COCE – CIA ENERGETICA DO CEARA – COELCE

 

BMFBovespa: COCE3,COCE5

Eleita a Melhor Distribuidora de Energia do Brasil, a Coelce se destaca pela qualidade de desempenho ao ofertar energia para todo o Estado. Sua área de concessão abrange os 184 municípios cearenses, que possuem uma população de mais de 8 milhões de habitantes, em um território de 149 mil quilômetros quadrados.

Sua sede está localizada na capital, Fortaleza, com oito unidades principais, entre centros de serviços e de manutenção, e 201 lojas de atendimento em todo o Estado. É a terceira maior distribuidora do Nordeste em volume comercializado de energia, com fornecimento para mais de 2,8 milhões de clientes, dos quais 2,1 milhões são da classe residencial, 5,9 mil da categoria industrial, 151,3 mil comerciais e 35,7 mil institucionais.

Sociedade anônima de capital aberto desde 1995, é controlada pela Endesa, por meio da holding Investluz S.A., que detém 56,6% do capital total e 91,66% do capital votante. A companhia foi privatizada em 1998 e ganhou o direito de concessão pelo prazo de 30 anos, a partir daquela data. Em outubro de 2007, ocorreu uma reorganização societária da Endesa S.A, sediada na Espanha, que é controladora indireta da Coelce. Desde então as empresas Enel e Acciona assumiram o controle acionário da Endesa S.A.

http://www.mzweb.com.br/coelce2011/web/default_pt.asp?idioma=0&conta=28

Anúncios

20 comentários sobre “COCE – CIA ENERGETICA DO CEARA – COELCE

  1. DESTAQUES

    (I) A Coelce encerrou o 3T15 com um total de 3.721.471 consumidores, 3,8% superior ao mesmo período do ano anterior.

    (II) O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.808 GWh* no 3T15, uma redução de 1,2% em relação ao volume registrado no 3T14.

    (III) Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 3T15 em 11,51 horas* e 6,13 vezes*, superando os indicadores verificados nos 3T14 (9,42 horas* e 4,71 vezes*, respectivamente). Apesar do aumento a companhia segue mantendo os indicadores em nível inferior aos exigidos pela Aneel (12,51 horas para o DEC e 9,38 vezes para o FEC).

    (IV) Os indicadores de produtividade MWh/Colaborador Próprio e Consumidor/colaboradores atingiram, no 3T15, os valores de 2.370* melhorando 1,7% em relação ao 3T14 e 550* reduzindo 4,0% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    (V) A Receita Operacional Bruta registrada no 3T15 foi de R$ 1.621 milhões*, um incremento de 50,6% em relação ao 3T14.

    (VI) O EBITDA, no 3T15, alcançou o montante de R$ 147 milhões*, inferior ao montante de R$ 153 milhões* verificado no 3T14. A Margem EBITDA da Companhia encerrou o 3T15 em 15,96%*, percentual inferior em 4,16 p.p. comparado ao 3T14.

    (VII) No 3T15, o Lucro Líquido totalizou R$ 92 milhões, refletindo uma Margem Líquida de 10,06%.

    (VIII) Em setembro de 2015, a agência classificadora de risco de crédito corporativo Standard & Poor’s reposicionou o rating da Coelce para brAA+ na Escala Nacional Brasil, com perspectiva negativa, em função do rebaixamento do risco soberano do Brasil.

    Curtir

  2. Fortaleza, 28 de janeiro de 2015 – A Companhia Energética do Ceará – Coelce (Coelce) [BOV: COCE3 (ON); COCE5 (PNA); COCE6 (PNB)], eleita entres as três melhores distribuidoras de energia elétrica do Brasil desde 2009, pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE), presente nos 184 municípios cearenses, que abrigam mais de 8,8 milhões de habitantes, divulga seus resultados do quarto trimestre de 2014 (4T14) e do ano de 2014:

    . DESTAQUES

    (I) A Coelce encerrou o 4T14 com um total de 3.625.208 consumidores, o que representa um crescimento de 3,6% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    (II) O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.945 GWh no 4T14, um incremento de 3,6% em relação ao volume registrado no 4T13, de 2.842 GWh.

    (III) Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 4T14 em 9,31 horas e 4,66 vezes, representando incremento de 2,1% e redução 9,0%, respectivamente, em relação ao 4T13.

    (IV) Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e Consumidor/colaborador atingiram, no 4T14, os valores de 2.428 e 571, representando avanços de 5,4% e 6,9%, ambos em relação ao 4T13.

    (V) A Receita Operacional Bruta registrada no 4T14 foi de R$ 1.529 milhões, um incremento de 51,5% em relação ao 4T13, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 1.009 milhões.

    (VI) O EBITDA, no 4T14, alcançou o montante de R$ 377 milhões, representando um incremento significativo em relação ao 4T13, que alcançou o montante de R$ 78 milhões. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 4T14 em 30,41%, percentual superior em 20,43 p.p. comparado ao 4T13.

    (VII) No 4T14, o Lucro Líquido totalizou R$ 163 milhões, refletindo uma Margem Líquida de 13,15%.

    (VII) Em 2014, a agência classificadora de risco de crédito corporativo Standard & Poor’s procedeu com a manutenção do rating corporativo da Companhia de brAAA (com perspectiva estável), refletindo a solidez creditícia atual e futura da Coelce. De acordo com a S&P, a manutenção do rating da Coelce, deve-se principalmente a um sólido desempenho operacional e a uma política financeira prudente, o que permitiu apresentar métricas de crédito moderadas e liquidez adequada, apesar do cenário desafiador pelo qual as companhias de distribuição enfrentaram.

    Curtir

  3. Fortaleza, 28 de outubro de 2014 – A Companhia Energética do Ceará – Coelce (Coelce) [BOV: COCE3 (ON); COCE5 (PNA); COCE6 (PNB)], eleita entres as três melhores distribuidoras de energia elétrica do Brasil desde 2009, pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE), presente nos 184 municípios cearenses, que abrigam mais de 8,8 milhões de habitantes, divulga seus resultados do terceiro trimestre de 2014 (3T14) e dos nove primeiros meses de 2014 (9M14):

    . DESTAQUES

    (I) A Coelce encerrou o 3T14 com um total de 3.586.064 consumidores, o que representa um crescimento de 3,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    (II) O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.843 GWh* no 3T14, um incremento de 6,7% em relação ao volume registrado no 3T13, de 2.664 GWh.

    (III) Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 3T14 em 9,42 horas* e 4,71 vezes*, representando melhorias de 3,7% e 13,4%, respectivamente, em relação ao 3T13.

    (IV) Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e Consumidor/colaborador atingiram, no 3T14, os valores de 2.330* e 572,85*, representando avanços de 12,1% e 10,7%, ambos em relação ao 3T13.

    (V) A Receita Operacional Bruta registrada no 3T14 foi de R$ 1.076 milhões*, um incremento de 16,8% em relação ao 3T13, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 922 milhões.

    (VI) O EBITDA, no 3T14, alcançou o montante de R$ 154 milhões*, representando um incremento significativo em relação ao 3T13, que alcançou o montante de R$ 66 milhões. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 3T14 em 18,94%*, percentual superior em 9,59 p.p. comparado ao 3T13.

    (VII) No 3T14, o Prejuízo Líquido totalizou -R$ 3 milhões, refletindo uma Margem Líquida de -0,35%.

    (VII) A Coelce foi reconhecida pela segunda vez consecutiva como empresa premiada no Prêmio Nacional da Qualidade do ano de 2014, o maior reconhecimento público feito pela Fundação Nacional da Qualidade (FNQ) à excelência da gestão das organizações brasileiras.

    (VII) Em setembro de 2014, a Coelce foi classificada, pela 9º vez consecutiva, como uma das 150 Melhores Empresas para se Trabalhar no Brasil segundo o Guia Exame/Você S/A.

    Curtir

  4. Fortaleza, 24 de julho de 2014 – A Companhia Energética do Ceará – Coelce (Coelce) [BOV: COCE3 (ON); COCE5 (PNA); COCE6 (PNB)], eleita, em 2009, 2010, 2011 e 2012, a melhor distribuidora de energia elétrica do Brasil pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE), presente nos 184 municípios cearenses, que abrigam mais de 8,9 milhões de habitantes, divulga seus resultados do segundo trimestre de 2014 (2T14) e dos seis primeiros meses de 2014 (6M14):

    . DESTAQUES

    (I) A Coelce encerrou o 2T14 com um total de 3.558.674 consumidores, o que representa um crescimento de 3,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    (II) O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.661 GWh no 2T14, um incremento de 1,7% em relação ao volume registrado no 2T13, de 2.617 GWh.

    (III) Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 2T14 em 10,03 horas e 5,06 vezes*, representando incrementos de 14,8% e 2,8%, respectivamente, em relação ao 2T13, mas inferiores aos limites da Aneel, A trajetória dos indicadores de qualidade foi impactada por eventos fortuitos, como o “apagão” que atingiu o Nordeste do país no dia 28 de agosto de 2013.

    (IV) Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e MWh/consumidor atingiram, no 2T14, os valores de 2.207 e 0,75, representando avanços de 8,0% e redução 1,3%, ambos em relação ao 2T13.

    (V) A Receita Operacional Bruta registrada no 2T14 foi de R$ 1.102 milhões, um incremento de 21,9% em relação ao 2T13, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 904 milhões.

    (VI) O EBITDA, no 2T14, alcançou o montante de R$ 94 milhões, uma redução de 27,7%* em relação ao 2T13, de R$ 129 milhões. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 2T14 em 10,88%, percentual inferior em 7,66 p.p. comparado ao 2T13.

    (VII) No 2T14, o Lucro Líquido totalizou R$ 27 milhões, 64,4% inferior ao 2T13, refletindo uma Margem Líquida de 3,12%.

    Curtir

  5. Resultados do 1º Trimestre de 2014
    LL R$ 66,646 M +3,2% x 1T13

    1º Trimestre 2014 (1T14)

    Destaques

    A Coelce encerrou o 1T14 com um total de 3.530.903 consumidores, o que representa um crescimento de 5,0% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.774 GWh* no 1T14, um incremento de 6,3% em relação ao volume registrado no 1T13, de 2.609 GWh*.

    Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 1T14 em 9,65 horas* e 5,10 vezes*, representando incrementos de 19,3% e 8,3%, respectivamente, em relação ao 1T13, A trajetória dos indicadores de qualidade foi impactada por eventos fortuitos, como o “apagão” que atingiu o Nordeste do país no dia 28 de agosto de 2013.

    Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e MWh/consumidor atingiram, no 1T14, os valores de 2.296* e 0,79 *, representando avanços de, 12,5% e 1,3%, ambos em relação ao 1T13.

    A Receita Operacional Bruta registrada no 1T14 foi de R$ 931 milhões, um incremento de 4,1% em relação ao 1T13, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 895 milhões.

    O EBITDA, no 1T14, alcançou o montante de R$ 77 milhões*, uma redução de 40,1%* em relação ao 1T13, de R$ 128 milhões*. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 1T14 em 10,85%*, percentual inferior em 8,57 p.p. comparado ao 1T13.

    No 1T14, o Lucro Líquido totalizou R$ 65 milhões, 3,2% superior ao 1T13, refletindo uma Margem Líquida de 9,14%.

    O Leilão da OPA ocorreu no dia 17 de fevereiro de 2014, tendo a Enersis S.A. adquirido 2.964.650 Ações Ordinárias; 8.818.006 Ações Preferenciais Classe A e 424 Ações Preferenciais Classe B. Em razão das aquisições acima, o grupo econômico da Enersis S.A. passou a deter, direta e indiretamente, (i) 47.043.336.

    Tendo em vista que a Enersis S.A. adquiriu mais de 2/3 do total de Ações Ordinárias em circulação, está obrigada, diretamente ou por meio de outra sociedade por ela controlada direta ou indiretamente, a adquirir, nas condições estabelecidas no Edital da OPA, Ações Ordinárias em circulação de qualquer(s) interessado(s) em vendê-las, pelo prazo de 3 meses contado de 17 de fevereiro de 2014, conforme estabelecido na Cláusula 10.2 do Edital da OPA, e nos termos do §2° do artigo 10 da Instrução CVM 361/02. Desta maneira, até o dia 31 de março de 2014, a Enersis S.A adquiriu 2.981.903 Ações Ordinárias.

    Em Assembleia Geral Ordinária – AGO, realizada em 16 de abril de 2014, foi deliberada a distribuição de R$ 76.829.017,00 em dividendos, o que representa um payout ratio de 80% sobre o lucro líquido passível de distribuição (excluindo-se o benefício fiscal da SUDENE) e um dividendo de R$ 0,986818084 por ação. Com base na cotação média de fechamento do papel COCE5 no ano de 2014 (até 31 de março), de R$ 39,79. Esta deliberação representa um dividend yield de 2,48%, cujo pagamento será efetuado aos acionistas até o dia 31 de dezembro de 2014.

    http://www.mzweb.com.br/coelce2011/web/download_arquivos.asp?id_arquivo=5B6CD57C-981E-4CF7-8671-EA552A5197EC

    Resultado Regular. Se por um lado teve crescimento nas receitas, por outro lado, teve também crescimento nas despesas, o que quase anulou o ganho obtido. Teve Crescimento na Receita Bruta em 4,1%, crescimento na Receita Líquida em 7,2% e redução nas despesas financeiras em 63,8%. No entanto, os Custos dos serviços e despesas operacionais aumentaram 18,9% e houve queda no EBITDA em 40,1% e queda no Lucro antes dos Impostos de 57,4%. Tudo isso combinado, contribuiu para um crescimento baixo no LL de 3,2%.

    Curtir

  6. Resultados 4T13 e 2013

    LL R$ 6 milhões -95,7% x 4T12 / LL R$ 156,6 M -62,7% x 2012

    Fortaleza, 06 de fevereiro de 2014 – A Companhia Energética do Ceará – Coelce (Coelce) [BOV: COCE3 (ON); COCE5 (PNA); COCE6 (PNB)], eleita, em 2009, 2010, 2011 e 2012, a melhor distribuidora de energia elétrica do Brasil pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE), presente nos 184 municípios cearenses, que abrigam mais de 8,8 milhões de habitantes, divulga seus resultados do quarto trimestre de 2013 (4T13) e do exercício de 2013 (2013):

    . DESTAQUES

    (i) A Coelce encerrou o 4T13 com um total de 3.500.155 consumidores, o que representa um crescimento de 4,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    (ii) O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.843 GWh no 4T13, um incremento de 10,2% em relação ao volume registrado no 4T12, de 2.580 GWh.

    (iii) Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 4T13 em 9,12 horas e 5,12 vezes, representando incrementos de 13,2% e 10,8%, respectivamente, em relação ao 4T12.

    (iv) Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e MWh/consumidor atingiram, no 4T13, os valores de 2.303, representando um avanço de 11,0%, e 0,81, representando um avanço de 5,2%, ambos em relação ao 4T12.

    (v) A Receita Operacional Bruta registrada no 4T13 foi de R$ 1.009 milhões, uma redução de 4,7% em relação ao 4T12, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 1.059 milhões.

    (vi) O EBITDA, no 4T13, alcançou o montante de R$ 78 milhões, uma redução de 33,0% em relação ao 4T12, de R$ 117 milhões. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 4T13 em 9,98%, percentual inferior em 5,27 p.p. comparado ao 4T12.

    (vii) No 4T13, o Lucro Líquido totalizou R$ 6 milhões, 95,7% inferior ao 4T12, refletindo uma Margem Líquida de 0,76%.

    (viii) Em setembro de 2013, a agência classificadora de risco de crédito corporativo Standard & Poor’s procedeu com o upgrade do rating corporativo da Companhia de brAA+ para brAAA (com perspectiva estável), refletindo a solidez creditícia atual e futura da Coelce.

    Curtir

    • forte impacto do aumento de custo da energia, somado a maior consumo e mix de termo elétrica maior (mais custoso); DEC e FEC impactados por apagão

      “Aumento de 11,7% (-R$ 446 milhões versus -R$ 400 milhões) na energia elétrica comprada para revenda (-R$ 46 milhões): O aumento acima mencionado se deve aos seguintes fatores: (i) incremento de 12,6% no volume de energia comprada (CCEARs e Bilaterais) entre o 4T13 e 4T12, (ii) reajuste de preço dos contratos de compra de energia vigentes ocorridos entre os períodos (principalmente pelo índice de inflação IPCA; 75% dos contratos são CCEARs), (iii) a uma maior tarifa média (mix) de compra de energia, devido à entrada de novos contratos, especialmente de térmicas, que possuem uma tarifa mais elevada, (iv) aumento do custo variável pago às térmicas despachadas dentro da ordem de mérito pelo ONS, para garantir o nível mínimo dos reservatórios nacionais, (v) maior exposição ao mercado de curto prazo, tendo em vista o cenário de descontratação involuntária, ocasionado pela redistribuição das cotas em função da Lei 12.783/13 e por projetos térmicos postergados ou cancelados, e (vi) repasse do risco hidrológico das geradoras com concessões renovadas pela Lei 12.783/13 para o consumidor final. Estes acréscimos foram parcialmente compensados pela redução das tarifas de compras de energia das concessões de geração renovadas pela Lei 12.783/13 e os itens (v) e (vi), especialmente, foram parcialmente compensados pelos repasses da CDE, em função do Decreto 7.945/13. A compensação contabilizada alcançou o montante de R$ 16 milhões no 4T13. Nos 2013, as compensações contabilizadas nesta rubrica alcançaram o montante de R$ 69 milhões.

      Curtir

  7. Resultados 3T13

    . DESTAQUES

    (i) A Coelce encerrou o 3T13 com um total de 3.465.301 consumidores, o que representa um crescimento de 4,7% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    (ii) O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.664 GWh no 3T13, um incremento de 7,4% em relação ao volume registrado no 3T12, de 2.481 GWh.

    (iii) Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 3T13 em 9,78 horas e 5,44 vezes, representando incrementos de 40,7% e 25,9%, respectivamente, em relação ao 3T12.

    (iv) Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e MWh/consumidor atingiram, no 3T13, os valores de 2.079, representando um avanço de 8,8%, e 0,77, representando um avanço de 2,7%, ambos em relação ao 3T12.

    (v) A Receita Operacional Bruta registrada no 3T13 foi de R$ 922 milhões, uma redução de 6,6% em relação ao 3T12, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 986 milhões.

    (vi) O EBITDA, no 3T13, alcançou o montante de R$ 66 milhões, uma redução de 59,3% em relação ao 3T12, de R$ 162 milhões. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 3T13 em 9,35%, percentual inferior em 13,20 p.p. comparado ao 3T12. Excluindo-se os eventos não recorrentes relevantes registrados no 3T13, o EBITDA teria atingido o montante de R$ 112 milhões, 30,98% menor em relação ao mesmo período do ano anterior. A Margem EBITDA ficaria em 15,85%.

    (vii) No 3T13, o Lucro Líquido totalizou R$ 13 milhões, 83,2% inferior ao 3T12, refletindo uma Margem Líquida de 1,80%. Excluindo-se os eventos não recorrentes relevantes registrados no 3T13, assim como seus respectivos efeitos tributários, o Lucro Líquido da Companhia teria atingido o montante de R$ 56 milhões, redução de 27% em relação ao mesmo período do ano anterior. A Margem Líquida alcançaria 8%.

    (viii) Em setembro de 2013, a agência classificadora de risco de crédito corporativo Standard & Poor’s procedeu com o upgrade do rating corporativo da Companhia de brAA+ para brAAA (com perspectiva estável), refletindo a solidez creditícia atual e futura da Coelce. A elevação do rating deve-se, principalmente, a um sólido desempenho operacional e a uma política financeira prudente.

    (ix) Em setembro de 2013, a Companhia efetuou operação de pré-pagamento da 2ª série da 2ª emissão de debêntures no montante de R$ 67 milhões. Essa operação teve como objetivo a redução dos custos financeiros para a companhia

    Curtir

  8. Tetzner, essa Coelce dá tantos dividendos que pra mim é quase como um FII, só que com periodicidade maior de distribuição… Comprei uns lotes dela quando estava perto de R$ 28,00, há alguns anos…

    Curtir

  9. resultados do terceiro trimestre de 2012 (3T12) e dos nove primeiros meses de 2012 (9M12):

    . DESTAQUES

    (i) A Coelce encerrou o 3T12 com um total de 3.311.067 consumidores, o que representa um crescimento de 3,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    (ii) O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.481 GWh no 3T12, um incremento de 6,3% em relação ao volume registrado no 3T11, de 2.335 GWh.

    (iii) Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 3T12 em 6,95 horas e 4,32 vezes, representando melhorias de 28,9% e 32,3%, respectivamente, em relação ao 3T11. A Coelce foi eleita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) como a companhia com os melhores indicadores de continuidade do país, de acordo com o estudo realizado pelo órgão regulador e divulgado ao mercado no dia 25 de abril de 2012.

    (iv) A Receita Operacional Bruta registrada no 3T12 foi de R$ 986 milhões, um incremento de 6,3% em relação ao 3T11, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 928 milhões.

    (v) O EBITDA, no 3T12, alcançou o montante de R$ 162 milhões, uma redução de 11,2% em relação ao 3T11, de R$ 183 milhões. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 3T12 em 22,55%, percentual inferior em 5,49 p.p. comparado ao 3T11.

    (vi) No 3T12, o Lucro Líquido totalizou R$ 76 milhões, 24,6% inferior ao 3T11, refletindo uma Margem Líquida de 10,53%.

    (vii) Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e MWh/consumidor atingiram, no 3T12, os valores de 1.911, representando um avanço de 5,9%, e 0,75, representando um avanço de 2,7%, ambos em relação ao 3T11.

    (viii) A ANEEL homologou os resultados definitivos do 3º ciclo de revisão tarifária periódica e do reajuste tarifário anual do ano de 2012 para a Companhia. O valor combinado oriundo da aplicação destes dois mecanismos tarifários foi um efeito médio de -7,61% nas tarifas da Coelce, a partir do dia 22 de abril de 2012, sendo -12,20% em relação à revisão tarifária periódica e +5,61% referente ao reajuste tarifário anual. Este resultado refletia a queda da liminar judicial que impedia a ANEEL de capturar o benefício fiscal da SUDENE via WACC regulatória. No entanto, no dia 1 de junho de 2012, a liminar judicial voltou a vigorar por decisão do presidente do STF e, em 26 de junho de 2012, A ANEEL aprovou o novo valor do 3º ciclo de revisão tarifária periódica da Coelce, passando de -12,20% para -10,89%, com aplicação imediata. Assim, o efeito médio do novo valor da revisão e do reajuste tarifário passa de -7,61% para o valor definitivo -6,76%, até que a causa judicial tenha o seu mérito julgado.

    (ix) A Coelce foi eleita a melhor distribuidora de energia elétrica do Brasil pela 14ª edição do Prêmio Abradee (2012), concedido anualmente pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE). Na edição de 2012, além de ser reconhecida como a melhor distribuidora do Brasil – e também da região Nordeste – a companhia conquistou o primeiro lugar nas categorias Avaliação pelo Cliente, Responsabilidade Social e Qualidade da Gestão, e ficou em segundo lugar na categoria Gestão Operacional, entre as distribuidoras com mais de 500 mil consumidores. É a quarta vez consecutiva que a Coelce é a melhor do Brasil e melhor na Avaliação do Cliente, e a segunda vez consecutiva que a empresa é a melhor em Responsabilidade Social.

    Curtir

  10. AVISO AOS ACIONISTAS

    Pagamento de Dividendos

    A Companhia Energética do Ceará – Coelce (“Companhia”) comunica aos Senhores Acionistas que efetuará, em 27 de dezembro de 2012, o pagamento dos dividendos deliberados pela Assembléia Geral Ordinária de Acionistas da Companhia (“AGO”), realizada em 25 de abril de 2012, referente ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2011. Os dividendos serão creditados aos detentores de ações da Companhia no final do dia 25/04/2012 no valor de R$ 3,545229718661 por ação ordinária, preferencial Classe “A” e preferencial classe “B”.

    Instruções quanto ao crédito: O pagamento será efetuado pelo Banco Itaú S.A., Instituição depositária das ações escriturais.

    (i) Os acionistas correntistas do Banco Itaú, ou de outros bancos que comunicaram essa condição terão seus direitos creditados automaticamente na data do pagamento;

    (ii) Para os acionistas cujo cadastro não contenha a inscrição de “Banco/Agência/Conta Corrente”, os direitos ficarão à disposição em qualquer Agência Itaú em nome do acionista durante o prazo legal, para pagamento quando solicitado mediante a apresentação dos documentos de identificação (CPF, RG e comprovante de residência);

    (iii) Para os acionistas cujas ações estão custodiadas na CBLC – Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia, os dividendos serão pagos à referida CBLC, que os repassará aos acionistas titulares por intermédio das Corretoras depositantes.

    Os dividendos não reclamados no prazo de 3 (três) anos, a contar da data de início do pagamento (27/12/2012), prescreverão em favor da Companhia (Lei 6.404/76, art.287, inciso II, item a).

    Curtir

  11. FATO RELEVANTE

    Conforme amplamente noticiado pela imprensa nacional e internacional, Enersis S.A., com sede em Santiago – Chile (a seguir “Enersis”), sociedade controlada direta e/ou indiretamente pela Enel e Endesa e que indiretamente controla nossa companhia, divulgou ao mercado operação de aumento de seu capital social no valor de US$ 8,02 bilhões, a qual será submetida a Assembleia Geral de seus acionistas a ser oportunamente realizada. Esse aumento de capital está sujeito ao cumprimento de algumas condições determinadas pela autoridade de valores mobiliários do Chile (Superintendencia de Valores y Seguros – SVS) e, se aprovado, poderá ser subscrito e integralizado pela Endesa e/ou sociedades por esta controladas, mediante aporte de alguns ativos, incluindo participações societárias que a Endesa possui, direta e/ou indiretamente, em sociedades sediadas no Brasil. A operação mencionada, se afinal aprovada e consumada, não implicará qualquer alteração da composição do controle ou da estrutura administrativa da Coelce. Ainda sobre a referida operação, a Enersis, em resposta a uma solicitação de esclarecimentos feita pela Superintendencia de Valores y Seguros – SVS, inclusive sobre a utilização dos recursos que eventualmente venham a ser captados com o referido aumento de capital, informou que dentre diversas outras opções, existe a possibilidade, a ser estudada e avaliada em época própria e futura, de eventual compra das participações acionárias detidas por minoritários em sociedades nas quais participa, direta e/ou indiretamente, dentre elas a Coelce, sendo que, no entanto, não há qualquer compromisso ou intenção definidos neste sentido.

    Fortaleza, 6 de agosto de 2012

    Curtir

  12. Informações Trimestrais – 30/06/2012
    COELCE REGISTRA LUCRO LÍQUIDO DE R$ 86 MILHÕES NO 2T12
    Receita Líquida apresenta incremento de 12,2% em relação ao 2T11

    DESTAQUES

    A Coelce encerrou o 2T12 com um total de 3.290.938 consumidores, o que representa um crescimento de 4,3% em relação ao mesmo período do ano anterior.

    O volume de energia vendida e transportada pela Coelce atingiu o montante de 2.403 GWh* no 2T12, um incremento de 14,3% em relação ao volume registrado no 2T11, de 2.102 GWh*.

    Os indicadores de qualidade do fornecimento DEC e FEC encerraram o 2T12 em 6,97 horas* e 4,43 vezes*, representando melhorias de 29,8% e 34,3%, respectivamente, em relação ao 2T11.

    A Coelce foi eleita pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) como a companhia com os melhores indicadores de continuidade do país, de acordo com o estudo realizado pelo órgão regulador e divulgado ao mercado no dia 25 de abril de 2012.

    A Receita Operacional Bruta registrada no 2T12 foi de R$ 1.007 milhões, um incremento de 10,5% em relação ao 2T11, que alcançou no citado trimestre o montante de R$ 912 milhões.

    O EBITDA, no 2T12, alcançou o montante de R$ 163 milhões*, uma redução de 15,7% em relação ao 2T11, de R$ 194 milhões. Com esse resultado, a Margem EBITDA da Companhia encerrou o 2T12 em 22,59%*, percentual inferior em 7,47 p.p. comparado ao 2T11.

    No 2T12, o Lucro Líquido totalizou R$ 86 milhões, 34,6% inferior ao 2T11, refletindo uma Margem Líquida de 11,88%.

    Os indicadores de produtividade MWh/colaborador e MWh/consumidor atingiram, no 2T12, os valores de 1.843*, representando um avanço de 12,4%, e 0,73*, representando um avanço de 9,0%, ambos em relação ao 2T11.

    A ANEEL homologou os resultados definitivos do 3º ciclo de revisão tarifária periódica e do reajuste tarifário anual do ano de 2012 para a Companhia.
    O valor combinado oriundo da aplicação destes dois mecanismos tarifários foi um efeito médio de -7,61% nas tarifas da Coelce, a partir do dia 22 de abril de 2012, sendo -12,20% em relação à revisão tarifária periódica e +5,61% referente ao reajuste tarifário anual.
    Este resultado refletia a queda da liminar judicial que impedia a ANEEL de capturar o benefício fiscal da SUDENE via WACC regulatória. No entanto, no dia 1 de junho de 2012, a liminar judicial voltou a vigorar por decisão do presidente do STF e, em 26 de junho de 2012, A ANEEL aprovou o novo valor do 3º ciclo de revisão tarifária periódica da Coelce, passando de -12,20% para -10,89%, com aplicação imediata. Assim, o efeito médio do novo valor da revisão e do reajuste tarifário passa de -7,61% para o valor definitivo -6,76%, até que a causa judicial tenha o seu mérito julgado.
    A Coelce foi eleita a melhor distribuidora de energia elétrica do Brasil pela 14ª edição do Prêmio Abradee (2012), concedido anualmente pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (ABRADEE). Na edição de 2012, além de ser reconhecida como a melhor distribuidora do Brasil e também da região Nordeste – a companhia conquistou o primeiro lugar nas categorias Avaliação pelo Cliente, Responsabilidade Social e Qualidade da Gestão, e ficou em segundo lugar na categoria Gestão Operacional, entre as distribuidoras com mais de 500 mil consumidores.
    É a quarta vez consecutiva que a Coelce é a melhor do Brasil e melhor na Avaliação do Cliente, e a segunda vez consecutiva que a empresa é a melhor em Responsabilidade Social.

    Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s