CLSC – CENTRAIS ELET DE SANTA CATARINA S.A.

BMFBovespa: CLSC3 ; CLSC4

A Centrais Elétricas de Santa Catarina S.A. – Celesc opera no mercado de energia elétrica desde 1955, com concessões nas atividades de geração, transmissão e distribuição. É controladora de duas subsidiárias integrais, concessionárias dos serviços de geração e distribuição de energia: a Celesc Geração S.A. e a Celesc Distribuição S.A., além de deter controle acionário de uma concessionária de serviços de distribuição de gás natural: a Companhia de Gás de Santa Catarina – SCGÁS. Também possui participações societárias minoritárias em atividades afins.

Com presença consolidada entre as melhores do Setor Elétrico do País, a Celesc possui o mérito de ter a qualidade dos seus serviços reconhecida em nível nacional e internacional. A Celesc é a segunda maior arrecadadora de ICMS de Santa Catarina (a primeira é a Petrobras) e a 6ª maior prestadora de serviço público de distribuição de energia elétrica do Brasil.

A distribuição de energia elétrica ocorre em quase 92% do território catarinense, onde vive uma população de mais de seis milhões de habitantes, além do atendimento ao município do Rio Negro, no Paraná.

http://www.celesc.com.br/ri/

Anúncios

10 comentários sobre “CLSC – CENTRAIS ELET DE SANTA CATARINA S.A.

  1. A Celesc apresentou um lucro líquido de R$ 25,9 milhões no primeiro trimestre de 2016, montante 53,5% inferior ao reportado em igual intervalo do ano passado. O EBITDA subiu 19,6% entre os primeiros trimestres para R$ 118,095 milhões. A margem EBITDA subiu de 5,4% para 7,6% entre os períodos. A receita operacional líquida consolidada somou R$ 1,643 bilhão entre janeiro e março, queda de 9,4% frente igual intervalo de 2015. O resultado financeiro da Celesc saiu do positivo, que somou R$ 32,017 milhões no primeiro trimestre do ano passado, para o negativo, em R$ 20,401 milhões. No primeiro trimestre houve retração de 3,5% na energia total distribuída na área de concessão da Celesc Distribuição, somando 5.978 GWh, refletindo as temperaturas médias mais amenas no período e o quadro econômico de recessão.

    Curtir

  2. CLSC3 – Centrais Elétricas de Santa Catarina SA (Bom) LL R$ 49,3M +137% x 4T12 / R$ 198,9M +177,8% x 2012

    * Lucro
    O Lucro Líquido em 2013 totalizou R$198,9 milhões (lucro por ação de R$5,16), revertendo o prejuízo apurado no ano de 2012. A administração propõe à AGO distribuir R$56,7 milhões (payout 30%).

    * Dívida
    A Celesc Distribuição encerrou 2013 com Dívida Financeira Líquida de R$97,7 milhões, o equivalente a 0,3x o EBITDA ou 0,1x seu Patrimônio Líquido. O Passivo Atuarial reduziu de R$1.487,4 milhões para R$1.059, 5 milhões por conta de nova avaliação atuarial que reflete as mudanças nas condições macroeconômicas.

    * Margem
    A Margem EBITDA foi de 2,2% no trimestre e de 6,1% no ano de 2013.

    * EBITDA
    O EBITDA Consolidado Ajustado somou R$80,7 milhões no trimestre (R$480,0 milhões no 12M13), refletindo a redução nas despesas operacionais da Celesc D.

    * Receita
    A Receita Operacional Líquida Consolidada, sem os efeitos da Receita de Construção, registrou R$1.212,2 milhões no 4T13, 3, 7% superior ao 4T12. No acumulado de 2013, a ROL foi de R$4.568,9 milhões (+12,1% em relação a 2012).

    Relatório
    http://celesc.firbweb.com.br/wp-content/uploads/2013/06/Release_4T13_vFinal.pdf

    Curtir

  3. CENTRAIS ELÉTRICAS DE SANTA CATARINA S.A.
    COMPANHIA ABERTA
    CNPJ nº 83.878.892/0001-55
    NIRE 42300011274

    AVISO AOS ACIONISTAS

    Comunicamos aos Senhores Acionistas que, em Reunião do Conselho de Administração realizada no dia 12 de dezembro de 2013, foi aprovado o crédito de Juros sobre o Capital Próprio, na forma da Lei nº 9.249/95 e do Estatuto Social da Companhia, nos seguintes termos:

    1. O montante aprovado a título de Juros sobre Capital Próprio é de R$49.214.940,00 (quarenta e nove milhões, duzentos e catorze mil e novecentos e quarenta reais), à razão de R$1,20400470 por ação ordinária e R$1,32440517 por ação preferencial.

    2. Farão jus aos Juros sobre o Capital Próprio os detentores de ações de emissão da Companhia em 30 de dezembro de 2013, sendo as ações da Companhia negociadas “ex-juros sobre capital próprio” a partir de 31 de dezembro de 2013.

    3. Os valores dos juros estarão sujeitos ao Imposto de Renda Retido na Fonte – IRRF, à alíquota de 15%, exceto para os acionistas comprovadamente imunes ou isentos, que nos termos da Legislação Fiscal em vigor deverão apresentar à Companhia, até o dia 20 de dezembro de 2013, declaração acompanhada da documentação comprobatória pertinente, a ser encaminhada aos cuidados do Departamento de Relações com Investidores no endereço: Av. Itamarati, 160 – CEP 88034-900 – Florianópolis – SC, Telefone (48) 3231-5100, Fax (48) 3231-6229, Correio Eletrônico ri@celesc.com.br.

    4. A data de pagamento dos Juros sobre Capital Próprio aos senhores acionistas será deliberada pela Assembleia Geral Ordinária a ser realizada em 30 de abril de 2014. O valor dos Juros sobre Capital Próprio, ora aprovados, não terão qualquer atualização monetária ou outra remuneração.

    5. Os Juros sobre o Capital Próprio serão imputados integralmente ao dividendo mínimo obrigatório, a ser distribuído pela Companhia referente ao exercício de 2013, do qual trata o artigo 202 da Lei nº 6.404/76.

    6. Os acionistas terão seus pagamentos disponibilizados de acordo com o domicílio bancário fornecido à Itaú Corretora de Valores S.A. – instituição depositária das ações, a partir da data de início da distribuição destes direitos.

    6.1. Os acionistas, cujo cadastro não tenha a inscrição do número do CPF/CNPJ ou a indicação de Banco/Agência/Conta Corrente, somente terão seus Juros sobre o Capital Próprio disponíveis a partir do 3º dia útil, contado da data da atualização cadastral nos arquivos eletrônicos do Itaú Unibanco S.A., que poderá ser efetuada em qualquer agência da rede.

    6.2. Os detentores de ações depositadas em Custódias Fungíveis das Bolsas de Valores receberão o pagamento através do órgão custodiante.

    Curtir

  4. Resultado 3T13
    LL 212,4M +256% x 3T12

    • Crescimento de 4,4% na Energia Total Distribuída na área de concessão da Celesc Distribuição, alcançando 5.420 GWh no 3T13;
    • A Receita Operacional Líquida Consolidada registrou R$1,2 bilhão no 3T13, 17,5% superior ao 3T12. Sem os efeitos da Receita de Construção, a ROL Consolidada avançou 18,2% no trimestre e 15,4% no acumulado de 2013;
    • Nos gastos gerenciáveis consolidados, destaca-se a redução de 14,5% nas despesas recorrentes com Pessoal (remuneração + despesa atuarial) no 3T13;
    • O EBITDA Consolidado somou R$104,6 milhões no trimestre (R$329,7 milhões no 9M13), refletindo a recomposição dos custos com compra de energia da Celesc
    • A Companhia registrou Lucro Líquido de R$212,4 milhões no trimestre, revertendo o prejuízo apurado no 3T12;
    • Celesc Geração apresentou alta de 86,1% na ROL e Lucro Líquido de R$13,3 milhões no 3T13, refletindo impacto positivo dos preços do mercado de curto prazo de energia;
    • Em 07 de agosto de 2013 foi aplicado o Índice de Reajuste Tarifário Anual da Celesc Distribuição, com reposicionamento econômico da ordem de +14,50% e efeito médio percebido pelos consumidores cativos da distribuidora de +13,73%.
    • Os investimentos realizados em geração e distribuição de energia elétrica somaram R$94,1 milhões no 3T13, aumento de 3,7% em relação ao 3T12.

    Curtir

  5. Resultados 3T12

    Energia distribuída cresce 5,0% e Receita
    Operacional Líquida atinge R$1,05 bilhão no 3T12
    Principais Destaques:
    • A Energia Distribuída na área de concessão da Celesc Distribuição no 3T12 foi 5,0% superior ao mesmo período de 2011, alcançando 5.167 GWh;
    • A Receita Operacional Líquida Consolidada registrou R$1,05 bilhão no 3T12, 0,3% superior ao terceiro trimestre de 2011. Sem os efeitos da Receita de Construção, a ROL Consolidada avançou 2,8% no trimestre (somando R$976,8 milhões) e 4,0% nos nove primeiros meses de 2012 (R$2,99 bilhões);
    • No 3T12, a Companhia registrou prejuízo de R$135,5 milhões (em IFRS). Considerando os ajustes relativos a Ativos/Passivos Regulatórios e efeitos nãorecorrentes, o resultado trimestral reverte em lucro líquido de R$82,9 milhões, alta de 179,8% em relação 3T11;
    • Os investimentos foram de R$97,3 milhões no 3T12, redução de 26,2% em relação ao 3T11. No acumulado do 9M12 os investimentos consolidados somaram R$276,9 milhões, 4,5% abaixo do mesmo período de 2011;
    • Nos custos gerenciáveis da Celesc Distribuição, destaca-se a redução de gastos com Materiais da ordem de 32,1% no 3T12 em comparação com o 3T11. No gasto gerenciável mais relevante, as despesas com Pessoal, se desconsiderados eventos não-recorrentes (PDV e URP), houve retração de 11,8% no comparativo trimestral;
    • Em 07 de agosto de 2012 foi aplicado o índice da terceira Revisão Tarifária Periódica da Celesc Distribuição, com reposicionamento tarifário econômico da ordem de +3,99% e efeito médio percebido pelos consumidores cativos da distribuidora de -0,32%.

    Curtir

  6. CENTRAIS ELÉTRICAS DE SANTA CATARINA (CELESC), empresa de capital aberto, com ações negociadas na BM&FBOVESPA, listada no Nível 2 de Governança Corporativa, em atendimento às melhores práticas de Governança Corporativa, vem a público para informar que a Diretoria de Relações com Investidores analisou o desempenho do mercado de distribuição de energia elétrica no 3º trimestre de 2012 (e acumulado) em comparação com o mesmo período do ano anterior.
    De acordo com o Boletim de Mercado, expedido pela Diretoria Comercial (DCL) da Celesc Distribuição S.A., o consumo total de energia elétrica em nossa área de concessão somou 15.866 GWh nos primeiros nove meses do ano, um incremento de 6,0% no total de energia distribuída (mercado cativo + livre) quando comparado ao mesmo período de 2011. O quadro abaixo apresenta maior detalhamento:

    Desempenho do Mercado de Distribuição de Energia Elétrica Classe

    Unidades Consumidoras Energia Distribuída (em GWh)
    3º Trimestre Acumulado
    9 meses
    Classe de Consumo 2011 2012 Var. % 2011 2012 Var. % 2011 2012 Var. %
    Residencial 1.859.697 1.916.645 3,1 1.093 1.112 1,7 3.374 3.502 3,8
    Industrial 85.133 90.387 6,2 2.223 2.337 5,1 6.565 6.882 4,8
    Comercial 212.158 220.045 3,7 712 783 10,0 2.297 2.584 12,5
    Outros 250.310 252.318 0,8 891 932 4,6 2.730 2.888 5,8
    Total
    (M. Cativo + M. Livre) 2.407.298 2.479.395 3,0 4.919 5.163 5,0 14.966 15.857 6,0
    Mercado Cativo – – – 3.824 3.881 1,5 11.937 12.163 1,9
    Mercado Livre – – – 1.095 1.283 17,1 3.029 3.694 22,0
    Consumo Próprio 371 367 (1,1) 3 3 (1,1) 9 10 2,3
    Total 2.407.669 2.479.762 3,0 4.922 5.166 5,0 14.975 15.866 6,0
    A classe industrial, que engloba 43,3% do total consumido, somando 6.882 GWh, apresentou incremento de 4,8% em relação aos nove primeiros meses de 2011. Na classe comercial, que representa 16,3% do todo consumido, o incremento foi de 12,5%, com consumo de 2,584 GWh. A classe residencial, que equivale a 22,1% do mercado total da Celesc, consumiu 3.502 GWh, evolução de 3,8%. As demais classes (rural, iluminação, poderes e serviços públicos e suprimento de energia), que correspondem a 18,3% do total, consumiram 5,8% a mais no acumulado de 2012, o equivalente a aproximadamente 2.888 GWh.

    O mercado cativo cresceu 1,9% nos nove meses de 2012 com consumo total da ordem de 12.163 GWh. Os consumidores livres localizados na área de concessão da Celesc Distribuição S.A. apresentaram consumo de 3.694 GWh no acumulado 2012, representando crescimento de 22,0%.

    Florianópolis, 24 de outubro de 2012.

    Curtir

  7. Resultados do segundo trimestre de 2012 (2T12)

    A Receita Operacional Bruta atingiu R$ 1,65 bilhão no 2T12, 6,0% superior ao 2T11

    Principais Destaques:

    A Receita Operacional Líquida Consolidada registrou R$ 1,02 bilhão no 2T12, 4,0% superior ao segundo trimestre de 2011. Todos os segmentos de negócio da Companhia apresentaram crescimento da receita, com destaque para a Celesc Geração com aumento de 65,3% no trimestre (34,0% no 6M12);

    A Energia Distribuída na área de concessão da Celesc Distribuição no 2T12 foi 7,1% superior ao mesmo período de 2011, alcançando 5.264 GWh;

    A ANEEL aprovou mudança no regime de concessão de 8 usinas da Celesc Geração para Produtor Independente de Energia – PIE, potencializando o mercado de venda da subsidiária de geração de energia elétrica;

    No acumulado 2012, o lucro líquido (IFRS) foi de R$ 14,5 milhões, redução de 92,7%. Considerando os Ativos/Passivos Regulatórios e efeitos Não-Recorrentes, o lucro líquido seria de R$ 132,2 milhões no 6M12, alta de 4,5% em relação aos seis primeiros meses de 2011;

    Os investimentos foram de R$ 92,1 milhões no 2T12, 13,1% superior ao volume do 2T11. No acumulado do 6M12 os investimentos consolidados somaram R$ 179,6 milhões, 13,6% acima do primeiro semestre de 2011;

    A Companhia encerrou o 2T12 com Caixa Líquido de R$30,0 milhões.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s