população, baixo crescimento, inflação e alta de juros. Mesmo assim, Lojas Americanas se mostra mais resiliente pelo sortimento e pelo
    baixo ticket médio (R$ 32), não dependente de crédito para crescer

    Curtir

  10. No dia 07/07/2014 o BNDES divulgou que financiará as empresas (LOJAS AMERICANAS (LAME4) E B2W (BTOW3) em R$ 2,66 bilhões, sendo R$ 1,2 bilhão para a Lojas Americanas e R$ 1,46 bilhão para a B2W. Ambas as companhias utilizarão os recursos, que perfazem 60% do necessário, na continuação de seus investimentos estratégicos até 2015, englobam os investimentos a abertura e reformas de lojas, implantação de novos centros de distribuição e investimentos em logística e TI.

    Curtir

  11. Resultado 1T14
    LL 25,9 M -55% x 1T13

    Efeito Páscoa
    Este ano a Páscoa ocorreu no dia 20 de Abril, enquanto no ano passado esse importante evento aconteceu no dia 31 de Março. Assim sendo, em 2014, as vendas do evento Páscoa ficaram mais concentradas no segundo trimestre, influenciando significativamente as comparações do 1T14 em relação aos resultados e saldos de balanço do primeiro trimestre do ano passado;

     Receita Bruta
    No 1T14, a receita bruta controladora atingiu R$ 2,044 bilhões, uma variação de -5,2% em relação ao 1T13. No consolidado, a receita bruta alcançou R$ 3,899 bilhões, acréscimo de 6,8% em relação à receita bruta registrada no 1T13;

     Receita Líquida
    No 1T14, a receita líquida controladora atingiu R$ 1,769 bilhão uma variação de -4,4% em relação ao 1T13. Na visão consolidada, a receita líquida cresceu 8,2%, atingindo R$ 3,392 bilhões;

     Receita Líquida “Mesmas Lojas”
    O crescimento na receita líquida “mesmas lojas” foi de 10% nos quatro primeiros meses do ano;

     Margem Bruta
    A margem bruta da controladora foi de 32,5% da receita líquida no 1T14, um aumento de 1,9 p.p.. No consolidado, a margem bruta foi de 29,3% da receita líquida, uma evolução de 1,1 p.p.;

     EBITDA Ajustado
    O EBITDA Ajustado na visão controladora totalizou R$ 273,9 milhões no 1T14 e a margem EBITDA Ajustada controladora foi de 15,5% da receita líquida, um crescimento de 0,5 p.p. em relação ao 1T13. O EBITDA Ajustado consolidado atingiu R$ 384,1 milhões no 1T14, uma margem
    EBITDA Ajustada consolidada de 11,3% da receita líquida no 1T14;

     Resultado Líquido
    O lucro líquido atingiu R$ 25,9 milhões no 1T14;

     B2W DIGITAL
     No 1T14, a receita bruta consolidada atingiu R$ 1,974 bilhão, um crescimento de 30,2% em relação ao 1T13;
     No dia 30 de abril, o CADE aprovou a operação de aumento de capital da B2W no montante total de R$ 2,380 bilhões nos termos e condições inicialmente propostos;
     Expansão
    Inauguramos 23 novas lojas até o momento e temos mais de 70 lojas contratadas ou em estágio avançado de negociação.

    http://ri.lasa.com.br/upload/1otrimestre/00006468.pdf

    Resultado péssimo, as receitas cresceram de forma moderada, com aumento nos custos das mercadorias vendidas na mesma proporção, anulando assim, o crescimento na receita, o lucro também teve impacto do aumento das despesas operacionais.

    Curtir

  12. Lojas Americanas (LAME4) ::: Resultados do 4T13: Forte Superação das Expectativas
    Receita Bruta
    Em 2013, a receita bruta controladora atingiu R$ 8,945 bilhões, um crescimento de 11,2% em
    relação a 2012. No consolidado, a receita bruta alcançou R$ 15,456 bilhões, acréscimo de 18,1%
    em relação à receita bruta registrada em 2012.
    Receita Líquida
    Em 2013, a receita líquida controladora atingiu R$ 7,716 bilhões um avanço de 12,6% em relação
    a 2012. Na visão consolidada, a receita líquida cresceu 18,2%, atingindo R$ 13,401 bilhões;
     Receita Líquida “Mesmas Lojas”
    O crescimento na receita líquida “mesmas lojas” foi de 10% no quarto trimestre e 9% em 2013;
    Margem Bruta
    A margem bruta da controladora foi de 33,3% da receita líquida em 2013, um aumento de
    0,5 p.p.. No consolidado, a margem bruta foi de 30,4% da receita líquida, uma evolução de
    0,5 p.p.;
    EBITDA Ajustado
    O EBITDA Ajustado na visão controladora totalizou R$ 1.415,4 milhões em 2013, um crescimento
    de 14,6% em relação a 2012. A margem EBITDA Ajustada controladora foi de 18,3% da receita
    líquida em 2013, um crescimento de 0,3 p.p. em relação a 2012. O EBITDA Ajustado consolidado
    atingiu R$ 1.846,0 milhões em 2013, uma margem EBITDA Ajustada consolidada de 13,8% da
    receita líquida em 2013
    COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO OPERACIONAL 4T13

    RECEITA LÍQUIDA 4T13
    No 4T13, a receita líquida da controladora foi de R$ 2,599 bilhões, um crescimento de 13,2% em relação aos
    R$ 2,296 bilhões registrados no 4T12. Na visão consolidada, a receita líquida da Lojas Americanas e suas
    controladas atingiu R$ 4,551 bilhões no 4T13, um avanço de 20,9% em relação ao 4T12.
    Em 2013, a receita líquida da controladora totalizou R$ 7,716 bilhões, uma evolução de 12,6% em relação aos
    R$ 6,850 bilhões registrados no ano anterior. No consolidado, a receita líquida da Lojas Americanas e suas
    controladas em 2013 foi de R$ 13,401 bilhões, um crescimento de 18,2% em relação ao ano anterior.
    No conceito “mesmo número de lojas”, o crescimento da receita líquida do 4T13 foi de 10% em relação ao 4T12.
    Em 2013, o crescimento foi de 9% em relação a 2012.

    LUCRO BRUTO E MARGEM BRUTA 4T13
    No 4T13, a margem bruta da controladora foi equivalente a 37,0% da receita líquida (RL), uma evolução de 0,4 p.p.
    quando comparada à margem bruta de 36,6% obtida no 4T12. Na visão consolidada, a margem bruta no 4T13 foi
    de 32,2% da RL, 0,1 p.p. acima do patamar alcançado no 4T12.
    No acumulado do ano, a margem bruta da controladora correspondeu a 33,3% da RL, uma evolução de 0,5 p.p.
    em relação à margem bruta de 32,8% apresentada em 2012. No consolidado, a margem bruta foi de 30,4% da RL
    em 2013, um avanço de 0,5 p.p. em relação ao ano anterior.

    DESPESAS COM VENDAS, GERAIS E ADMINISTRATIVAS
    No 4T13, as despesas com vendas, gerais e administrativas da controladora totalizaram R$ 339,7 milhões, ou
    13,1% da RL, uma redução de 0,3 p.p. em relação ao 4T12. Na visão consolidada, as despesas com vendas,
    gerais e administrativas no 4T13 atingiram R$ 680,7 milhões, ou 15,0% da RL, uma variação de +0,1 p.p. em
    relação ao mesmo período do ano anterior.
    No acumulado do ano, as despesas com vendas, gerais e administrativas da controladora totalizaram R$ 1.151,4
    milhões, ou 15,0% da RL. No consolidado, as despesas com vendas, gerais e administrativas em 2013 alcançaram
    R$ 2.228,7 milhões, ou 16,6% da RL.

    EBITDA AJUSTADO
    No 4T13, o EBITDA Ajustado da controladora alcançou R$ 622,0 milhões, um avanço de 16,9% quando
    comparado ao do 4T12. A margem EBITDA Ajustada da controladora no período foi de 23,9%, 0,7 p.p. acima da
    margem registrada no 4T12.
    Na visão consolidada, o EBITDA Ajustado totalizou R$ 783,1 milhões no 4T13, uma expansão de 21,1% em
    relação ao obtido no 4T12. A margem EBITDA Ajustada consolidada no 4T13 correspondeu a 17,2% da RL,
    mesmo patamar do registrado no 4T12.
    No acumulado do ano, o EBITDA Ajustado da controladora atingiu R$ 1.415,4 milhões, o equivalente a um
    crescimento de 14,6% em relação a 2012. A margem EBITDA Ajustada da controladora no período foi de 18,3%,
    0,3 p.p. superior à margem obtida em 2012.
    Na visão consolidada, o EBITDA Ajustado totalizou R$ 1.846,0 milhões em 2013, uma melhora de 17,4% em
    relação ao ano anterior. A margem EBITDA Ajustada consolidada em 2013 correspondeu a 13,8% da RL, uma
    variação de -0,1 p.p. em relação ao ano anterior.

    RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO
    No 4T13, a despesa financeira líquida da controladora totalizou R$ 130,0 milhões, uma variação de 35,7% em
    relação à despesa financeira líquida de R$ 95,8 milhões do 4T12. No consolidado, a despesa financeira líquida no
    4T13 foi de R$ 248,5 milhões, uma variação de 15,3% em relação à despesa de R$ 215,5 milhões registrada no
    4T12.
    A despesa financeira líquida da controladora em 2013 atingiu R$ 426,0 milhões, uma variação de 7,5% em relação
    à despesa de R$ 396,4 milhões de 2012. No consolidado, a despesa financeira líquida em 2013 foi de R$ 881,2
    milhões, uma variação de 12,0% em relação à despesa de R$ 786,6 milhões registrada no ano anterior.
    Para uma melhor avaliação do resultado financeiro líquido da controladora, temos que consolidar as receitas e
    despesas financeiras das controladas não operacionais (BWU e outras). Desta forma, demonstramos na tabela a
    seguir, uma visão do resultado financeiro com estes efeitos.

    RESULTADO LÍQUIDO 4T13
    O lucro líquido da controladora no 4T13 atingiu R$ 271,7 milhões, uma evolução de 11,5% quando comparado aos
    R$ 243,7 milhões registrados no 4T12. A variação no lucro líquido da controladora está relacionada principalmente
    à melhora do resultado operacional. Na visão consolidada, o lucro líquido do 4T13 foi de R$ 273,2 milhões, um
    avanço de 10,1% em relação aos R$ 248,1 milhões apresentados no mesmo período do ano anterior.
    No acumulado do ano, o lucro líquido da controladora totalizou R$ 452,2 milhões, um crescimento de 15,4% em
    comparação aos R$ 391,7 milhões reportados em 2012. Na visão consolidada, o lucro líquido em 2013 foi de
    R$ 462,9 milhões, uma melhora de 12,8% quando comparado aos R$ 410,2 milhões registrados no ano anterior.

    ENDIVIDAMENTO
    Em 31/12/2013, a dívida líquida consolidada da Companhia foi 1,1x o EBITDA acumulado dos últimos 12 meses. O
    prazo médio de vencimento da dívida foi de 1.139 dias em 31/12/2013 (37 meses). Na visão controladora, a dívida
    líquida da Companhia foi de 1,1x o EBITDA acumulado dos últimos 12 meses. O prazo médio de vencimento foi de
    1.178 dias em 31/12/2013 (39 meses).
    Lojas Americanas utiliza sua geração de caixa priorizando investimentos que apresentem os melhores retornos
    para os acionistas. Assim sendo, listamos a seguir as principais ações realizadas em 2013:
     Investimentos da Lojas Americanas e da B2W no imobilizado e no intangível (desenvolvimento de websites
    e sistemas) de R$ 1.187,1 milhões;
     Pagamento de juros sobre o capital próprio e dividendos brutos no valor de R$ 100,0 milhões.
    Os empréstimos e debêntures consolidados de curto e longo prazo de Lojas Americanas em 31/12/2013 foram de
    R$ 7.693,4 milhões. Subtraindo a posição de caixa no valor de R$ 5.732,6 milhões (caixa + aplicações financeiras
    + contas a receber dos cartões de crédito e débito) do total dos empréstimos, encontramos um endividamento
    líquido de R$ 1.960,8 milhões.

    Expansão da Rede de Lojas
    Nos últimos 10 anos, Lojas Americanas aumentou sete vezes a sua rede de lojas. Ao final de 2013, a Companhia
    contava com 838 lojas espalhadas por 291 cidades dentro de 25 estados mais o Distrito Federal. Além da rede de
    lojas físicas, a Companhia possui quatro centros de distribuição localizados no Rio de Janeiro/RJ, em São
    Paulo/SP, em Recife/PE e em Uberlândia/MG.

    Curtir

  13. Resultados 3T13
    LL 97M + 16,3% x 3T12

    Receita Bruta
    -> No 3T13, a receita bruta controladora atingiu R$ 1,985 bilhão, um crescimento de 9,9% em relação ao 3T12. No consolidado, a receita bruta alcançou R$ 3,537 bilhões, acréscimo de 15,7% em relação à receita bruta registrada no 3T12;

    Receita Líquida
    -> No 3T13, a receita líquida controladora atingiu R$ 1,720 bilhão, um avanço de 11,5% em relação ao 3T12. Na visão consolidada, a receita líquida cresceu 15,5%, atingindo R$ 3,078 bilhões;

    Receita Líquida “Mesmas Lojas”
    -> O crescimento na receita líquida “mesmas lojas” foi de 8% no terceiro trimestre;

    Margem Bruta
    -> A margem bruta da controladora foi de 32,4% da receita líquida no 3T13, um aumento de 1,0 p.p.. No consolidado, a margem bruta foi de 30,2% da receita líquida, uma evolução de 1,1 p.p.;

    Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas
    -> As despesas com vendas, gerais e administrativas da controladora foram de 15,3% da receita líquida no 3T13. No consolidado, as despesas com vendas, gerais e administrativas foram de 17,2% da receita líquida no 3T13;

    EBITDA Ajustado
    -> O EBITDA Ajustado na visão controladora totalizou R$ 293,9 milhões no 3T13, um crescimento de 13,3% em relação ao 3T12. A margem EBITDA Ajustada controladora foi de 17,1% da receita líquida no 3T13, um crescimento de 0,3 p.p. em relação ao 3T12. O EBITDA Ajustado consolidado atingiu R$ 401,7 milhões no 3T13, mantendo a margem EBITDA Ajustada consolidada em 13,1%
    da receita líquida no 3T13, mesmo patamar alcançado no 3T12;

    Resultado Líquido
    -> O lucro líquido da controladora atingiu R$ 94,2 milhões no 3T13, um crescimento de 19,7%. No consolidado, o lucro líquido cresceu 16,3% no 3T13, alcançando R$ 97,0 milhões;

    B2W DIGITAL
    -> No 3T13, a receita bruta consolidada atingiu R$ 1,7 bilhão, um crescimento de 25,1% em relação ao 3T12;

    Expansão
    -> Até o momento, em 2013, inauguramos 40 novas lojas, o nosso quarto centro de distribuição em Uberlândia-MG e temos outras 89 lojas contratadas para inaugurar até o final do ano.

    Curtir

  14. DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 2T12 E 1S12

    O lucro líquido da controladora no 1S12 foi de R$ 69,2 milhões, uma variação de -27,3% quando comparado aos R$ 95,2 milhões registrados no 1S11. A variação no lucro líquido da controladora está relacionada principalmente ao aumento na despesa financeira e à redução da equivalência patrimonial.

    Na visão consolidada, o lucro líquido do 1S12 foi de R$ 78,7 milhões, uma variação de -25,6% quando comparado aos R$ 105,8 milhões registrados em 1S11.

    Receita Bruta
    No 1S12, a receita bruta controladora atingiu R$ 3,544 bilhões, crescimento de 12,4% em
    relação ao 1S11. A receita bruta consolidada atingiu R$ 5,755 bilhões no 1S12, um crescimento
    de 7,0%;

    Receita Líquida
    No 1S12, a receita líquida controladora atingiu R$ 3,011 bilhões, crescimento de 12,8% em
    relação ao 1S11. O crescimento na visão consolidada foi de 6,6%, em comparação ao 1S11;

    Receita Líquida “mesmas lojas”
    Crescimento na receita líquida “mesmas lojas” de 8% no primeiro semestre de 2012;

    Margem Bruta
    A margem bruta da controladora foi de 30,7% da receita líquida no 1S12, uma evolução de
    1,2 p.p.. No consolidado, a margem bruta foi de 30,0% da receita líquida, uma variação
    de -0,6 p.p.;

    Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas
    As despesas com vendas, gerais e administrativas da controladora foram de 16,3% da receita
    líquida no 1S12, ficando no mesmo patamar do 1S11. No consolidado, as despesas com
    vendas, gerais e administrativas foram de 18,3% da receita líquida no 1S12, uma variação de
    +0,1 p.p. em relação ao 1S11;

    EBITDA
    O EBITDA na visão controladora atingiu R$ 430,8 milhões no 1S12, um crescimento de 22,5%
    em relação ao 1S11. A margem EBITDA controladora foi de 14,3% da receita líquida no 1S12,
    um aumento de 1,1 p.p.. O EBITDA consolidado atingiu R$ 583,3 milhões no 1S12, um
    crescimento de 0,7% em relação ao 1S11. A margem EBITDA consolidada foi de 11,7% da
    receita líquida no 1S12;

    Fitch Ratings eleva o rating da Lojas Americanas e da B2W para A+
    A agência de classificação de risco Fitch Ratings elevou o rating corporativo de Longo Prazo da
    Lojas Americanas e da B2W de A para A+, com perspectiva estável;

    B2W
    Receita bruta consolidada de R$ 2,230 bilhões no 1S12;

    Expansão
    Cronograma de abertura de lojas totalmente em linha com o programa “SEMPRE MAIS
    BRASIL”. Inauguramos 28 novas lojas até o momento.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s