MMXM – MMX MINERACAO E METALICOS S.A.

MMXM3

BMFBovespa: MMXM3

A MMX é a empresa de mineração do Grupo EBX. Criada em 2005, a companhia tem como características custos operacionais competitivos, alta eficiência das operações, qualidade do minério de ferro e alta produtividade das minas, localizadas em Minas Gerais e no Mato Grosso do Sul. A MMX também detém direitos minerários no Chile, onde vai desenvolver um sistema integrado de mineração.

Além de um minério de ferro de qualidade, a MMX tem logística assegurada para o escoamento da produção,  através de acordos de longo prazo com a MRS, operadora ferroviária que interliga os principais estados brasileiros, e também com barcaças e prestadores de serviços portuários. A partir de 2013, a MMX utilizará o Superporto Sudeste para exportar a maior parte do seu minério destinado a mercados transoceânicos. O Superporto Sudeste é mais novo ativo da companhia, cuja aquisição foi concluída em maio de 2011.

Nos primeiros dois anos de operação da MMX, desde a realização da abertura de capital, em 2006, a companhia realizou importantes conquistas, cumprindo os objetivos traçados, garantindo o sucesso na implementação de negócios e entregando valor aos acionistas.

Desde 2006, quando realizou a sua abertura de capital, a MMX está listada no Novo Mercado da Bolsa de Valores de São Paulo (BMF&Bovespa), no segmento mais rigoroso de governança corporativa. Como todas as empresas do Grupo EBX, os negócios da companhia aliam agilidade, eficiência e qualidade, garantindo o retorno esperado pelos investidores.

O êxito alcançado desde o princípio é resultado não só da qualidade dos ativos e projetos, mas, fundamentalmente, da gestão 360°, aplicada em todas as empresas do Grupo EBX. O objetivo dessa gestão é o desenvolvimento gerencial e organizacional eficaz, que permite identificar as várias engenharias que precisam ser executadas em cada negócio, aliada à excelência e experiência dos administradores e colaboradores do Grupo EBX. A MMX sabe que os recursos humanos são o grande ativo da empresa, sem o qual os projetos não teriam se transformado em realidade.

RI: ri@mmx.com.br

Site: http://ri.mmx.com.br

Anúncios

6 comentários sobre “MMXM – MMX MINERACAO E METALICOS S.A.

  1. 4T15

    A MMX comunicou lucro líquido de R$ 113,4 milhões no quarto trimestre, revertendo prejuízo de R$ 171,9 milhões em igual intervalo de 2014. A companhia, em recuperação judicial, estava com as atividades paralisadas no quarto trimestre, “em função de restrições operacionais impostas pelo órgão ambiental do Estado de Minas Gerais, bem como pelas desfavoráveis condições do mercado de minério de ferro”, explica o informe de resultados. Dessa forma, atribui o resultado do período principalmente aos ajustes efetuados no passivo para refletir a lista de credores e acordos firmados com fornecedores, o que reduziu o valor das provisões. O EBITDA ajustado ficou em R$ 80,6 milhões, ante cifra negativa de R$ 226,1 milhões no quarto trimestre do ano anterior. O plano de recuperação judicial da mineradora foi aprovado em assembleia geral de credores em 28 de agosto de 2015 e homologado em 24 de setembro.

    Curtir

  2. RESULTADO 4T13 e 2013
    LL R$ -354.586 M +0,9% x 4T12 / R$ -2.068.480 B +160% x 2012
    Destaques de 2013 e eventos subsequentes:

    * Concluída a operação de investimento de Trafigura e Mubadala na Porto Sudeste do Brasil S.A. (anteriormente denominada MMX Porto Sudeste Ltda.);
    * Aprovação pelo Conselho de Administração da revisão do plano de negócios;
    * Contratação de assessores financeiros para avaliação de oportunidades de negócios;
    * Revisão de valores e da estratégia para a Unidade Corumbá culminando com o reconhecimento de perdas relativas a realização dos ativos nesta Unidade, no valor de R$ 153,8 milhões;
    * Assinatura de acordo para venda da totalidade de ações da Unidade Chile junto a Inversiones Cooper Mining S.A;
    * Renovação dos contratos de arrendamento de direitos minerários com a Companhia de Mineração da Serra da Farofa “CEFAR”), prorrogando os prazos de vigência de 2021 para 2034;
    * Nova certificação de recursos minerais totalizando 3,6 bilhões de toneladas considerando a Unidade Serra Azul e as Minas Pau de Vinho e Bom Sucesso;
    * Conclusão do processo de aumento de capital da MMX no valor de R$ 1,4 bilhão, através da subscrição privada de novas ações ordinárias;
    * Chegada das duas carregadeiras de navios no Superporto Sudeste, fabricadas na China.

    http://www.mailingplus.com.br/deliverer_homolog/arq/cli/arq_2498_143493.pdf


    Curtir

  3. MMX anuncia seus resultados referentes ao 1T13

    Destaques do 1T13 e eventos subsequentes:

    Conclusão do processo de aumento de capital da MMX no valor de R$ 1,4 bilhão, através da subscrição privada de novas ações ordinárias;
    Chegada das duas carregadeiras de navios no Superporto Sudeste, fabricadas na China;
    Renovação dos contratos de arrendamento de direitos minerários com a Companhia de Mineração da Serra da Farofa (“CEFAR”), prorrogando os prazos de vigência de 2021 para 2034;
    Conclusão da contratação da suplementação do financiamento de longo prazo para o Superporto Sudeste junto ao BNDES, no valor total de R$ 935 milhões;
    Nova certificação de recursos minerais totalizando 3,6 bilhões de toneladas considerando a Unidade Serra Azul, a Mina Pau de Vinho e Bom Sucesso;

    Curtir

  4. Resultado 4T12

    A companhia registrou prejuízo líquido de R$ 348,7 M neste trimestre, contra um lucro líquido de R$ 69,2 M no 4T11 e um prejuízo de R$ -100,6 M no terceiro trimestre de 2012.

    Os ativos totais registraram o saldo de R$ 4,6 B, aumento de 4,7% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 2,4 B no 4T12, o que representou uma variação de -18,1% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2011.

    Após um primeiro semestre de relativa estabilidade e um terceiro trimestre negativo em relação a preços e perspectivas de mercado, o quarto trimestre de 2012 apresentou uma considerável
    recuperação, permitindo que a cotação do minério de ferro com 62% de ferro entregue na China continuasse o seu processo de apreciação iniciado no fim de setembro de 2012. Depois de atingir o nível mais baixo desde que se abandonou o sistema de precificação anual – US$ 88,50 / dmt em 06 de setembro de 2012 – o preço recuperou-se e subiu mais de 60% ao longo do quarto
    trimestre, fechando o ano em US$ 144,50 / dmt

    Curtir

  5. Resultados Referentes ao 2º trimestre de 2012

    No 2T12, o lucro líquido foi negativo de R$ 391,6 milhões, impactado principalmente pela desvalorização do Real e do consequente efeito negativo sobre os passivos de longo prazo. Cabe ressaltar que tal efeito é apenas contábil e não há qualquer impacto no caixa da Companhia.

    No segundo trimestre de 2012, a MMX apresentou uma dívida financeira total de R$ 2,1 bilhões, sendo que R$ 696 milhões de curto prazo e R$ 1,4 bilhão de dívida de longo prazo. Saques do BNDES para financiamento do Superporto Sudeste contribuíram para o aumento da dívida em 37,8 milhões. Adicionados a isso, ocorreram as seguintes captações e amortizações no
    endividamento da empresa: (i) novas dívidas de curto prazo, na modalidade de ACC (adiantamento de contrato de câmbio), de USD 85 milhões, (ii) dívidas de longo prazo de USD 30 milhões e R$ 129 milhões e (iii) amortização de dívidas no valor de USD 119 milhões e R$ 2,5 milhões.

    No 2T12, a MMX apresentou CPV de R$ 90,6 milhões. O CPV/ton desse trimestre apresentou valor médio de R$ 53,29/ton, em linha com o trimestre anterior. Neste trimestre o custo de produção foi impactado pelo efeito da provisão para a Taxa de Controle, Monitoramento e Fiscalização das Atividades de Pesquisa, Lavra, Exploração e Aproveitamento de Recursos Minerais (“TFRM”), instituída pelo Estado de Minas Gerais de R$ 2,17/ton. Importante ressaltar que, mesmo considerando esta provisão, o CPV/ton do 2T12 ficou 8% abaixo do 2T11.

    O resultado financeiro líquido da MMX no 2T12 foi negativo em R$ 411,6 milhões, dos quais destacamos: (i) R$ 5,9 milhões de receita financeira, (ii) R$ 186,1 milhões da soma de despesas financeiras com o ajuste do passivo de longo prazo representado pelo valor presente da expectativa do fluxo de pagamento de royalties aos detentores dos títulos de remuneração
    variável (MMXM11) e (iii) R$ 231,4 milhões de variação cambial negativa, principalmente do passivo de longo prazo representado pelos royalties, anteriormente mencionados. Ressalta-se que este passivo não possui efeito caixa sobre a Companhia.

    Destaques de 2T12 e eventos subsequentes:

    Obtenção da licença ambiental de instalação (LI) para a expansão da Unidade Serra Azul;

    Início das obras da expansão da Unidade Serra Azul;

    Realização das audiências públicas nos municípios de Itaguaí e Mangaratiba para a expansão do Superporto Sudeste para 100 Mtpa;

    Vendas totais de 1,7 milhão de toneladas de minério de ferro 22% acima do 1T12;

    Realização das AGEs da PortX e da MMX, aprovando a incorporação da PortX pela MMX;

    Em 10 de agosto, ocorreu a emissão de debêntures no valor de R$ 600 milhões, pela MMX Sudeste Mineração S.A.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s