RADL – RAIA DROGASIL S.A.

RADL3

BMFBovespa: RADL3

A RaiaDrogasil nasceu em 2011 como um dos dez maiores grupos varejistas do Brasil. Com R$ 4,7 bilhões de faturamento, a empresa adota uma estratégia de negócio diferenciada, com duas bandeiras distintas (Droga Raia e Drogasil) e grande potencial de sinergias e economia de escala.

A rede cresce de maneira orgânica, com abertura de novas lojas, e também através de aquisições quando oportuno. Desde 2007 foram inauguradas 446 lojas, um acréscimo significativo em comparação às 331 lojas existentes no final de 2006.
776 lojas em operação, sendo 407 da Raia e 369 da Drogasil.

Mais de 17.000 funcionários. Muitos deles encontraram na empresa a oportunidade do seu 1º emprego.

Antes da fusão, a Drogasil e a Droga Raia eram as duas únicas empresas farmacêuticas entre as 50 marcas mais valiosas do Brasil, segundo ranking da revista Isto É Dinheiro.

Faturamento: R$4,7 bilhões (últimos 12 meses)
EBITDA: 271,5 milhões.

RI: ri@raiadrogasil.com.br

Site: http://www.raiadrogasil.com.br/raiadrogasil/web/default_pt.asp?idioma=0&conta=28

RADL3_res RADL3_mercado RADL3_mercado2 RADL3_mercado3 RADL3_mercado4 RADL3_expansao RADL3_presenca RADL3_receitabruta RADL3_receitabruta2 RADL3_Lucro RADL3_despesas RADL3_despesas2 RADL3_EBITDA RADL3_despesas3 RADL3_caixa RADL3_caixa2 RADL3_DR

41 comentários sobre “RADL – RAIA DROGASIL S.A.

  1. Raiadrogasil: Resultados 3T16

    Em 1º de outubro de 2015 foi concluída a aquisição de 55% da 4Bio, o que fez com que a partir do 4T15 as demonstrações financeiras da Raiadrogasil passassem a ser consolidadas. Para preservar a comparabilidade, a companhia tem demonstrado resultados de 2015 pró-forma. Assim, o lucro líquido ajustado do 3T16, de R$ 127,6 milhões, significa um incremento de 33,1% comparado ao pró-forma do 3T16. No último trimestre foram abertas 53 novas lojas e um total de 150 ao longo do ano. A Raiadrogasil encerrou o mês de setembro com 1.370 lojas em operação, incluindo as 3 lojas da 4Bio.

    Curtir

    • A RaiaDrogasil entregou mais um bom resultado no 3T16, com expansão dos principais indicadores (ROL/Ebitda/LL) em relação ao 3T15. Nos 9M16 x 9M15 a receita líquida atingiu R$ 8,2 bilhões e o Ebitda somou R$ 751,6 milhões, incrementos de 24,9% e 35,6% no período, contribuindo para um lucro líquido acumulado 37,1% maior, de R$ 361,1 milhões. Estes números estão em linha com nossa projeção com pequenas variações: ROL-R$ 8,214 bilhões (-0,1%); Ebitda-R$ 772 milhões (-2,7%), e LL-R$ 366 (-1,5%).

      A companhia seguiu em ritmo acelerado de abertura de lojas, sendo criadas 53 novas lojas no 3T16, atingindo um total de 150 lojas abertas no ano e 13 fechamentos, dos quais 5 foram mudança de endereço. Com isso, encerrou o 3T16 com 1.370 lojas em operação, incluindo as 3 unidades da adquirida 4Bio.

      Nos últimos 12 meses, a RaiaDrogasil abriu um total de 212 lojas, sendo que ao final do 3T16 34,6% das lojas ainda estavam em maturação (sendo 15,5% ainda no primeiro ano), ou seja, ainda não haviam atingido todo o seu potencial de receita e de rentabilidade. A companhia incrementou a participação de mercado em todas as regiões onde atua. Conforme dados do IMS Health atingiu uma participação nacional de mercado de 11,4% nesse fragmentado setor.

      A receita bruta atingiu R$ 3,050 bilhões no 3T16, aumento de 25,2% sobre o 3T15, com a RaiaDrogasil crescendo 23,8% e a 4Bio avançando 91,1% no período, enquanto a receita líquida avançou 24,4%, para R$ 2,901 bilhões. Números também em linha com nossa estimativa para o trimestre: ROB- R$ 3,065 bilhões; ROL-R$ 2,915 bilhões.

      O segmento OTC foi o destaque do 3T16 com crescimento de 26,4%, contribuindo para o aumento na participação de 0,4 p.p. no mix de vendas. Medicamentos de marca e genéricos cresceram 25,2%, aumentando suas participações em 0,5 p.p. e em 0,1 p.p., respectivamente. Perfumaria registrou evolução de 19,3%, reduzindo a participação no mix em 1,0 p.p.. A administração ressaltou que o clima registrado no trimestre foi mais frio do que o do ano anterior, impulsionando as vendas em OTC e em Prescrição e penalizando a performance em Perfumaria.

      Outro destaque foi o crescimento médio de 13,5% nas mesmas lojas e de 8,9% nas lojas maduras, mesmo com o impacto negativo dos Jogos Olímpicos Rio 2016, estimado de 1,3 p.p. no 3T16. Não houve efeito calendário no trimestre.

      O Ebitda somou R$ 254 milhões no 3T16 (pouco abaixo de nossa projeção de R$ 270 milhões), crescimento de 39,1% sobre o 3T15, com a margem evoluindo 0,9 p.p., incrementada pelo ganho na margem bruta, que foi parcialmente compensado pelas despesas decorrentes do forte ritmo de aberturas de lojas.

      O Capex somou R$ 143,7 milhões no 3T16, sendo R$ 88,0 milhões destinados à abertura de novas lojas, R$ 19,6 milhões para a reforma de lojas existentes e R$ 36,1 milhões para investimentos em infraestrutura. Foram provisionados R$ 42,9 milhões em JCP no 3T16. A situação financeira segue tranquila, com dívida financeira bruta de R$ 360,1 milhões (basicamente linhas com o BNDES e 67% vencendo no longo prazo) e caixa de R$ 255,8 milhões, somando dívida financeira líquida de R$ 104,3 milhões em 30.09.2016.

      Curtir

  2. Raia Drogasil (RADL3): A cia reportou lucro líquido de R$ 157,1 milhões no 2T16, resultado 44,6% mais alto que o do mesmo período do ano passado. O Ebitda da companhia cresceu 39,2% no segundo trimestre na comparação anual. Entre abril e junho, o Ebitda atingiu R$ 304,8 milhões.

    Curtir

    • Raia Drogasil (RADL3): A cia revisou para cima suas expectativas de investimento em novas lojas este ano e em 2017, e acredita que o ritmo mais acelerado de expansão pode se manter nos anos seguintes, segundo afirmou o presidente da companhia. A Raia Drogasil anunciou que prevê agora a abertura de 200 novas lojas este ano ante uma previsão anterior de 165. Já para 2017, a expectativa era a inauguração de 195 e a nova meta é de também 200 novos pontos de venda. No primeiro semestre, 97 lojas foram inauguradas, com a companhia registrando um montante de investimento total no período de R$ 210,7 milhões. Como as lojas abertas até aqui representam quase a metade do guidance para o ano, o investimento final em 2016 pode terminar sendo o dobro do já realizado, ou seja, algo em torno de R$ 400 milhões.

      Curtir

  3. Resultado comentado 1T16

    LL +90MM +28%x1T15

    A RaiaDrogasil superou nossa expectativa com abertura de 39 novas lojas já no 1T16 e sem o fechamento de nenhuma loja, mantendo o guidance de aberturas brutas de 165 novas lojas em 2016. Como resultado, principalmente, dessa contínua abertura de novas unidades a companhia entregou lucro líquido de R$ 90,0 milhões no 1T16, 28% acima do 1T15 e 17% acima do 4T15. Também ajudou a consolidação dos números da adquirida “4Bio”, a segunda maior varejista de medicamentos especiais do País.

    Nos últimos 12 meses abriu 176 lojas, possuindo 1.274 unidades (incluindo as 3 da 4Bio) em operação ao final do 1T16, quando 32,8% das lojas estavam em estágio de maturação, isto é, ainda não haviam atingido todo o seu potencial de receita e de rentabilidade. Conforme dados do IMS Health, a companhia atingiu uma participação nacional de mercado de 10,5% nesse fragmentado setor.

    No 1T16 a companhia bateu o recorde histórico de crescimento da receita bruta, que somou R$ 2,6 bilhões, aumento de 26,3% em relação ao 1T15, com a RaiaDrogasil crescendo 25,3%, e a 4Bio avançando 85,7% no período.

    O segmento Perfumaria foi o destaque do 1T16, com crescimento de 27,3%, o que contribuiu para o aumento na participação de 0,4 p.p. no mix de vendas para 28,6%. OTC cresceu 25,4% e manteve a sua participação de 17,2%. Medicamentos de marca e genéricos cresceram 24,4% e 23,3%, respectivamente, apesar de terem apresentado ligeira queda de participação. A participação de medicamentos de marcas passou de 43,2% para 43,0% e genéricos de 11,3% para 11,1%.

    Houve um crescimento médio de 16,0% nas mesmas lojas e de 12,2% nas lojas maduras. A administração explicou que, o surto de Zika vírus e como a sazonalidade de inverno que começou mais cedo, em especial no tocante ao vírus H1N1, contribuíram para alavancar as vendas no 1T16. Também contou com o efeito calendário positivo em função do ano bissexto.

    O Ebitda atingiu R$ 192,8 milhões no 1T16, um incremento de 25,3% sobre o 1T15, tendo alcançado uma margem de 7,3%, mesmo com as despesas decorrentes do forte ritmo de aberturas de lojas.

    O Capex somou R$ 98,9 milhões, sendo R$ 59,9 milhões destinados à abertura de novas lojas, R$ 9,1 milhões para a reforma de lojas existentes, e R$ 29,9 milhões para investimentos em infraestrutura. Foram provisionados R$ 47,7 milhões em JCP no 1T16, refletindo um payout de 52,9%.

    A situação financeira segue tranquila, com dívida financeira bruta de R$ 293,7 milhões (basicamente linhas com o BNDES e 63% vencendo no longo prazo) e caixa de R$ 106,8 milhões, somando dívida financeira líquida de R$ 186,9 milhões em 31.03.2016.

    Curtir

  4. Raia Drogasil

    lucro de R$ 90,13 milhões no 1T16 +27,3% x1T15

    A Raia Drogasil apresentou lucro líquido de R$ 90,13 milhões no trimestre, incremento de 27,3% quando comparado ao mesmo período do ano anterior, registrando uma margem líquida de 3,58%. A receita líquida foi de R$ 2,51 bilhões no 1T16, ante R$ 2,00 bilhões em igual trimestre de 2015. O Ebitda do primeiro trimestre de 2016 foi de R$ 192,84 milhões, superando o ano anterior, quando atingiu R$ 153,92 milhões.

    Curtido por 1 pessoa

  5. DESAFIOS E OPORTUNIDADES PARA 2016

    Apesar do nosso forte desempenho em 2015, temos ambições ainda maiores para o futuro da Companhia. Temos diversas iniciativas estratégicas em curso que devem transformar a nossa execução, a prestação de serviços para os nossos clientes e a criação de valor para os nossos acionistas. Apesar do ambiente econômico desafiador no Brasil não ter afetado a nossa demanda e a nossa capacidade de crescimento, a alta das taxas de juros e a inflação crescente nos fizeram ser mais cautelosos em relação ao nosso fluxo de caixa livre, porém mais agressivos em relação à obtenção de ganhos de eficiência para mitigar pressões inflacionárias e da aceleração do ritmo de abertura de lojas nas nossas despesas.

    Adicionalmente, o nosso elevado padrão de execução, aliado à robustez da nossa estrutura de capital e do nosso fluxo de caixa livre em um mercado tão defensivo, proporciona grandes oportunidades de ganho de participação de mercado uma vez que enfrentamos diversos concorrentes alavancados que sofrem com pressões significativas de caixa e com execução declinante.

    Diante destes desafios e oportunidades, estabelecemos três grandes prioridades para o ano:

    Implementação do Plano Estratégico: Em 2014, desenvolvemos um plano estratégico para cinco anos que alinham execução e inovação através de quatro pilares complementares: Acelerar a Expansão Orgânica, Introduzir Novos Formatos, Incrementar a Gestão de Categorias e a Experiência de Compras, e Engajar, Analisar e Potencializar Clientes. Em 2015, inauguramos 156 lojas, um aumento significativo sobre as 131 lojas abertas anualmente nos dois anos anteriores. Para 2016 e 2017, pretendemos abrir 165 e 195 novas lojas, respectivamente, preservando, entretanto, o mesmo padrão de seletividade e de expectativas de retorno. Em relação a formatos, estamos preparando o nosso formato de baixo custo para representar uma alavanca de crescimento no futuro, e devemos abrir algumas lojas para avançar em nossa convicção. Quanto à gestão de categorias, pretendemos aumentar o papel do segmento de beleza nas nossas lojas e realizar vendas cruzadas para gerar demanda para Medicamentos Especiais, a ser atendida pela 4Bio. Por fim, em CRM, esperamos avançar com a multicanalidade e relançar os programas de fidelidade tanto para Raia quanto para
    Drogasil, incorporando os aprendizados do trabalho com a Dunnhumby, que se encontra em estágio inicial. Estas estratégias podem ter um impacto significativo na aceleração do nosso crescimento e na expansão da margem nos próximos anos.

    Alavancar a Geração de Caixa e a Estrutura de Capital: A nossa robustez financeira é uma das principais vantagens competitivas em um ambiente de crise, com crédito escasso e taxas de juros crescentes. Reforçar a disciplina financeira em 2016 será crucial, tanto em função da crise como da aceleração da expansão orgânica, que aumentará a nossa necessidade de investimento e desafiará a nossa geração de fluxo de caixa livre. Isto exigirá um maior controle das despesas e do capital de giro, bem como um maior questionamento dos investimentos não relacionados à expansão. Por
    outro lado, teremos ótimas oportunidades de investimento, incluindo uma pré-alta mais agressiva em virtude da expectativa de um maior reajuste anual de preços, e um maior reforço das nossas apostas em mercados com expectativa de TIR mais elevadas, onde concorrentes em dificuldades geraram um ambiente competitivo mais favorável.

    Incrementar a Produtividade: A inflação crescente e a aceleração da nossa expansão orgânica foram e continuaram representando pressões expressivas de despesas. Teremos um foco implacável na melhora da produtividade em 2016. Uma das nossas principais iniciativas vem sendo em aprimorar as nossas plataformas proprietárias de TI para melhorar e agilizar o atendimento e ganhar eficiência. Outro foco será em pessoas, já que nos beneficiaremos da redução do turnover (melhor nível de serviço e custos de contratação mais baixos, dentre outros benefícios), através da
    implementação de um algoritmo de escala de pessoal e da sua padronização na Raia e na Drogasil. Também estamos investindo na automação e no aumento da produtividade do nosso principal CD em São Paulo.

    Em termos gerais, continuamos otimistas em relação à 2016. Acreditamos que a aceleração da nossa expansão,combinada com uma execução sólida, em um ambiente no qual vários concorrentes estão sofrendo, deve resultar em um crescimento robusto da receita e em ganhos de participação de mercado. Também acreditamos que as pressões inflacionárias e as pressões da aceleração do nosso crescimento nas despesas com vendas podem ser mitigadas pela diluição de despesas administrativas aliada a ganhos de eficiência, sobretudo no segundo semestre. Por fim, acreditamos
    que a contínua expansão da nossa margem bruta deverá compensar as pressões de despesas com vendas, nos permitindo manter margens similares às de 2015 e sustentar a expansão da margem no longo prazo.

    Curtido por 1 pessoa

  6. Resultado comentando 4T15 e 2015

    2015 LL 339,8MM +53,5% x 2014

    A RaiaDrogasil seguiu com bom desempenho no 4T15, período no qual passou a consolidar os números da adquirida “4Bio” a segunda maior varejista de medicamentos especiais do País, apurando lucro líquido de R$ 76,9 milhões, 23,8% acima do obtido no 4T14, e acumulando lucro líquido de R$ 339,8 milhões em 2015, aumento de 53,5% sobre 2014.

    Esse resultado foi fruto, sobretudo, do crescimento substancial no ritmo de expansão orgânica (156 lojas abertas em 2015 x 131 lojas criadas em 2014-2013), contribuindo para o avanço de dois dígitos da receita líquida (+21,0%) e do Ebitda (+46,1%), que somaram R$ 8,898 bilhões e R$ 728,6 milhões, respectivamente, em 2015. Números pouco acima de nossa projeção para o ano: ROL-R$ 8,523 bilhões (+4,4%); e Ebitda-R$ 656,5 milhões (+10,9%).

    A RaiaDrogasil abriu 156 lojas e fechou outras 15, encerrando 2015 com 1.235 lojas em todo o Brasil, incluindo as três lojas da 4Bio. A companhia detalhou que a expansão orgânica, somada ao crescimento de mesmas lojas, geraram um incremento na receita bruta de R$ 1,6 bilhão em 2015; isso equivale a aproximadamente o total do faturamento da sexta maior rede de drogarias do País.

    Ao final do 4T15, 33,5% das lojas ainda estavam em maturação, ou seja, ainda não haviam atingido todo o seu potencial. Esse foi o trimestre com a maior proporção de lojas em maturação desde o 3T13.

    Conforme o IMS Health, a RaiaDrogasil atingiu uma participação nacional de mercado de 10,3%, com ganho de market share na maior parte das regiões onde atua. O principal destaque foi São Paulo, onde registrou participação de mercado de 22,6%, ganho de 0,8 p.p..

    Por segmento, a expansão de 21,4% da receita bruta em 2015 sobre 2014, para R$ 9,3 bilhões foi suportada pelo crescimento de Perfumaria de 21,5% (22,2% no 4T15), de 21,8% (20,7%Tno 4T15) em OTC, de 20,0% em medicamentos de marca (19,1% no 4T15) e de 19,2% em Genéricos (19,5% no 4Q15). O surto do Zika vírus ocorrido no 4T15 impulsionou as vendas de repelentes, contribuindo para aumentar a participação da perfumaria.

    O aumento de 1,3 p.p. da margem bruta em 2015 (0,7 p.p. no 4T15) foi devido, sobretudo, às melhorias estruturais nas condições comerciais, compras de oportunidade, ajustes táticos de preços e pela redução nas perdas de inventário.

    De outro lado, as despesas operacionais cresceram 23,0% em 2015 sobre 2014, totalizando R$ 1,986 bilhão, puxadas por maiores gastos com pessoal, energia e aceleração do ritmo de aberturas de novas lojas. No 4T15 x 4T14 as despesas operacionais aumentaram 29% pelos mesmos motivos e também refletindo despesas não recorrentes de R$ 8,8 milhões, incluindo R$ 1,9 milhão com a integração da 4Bio, a apropriação de R$ 5,8 milhões em provisões para devedores duvidosos referentes ao Programa de Benefícios de Medicamentos (no qual funcionários da Petrobras têm um cartão para compra em farmácias), e mais R$ 1,1 milhão com mudanças contábeis de critério mais rigoroso no provisionamento de recebíveis de terceiros. A companhia está negociando com a terceirizada do programa da Petrobras, a Global Saúde, o recebimento dos valores atrasados.

    Neste contexto, o Ebitda somou R$ 728,6 milhões em 2015, 46,1% maior, com margem de 8,2%, 1 p.p. acima de 2014, enquanto no 4T15 recuou de 0,5 p.p., situando-se em 7,2%.

    O Capex somou R$ 388,7 milhões em 2015, sendo R$ 229,8 milhões destinados à abertura de novas lojas, R$ 56,1 milhões para a reforma de lojas existentes, e R$ 102,8 milhões para investimentos em infraestrutura. Foram provisionados R$ 179,2 milhões em JCP em 2015 (R$ 43,0 milhões no 4T15), versus R$ 74,6 milhões em 2014 (R$ 23,5 milhões no 4T14), refletindo um payout de 52,6%.

    A situação financeira segue tranquila, com dívida financeira bruta de R$ 296,1 milhões (basicamente linhas com o BNDES e 63,5% vencendo no longo prazo) e caixa de R$ 266,1 milhões, somando dívida financeira líquida de R$ 30,3 milhões em 31.12.2015 (R$ 10,4 milhões em 31.12.2014).

    Curtir

  7. Raiadrogasil – lucro do 4T15 cresce 25,5%

    A Raia Drogasil apresentou lucro líquido de R$ 78,3 milhões no 4T15, superando em 25,5% o auferido no mesmo período do ano anterior. No acumulado de 2015, o lucro foi de R$ 341,8 milhões, 53,0% acima do 12M14.

    A receita bruta foi de R$ 2,6 bilhões no último trimestre de 2015, 21,0% superior ao do 4T14. No 12M15, a receita foi de R$ 9,4 bilhões, acima do acumulado no ano anterior em 21,1%.

    O Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado do 4T15 foi de R$ 188,1 milhões, superando em 17,8% o auferido no trimestre encerrado em dezembro de 2014. Em 2015, o Ebitda foi de R$ 743,5 milhões, 36,6% acima do 12M14.

    Curtir

  8. Raia Drogasil supera meta de abertura de lojas em 2015

    Ao longo de 2015, foram inauguradas 156 novas lojas, 11 a mais do que a projeção de 145 lojas. A Raia Drogasil encerrou o exercício de 2015 com um total de 1.232 lojas, um incremento líquido de 141 em relação ao total de 1.091 lojas que estavam em operação ao final de 2014. A empresa também reiterou sua projeção de abertura de 165 lojas em 2016 e 195 em 2017.

    Curtir

  9. Espero que não saia bagunçado…

    17h44- Lara Rizério
    Em meio à forte tempestade, 5 bancos destacam: uma empresa ainda sorri (e muito) na Bolsa
    Enquanto empresas do setor de consumo vêm enfrentando um forte revés com o cenário macroeconômico, a Raia Drogasil expande seus negócios e é vista com otimismo pelo mercado
    SÃO PAULO – Enquanto o Ibovespa caminha para fechar o ano em queda, uma empresa em especial vem sendo um dos grandes destaques, apesar de ter andado discretamente em meio ao seu case resiliente e ganhando diversas batalhas contra a crise econômica.

    Esta companhia é a Raia Drogasil (RADL3), que vê suas ações como uma das maiores altas do Ibovespa em 2015, com ganhos de 56% no ano, o que surpreende ainda mais por estar em um setor que vem enfrentando dificuldades nos últimos períodos, o de consumo.

    Uma prova de como a companhia está conseguindo domar os tempos difíceis no setor – além de contar com uma ajuda da demografia – ocorreu no último Raia Day, que aconteceu na última sexta-feira. A companhia anunciou o guidance para os próximos anos, esperando abrir 165 e 195 lojas em 2016 e 2017, respectivamente, o que animou os analistas do Credit Suisse, Citi Corretora, Bradesco BBI, Itaú BBA e Santander, que destacaram as boas perspectivas para a companhia em relatórios divulgados esta semana.

    Notícias relacionadas
    O feixe de luz que existia se apagou e varejo padece: em 4 dias, 2 bancos dizem ‘vai piorar’
    Os analistas do Credit Suisse acreditam que a aceleração da abertura de lojas é positiva para a companhia, já que isso reforça a boa execução da empresa, oportunidade de crescimento no segmento de farmácia e a forte geração de caixa. “Enquanto a maioria dos varejistas estão cortando suas projeções de crescimento, o anúncio da Raia Drogasil é também um claro sinal de confiança do management e dos controladores”, disseram em relatório.

    “Durante o investor day, a empresa informou que vai focar em 4 frentes: (1) aceleração do crescimento orgânico; (2) introduzindo novos formatos; (3) incrementando a gestão de categorias e experiência de compra e; (4) melhora do seu programa fidelidade. Para atingir esses objetivos, é essencial que a empresa mantenha seu time motivado, integre e simplifique processos, o que acreditamos que empresa tem feito bem até agora”, avaliam os analistas Tobias Stingelin, Giovana Oliveira e Antonio Gonzalez. Assim, afirmam eles, enquanto a empresa registra não apenas um crescimento orgânico acelerado, continua a ter uma ótima execução para melhorar a eficiência.

    O Credit segue pessimista sobre o setor de consumo no Brasil, mas segue com recomendação outperform para as ações da Raia Drogasil, para quem procura exposição no segmento. “Manter os níveis de vendas nas mesmas lojas em linha com a inflação em lojas maduras e a impressionante abertura de 360 lojas em dois anos não é necessariamente uma tarefa fácil”, afirmam os analistas, ressaltando que a Raia Drogasil está assistindo a um ciclo virtuoso que avaliam que irá persistir.

    O Credit Suisse avalia que os múltiplos da empresa são elevados, mas acreditam que são consistentes com: (i) a perspectiva de crescimento do segmento farmacêutico brasileiro, (ii) a execução sem falhas nos últimos dois anos; (iii) um portfólio de vendas defensivo; (iv) crescimento do lucro por ação de dois dígitos e visibilidade; (v) balanço sólido (vi) boa gestão; (vii) crescimento do ROIC (Retorno sobre o capital investido) apesar do crescimento acelerado do número de lojas; (viii) forte geração de caixa (a empresa cresce com o seu próprio dinheiro); e (ix) a liquidez das ações.

    Assim, reforçam os analistas da Santander Corretora João Mamede e Jéssica Bessa, a companhia segue com um tom “bullish” (positivo) e deve entregar o guidance agressivo prometido para os próximos anos, seguindo com recomendação de compra para os ativos. A equipe de analistas do Bradesco BBI, formada Ricardo Boiati, Luiz Felipe Guanais e Raquel Erzinian, reforça a visão positiva para a companhia, afirmando que o Raia Day trouxe uma boa dose de otimismo em relatório chamado “Raia Drogasil traz uma boa dose de otimismo”. Mas eles seguem com recomendação market-perform para a companhia, em meio aos altos múltiplos.

    A Citi Corretora manteve a recomendação de compra e elevou o preço-alvo em 2% para R$ 46,70 por ação. A corretora destaca que o plano de expansão mais agressivo foi parcialmente compensado por uma taxa de desconto superior, como consequência da elevação da taxa Selic desde a última atualização para a ação RADL3. “Reiteramos nossa visão positiva para RADL3, a nossa única recomendação de compra no setor de varejo brasileiro”, afirmam os analistas do Citi.
    Confira os principais pontos do Raia Day, que ocorreu na sexta-feira:

    Plano de expansão – a companhia anunciou o guidance de abertura de 165 lojas em 2016 e 195 novas lojas em 2017, acima das 145 lojas abertas neste ano. No evento, a administração destacou várias iniciativas atualmente sendo implementadas para suportar o plano de expansão, incluindo a automação do centro de distribuição em Embu, o forte foco em pessoas e em desenvolvimento, em adição a iniciativas de melhora de produtividade nas lojas. A Citi Corretora destaca que a Raia Drogasil analisa cuidadosamente cada cidade que ela opera, para cumprir o plano de expansão de 360 novas lojas. Eles esperam continuar a ganhar participação de mercado de pequenos e menos estruturados players, por conta de seu serviço acima da média.

    Margem bruta – a expectativa é de que ela continue a se expandir em 2016, esperando que as receitas de lojas maduras cresçam em linha com a inflação. “Eles ainda têm espaço para expandir margem bruta no próximo ano, através da administração ativa de categoria de produtos. Atualmente, eles adicionaram mais produtos de maquiagem e de cuidados com a pele, que estão crescendo acima da média do portfólio e também possuem melhores margens”, destaca a Citi Corretora.

    Novas oportunidades de crescimento – a aquisição da 4-bio, de medicamentos especiais e a introdução de serviços em suas lojas (por exemplo, como pressão sanguínea e medições de glicemia) deve contribuir para expandir o crescimento e a rentabilidade a longo prazo, ressalta o Bradesco BBI. Estes representam oportunidades interessantes para a Raia Drogasil para conectar empresas sinérgicas em sua plataforma de farmácia e diferenciar-se continuamente de seus concorrentes, destacam os analistas.

    Despesas gerais e administrativas – O Santander ressalta que a empresa está atuando em diversas frentes para diminuir as suas despesas gerais e administrativas. “No entanto, pensamos que os custos de venda poderiam permanecer sob pressão em 2016 devido ao ampliado plano de expansão de lojas”. Porém, ganhos de margem bruta podem ofuscar parte dos maiores gastos, afirmam os analistas. Contudo, a empresa vê uma margem Ebitda (Ebitda/receita líquida) se mantendo no próximo ano, com alguma queda no primeiro trimestre, estabilidade no segundo, e expansão na segunda metade do ano que vem.

    Operações Nordeste – O Santander destaca que a Raia Drogasil foi surpreendida positivamente com os seus primeiros resultados, depois de esperar uma curva mais lenta de maturação. A expansão para o Nordeste vai continuar ao longo dos próximos anos.

    Confira as projeções dos analistas para a Raia Drogasil:

    Instituição Recomendação Preço-Alvo Upside*
    Credit Suisse Outperform R$ 50,00 +28,30%
    Santander Compra R$ 52,00 +33,44%
    Citi Corretora Compra R$ 46,70 +19,84%
    Bradesco BBI Market Perform R$ 48,00 +23,17%
    Itaú BBA Ouperform R$ 47,10 +20,86%
    *Em relação ao fechamento do pregão de 8 de dezembro de 2015

    Curtido por 1 pessoa

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s