EMBR – EMBRAER S.A.

EMBR3.bmp

BMFBovespa: EMBR3

A Embraer S.A. é uma das maiores empresas aeroespaciais do mundo, posição alcançada graças à busca permanente e determinada da plena satisfação de seus clientes.

Com 42 anos de experiência em projeto, fabricação, comercialização e pós-venda, a Empresa já produziu cerca de 5.000 aviões, que hoje operam em 88 países, nos cinco continentes. A Embraer tem uma base global de clientes e importantes parceiros de renome mundial, o que resulta em uma significativa participação no mercado.

A Embraer foi a maior exportadora brasileira entre os anos de 1999 e 2001, e foi a segunda maior empresa exportadora nos anos de 2002, 2003 e 2004. Atualmente sua força de trabalho totaliza mais de 17.629* empregados, 94,1% baseados no Brasil.

Mercado de Aviação Comercial
A Embraer continua a liderar o setor com suas inovadoras linhas de jatos regionais comerciais. Mais de 1.000 ERJs foram produzidos desde 1996 e 872 aeronaves já foram entregues a mais de 37 companhias aéreas em 23 países. Oferecendo alto índice de comunalidade entre os membros da família, os ERJ 135, ERJ 140 e ERJ 145, com disponibilidade para 37, 44 e 50 passageiros respectivamente, oferecem versatilidade única para as empresas moldarem a capacidade das aeronaves com o tamanho do mercado. O ERJ 145 XR, de 50 assentos, certificado pelo FAA, já está expandindo as redes regionais além de sua capacidade de 2.000 milhas náuticas.

Mercado de Aviação Executiva
O lançamento do jato Legacy 600 em 2000 marcou a entrada da Embraer no mercado de Aviação Executiva. O sucesso desse jato, desde a sua entrada em serviço há cinco anos, somado ao lançamento de produtos revolucionários e ao fortalecimento dos serviços de suporte ao cliente, reforçam o compromisso da Embraer com o segmento.

Mercado de Defesa
A Embraer desempenha papel estratégico no sistema de defesa brasileiro, tendo fornecido mais de 50% da frota da Força Aérea Brasileira. Cerca de 20 Forças Aéreas estrangeiras também operam os produtos Embraer.

Serviços Aeronáuticos
O segmento de Serviços Aeronáuticos ganhou status de unidade de negócios em 2006, atendendo aos planos e perspectivas de expansão internacional da Embraer, englobando atividades de manutenção das aeronaves, peças de reposição, treinamento e segmentos aeronáuticos. Além das empresas especializadas neste tipo de atividade, Embraer Aircraft Maintenance Services (EAMS) e OGMA – Indústria Aeronáutica de Portugal, localizadas nos EUA e em Portugal, respectivamente, a Embraer conta com oficinas próprias e depósitos de peças nos EUA, França, China, Cingapura e Brasil.

RI: investor.relations@embraer.com.br

Site: http://ri.embraer.com.br

Anúncios

34 comentários sobre “EMBR – EMBRAER S.A.

  1. ​Embraer (EMBR3): A cia está negociando com a norte-americana Air Surf, empresa de aviação executiva, uma encomenda que pode chegar a 50 aeronaves Phenom 300, negócio que, pelo preço de tabela, é avaliado em US$495 milhões, segundo reportagem publicada no jornal Valor Econômico nesta segunda-feira. De acordo com o jornal, o presidente da Air Surf disse que, além da Embraer, também está conversando com a fabricante de aeronaves norte-americana Textron. “Vamos tomar uma decisão em breve”, disse o executivo, segundo o Valor. Procurada pelo jornal, a Embraer disse que não comenta possibilidades de negócios.

    Curtir

  2. Embraer (EMBR3): A cia anunciou aos seus funcionários que irá abrir um Programa de Demissão Voluntária (PDV) no Brasil, em meio à uma série de medidas para cortar US$ 200 milhões em custos. O anúncio ocorre em um contexto de dificuldades enfrentado pela Embraer, que reduziu, em julho, suas projeções de entregas de jatos para 2016. “A Embraer acredita e trabalha pela superação desse momento. A companhia precisa assegurar sua perenidade e, para isso, necessita manter grande disciplina financeira, tomando ações imediatas”, informou a empresa, em comunicado. A empresa emprega atualmente cerca de 17 mil funcionários e não informou quantos devem ser impactados nesse processo.

    Curtir

  3. Embraer (EMBR3): A cia encerrou o 2T16 com prejuízo líquido atribuído aos acionistas de R$ 337,3 milhões, revertendo o lucro de R$ 399,6 milhões apurado no mesmo período do ano passado. Já no critério ajustado, excluindo o imposto de renda e a contribuição social diferidos no período, a Embraer contabilizou lucro líquido de R$ 155,6 milhões entre abril e junho de 2016, o que corresponde a uma queda de 59% em relação aos R$ 380,0 milhões reportados no mesmo intervalo do ano passado. O Ebitda ficou negativo em R$ 153 milhões no 2T16, ante R$ 548,2 milhões registrados um ano antes. O Ebitda ajustado atingiu R$ 531,9 milhões, ligeiramente abaixo dos R$ 548,2 milhões anotados no 2T15 e 17,38% inferior aos R$ 643,8 milhões do primeiro trimestre.

    Curtir

    • Embraer (EMBR3): A cia revisou suas estimativas de entregas de aeronaves, receitas, Ebitda, Ebit, margens e fluxo de caixa livre para 2016. Conforme a companhia, os negócios no setor de jatos executivos estão mais difíceis do que o esperado neste ano, “com pressão contínua sobre novas vendas de jatos”. A fabricante de aviões cita a influência dos altos níveis de estoques de aeronaves usadas e o ambiente altamente competitivo que tem influenciado as transações. Com isso, a companhia reduziu sua previsão de entregas de jatos executivos, para de 70 a 80 jatos leves e de 35 a 45 jatos grandes, ante as estimativas iniciais de 75 a 85 e 40 a 50, respectivamente. Com isso, a companhia também passou a esperar uma menor receita líquida do segmento, agora entre US$ 1,6 bilhão e US$ 1,75 bilhão, abaixo do patamar entre US$ 1,75 a US$ 1,90 bilhão anteriormente previsto. As estimativas de entregas e receitas dos segmentos de Aviação Comercial e de Defesa & Segurança para o ano permanecem inalteradas.

      Curtir

  4. Embraer (EMBR3): A Embraer Aviação Executiva anunciou que a canadense AirSprint assinou um contrato de compra de até 12 jatos Legacy 450, que consiste em dois pedidos firmes, com entrega prevista para o quarto trimestre deste ano, e 10 direitos de compra, com data de entrega começando no primeiro trimestre de 2017. O acordo tem um valor estimado de US$ 198 milhões, ao preço de lista atual, se todas as opções forem exercidas. Os pedidos firmes deste contrato de compra já estão inclusos na carteira de pedidos do segundo trimestre da Embraer. As entregas do Legacy 450 para a AirSprint começarão assim que a aeronave receber a certificação de tipo da Transport Canada Civil Aviation (TCCA), prevista para ocorrer no quarto trimestre. A AirSprint é uma empresa de propriedade compartilhada de aeronaves particulares com sede em Calgary, Alberta

    Curtir

    • ​Embraer (EMBR3): A cia teve queda de 13% nas entregas de aviões no segundo trimestre sobre o mesmo período do ano passado e a carteira de pedidos recuou cerca de 4% na mesma comparação, segundo dados divulgados pela companhia nesta segunda-feira. A fabricante brasileira entregou 26 jatos comerciais e 26 executivos no 2T16 ante envios de 27 aviões para aviação comercial e 33 para aviação executiva entre abril e junho de 2015. A carteira de pedidos no final de junho somou US$21,9 bilhões ante US$22,9 bilhões no mesmo período do ano passado. No consolidado do ano, a Embraer tem entregas de 96 aviões ante 92 unidades na primeira metade de 2015.

      Curtir

  5. Embraer (EMBR3): A cia informa que iniciou um processo de sucessão para o cargo de diretor-presidente, dando continuidade ao trabalho exercido por Frederico Fleury Curado ao longo da última década. Em nota à imprensa, a fabricante anuncia que Paulo Cesar de Souza e Silva será o novo diretor-presidente, em um processo de transição programado para ocorrer até o final de 2016. ​A empresa destaca que o novo presidente é executivo da Embraer desde 1997 e atualmente vice-presidente Executivo para a Aviação Comercial. A transferência das funções executivas acontece em julho de 2016.

    Curtir

  6. Embraer (EMBR3): A agência de classificação de risco Standard & Poor´s (S&P) afirmou o rating BBB da cia e o retirou de observação. A perspectiva é negativa. Em nota, a S&P afirma que a perspectiva negativa “reflete o fato de que uma ação negativa de rating do soberano do Brasil poderia desencadear o rebaixamento da Embraer”. A agência, entretanto, pondera que a Embraer continua apresentando métricas financeiras fortes, com geração de caixa relativamente estável e baixo nível de endividamento.
    Ok…acompanhando.

    Curtir

    • Embraer (EMBR3): A cia anuncia hoje um contrato inicial para a venda de 23 aeronaves para a operadora mexicana Across e num entendimento de que o pedido poderá ainda dobrar, chegando a mais de US$ 500 milhões. O negócio faz parte de uma nova tendência no mercado de jatos executivos: o surgimento de companhias aéreas que oferecem aeronaves executivas de uma forma flexível aos empresários.

      Curtir

Não postar Links, nem referências à sites Externos, Emails, Telefones.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s